segunda-feira, 4 de julho de 2016

"Campeonato Nacional Estrada"

João Almeida campeão nacional de juniores

João Almeida (Bairrada) sagrou-se campeão nacional de fundo na categoria de juniores, vencendo isolado a prova de 123,5 quilómetros, disputada em Vila Flor.
O calor intenso e o percurso de permanente sobe e desce destroçaram por completo o pelotão. João Almeida, depois do triunfo no nacional de contrarrelógio, na sexta-feira, voltou a demonstrar grande classe. Impôs-se em solitário, ao fim de 3h37m10s de corrida. O segundo classificado, a 28 segundos, foi Pedro Lopes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), e o terceiro, a 1m09s, foi Bernardo Gonçalves (Jorbi/Team José Maria Nicolau).

Com pouco mais de 30 quilómetros percorridos, um grupo de 19 corredores adiantou-se ao pelotão e consolidou a posição na frente da corrida. Percebendo que a vitória dificilmente poderia estar ao alcance dos ciclistas que permanecessem no grupo principal, João Almeida atacou, a cerca de 60 quilómetros do fim, foi galgando terreno e passando os corredores que grupo inicial de 19 unidades.

Pedro Lopes foi resistindo à investida de João Almeida e apenas cedeu no derradeiro quilómetro, à entrada das últimas centenas de metros, em empedrado. “Dos dois títulos deste fim de semana, o de hoje foi o que me custou mais, sem dúvida. Foi preciso sofrer muito num percurso que se ia tornando mais difícil à medida que os quilómetros passavam”, confessou o campeão nacional.

“Dedico esta vitória àqueles que muito me ajudaram, o Fábio Resende, o João Dinis e o Iuri Leitão”, afirmou João Almeida, nomeando os colegas de equipa que entraram na fuga de 19 elementos e que o ajudaram a ganhar terreno rumo à camisola de campeão.

Classificação

Vila Flor – Vila Flor, 123,5 km

1.º João Almeida (Bairrada), 3h37m10s

2.º Pedro Lopes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), a 28s

3.º Bernardo Gonçalves (Jorbi/Team José Maria Nicolau), a 1m09s

4.º Carlos Salgueiro (ACD Milharado/EC Manuel Martins), a 2m41s

5.º Jorge Alves (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel), a 3m19s

6.º Pedro Teixeira (ACDC Trofa), a 4m28s

7.º João Batista (Sporting/Tavira/Formação Eng. Brito da Mana), a 4m32s

8.º João Dinis (Bairrada), a 4m34s

9.º Luís Pereira (EC Carlos Carvalho), mt

10.º Hugo Garcez (ACDC Trofa), a 4m42s

Fonte: FPC

“Campeonato da Europa de Triatlo na Hungria (Tiszaujvaros)”

Atletas torrejanos em BOM PLANO 
 

O dia 2 de Julho de 2016, vai ficar para a HISTÓRIA do Triatlo de Torres Novas, com a presença de 3 (três) torrejanos na Seleção Nacional de Triatlo Youth (Cadetes e Juvenis 2ºano), sendo a Escola de Triatlo de Torres Novas, o clube mais representativo nesta seleção nacional, composta por 5 atletas masculinos e 5 atletas femininas.

JOANA MIRANDA, RICARDO BATISTA e JOSÉ PEDRO VIEIRA participaram no Campeonato da Europa de Triatlo Youth em Tiszaujvaros na Hungria, aonde estiveram presentes cerca de 200 atletas de ambos os géneros representando 23 países europeus.

Esta competição iniciou-se pelas 13h00, com a realização das três semi-finais femininas, compostas por um segmento de 500m de natação, 12kms de ciclismo e 3600m de corrida, e com JOANA MIRANDA a participar logo na primeira semi-final realizada. Numa prova que começou por ser muito disputada no segmento de natação, Joana Miranda ao conseguir sair da água muito bem posicionada com um tempo de 7m14s, integrou o 1ºgrupo de ciclismo até ao final deste segmento. Mas, foi na corrida que a atleta torrejana devido ao muito calor que se fazia sentir, não conseguiu aguentar o ritmo forte das suas adversárias, terminando a sua semi-final no 13ºlugar com um tempo total de 44m14s.

RICARDO BATISTA e JOSÉ PEDRO VIEIRA entraram em acção na última das três semi-finais masculinas que tiveram início pelas 15h30. Para Ricardo Batista, a prova não correu da melhor forma, depois de sair da água e ao tentar integrar-se no 1ºgrupo do ciclismo, sofreu uma queda sem consequências graves para o atleta, mas que o impossibilitou de prosseguir a sua prova devido a problemas técnicos com a sua bicicleta.

Naquela que foi a sua 1ªparticipação numa prova europeia de triatlo, José Pedro Vieira esteve ao seu nível, saindo no segmento de natação em 4ºlugar com um tempo de 6m23s, conseguiu aguentar bem o 1ºgrupo de ciclismo composto por 9 atletas que chegaram destacados ao parque de transição. Esta 3ªsemi-final foi a mais rápida das eliminatórias disputadas, e José Pedro Vieira quando partiu para a corrida sabia que teria de aguentar um ritmo bastante forte imposto pelos seus adversários, o que viria a determinar o seu 14ºlugar com um tempo total de 38m40s.

No apuramento para a final, aonde participam apenas 30 atletas dos 93 inscritos, os critérios de selecção não estiveram do lado dos portugueses. José Pedro Vieira ao obter o 27º melhor tempo e Tiago Fonseca o 30º, ambos não se qualificaram para a final, uma vez que foram apurados os primeiros 9 atletas de cada semi-final, e os 3 melhores tempos seguintes. No entanto, 3 portugueses conseguiram alcançar este apuramento, Vasco Vilaça, Guilherme Pires e Gabriela Ribeiro, ficando ainda pelas semi-finais, Mariana Vargem, Rita Fardilha e Margarida Lopes.

De salientar que nesta seleção nacional, também esteve presente na Hungria, o técnico torrejano Paulo Antunes que integrou o staff técnico.

Campeonato Ibérico de Triatlo em Badajoz (Espanha)
 

Neste domingo, dia 3 de Julho, disputou-se em Badajoz, o Campeonato Ibérico de Triatlo, numa organização conjunta da Federação de Triatlo Espanhola e Portuguesa, e a Escola de Triatlo de Torres Novas esteve presente com 2 atletas.

MARCO SOUSA, em Veteranos I foi o 3ºmelhor triatleta ibérico no seu escalão, demonstrando mais uma vez que se encontra num bom momento de forma.

No mesmo escalão, Pedro Razões Silva foi 22ºclassificado.

No próximo fim-de-semana, realiza-se em Esposende, mais uma etapa do Campeonato Nacional de Triatlo Jovem, no sábado, e uma etapa da Taça de Portugal no domingo, que será simultaneamente a prova única do Campeonato Nacional de Triatlo para Cadetes e Juniores.

Fonte: Escola de Triatlo de Torres Novas

“Triatlo/Benfica 'contrata'... Um padre”

Ismael Teixeira é 'reforço' das águias

Por: José Morgado

O Benfica anunciou esta segunda-feira o início de uma parceria institucional com o Padre Ismael Teixeira, ou 'Padre de Ferro' como é conhecido no triatlo.

Padre há 15 anos e professor universitário, o gosto pelo desporto levou-o à prática de duatlo e para chegar ao Triatlo, teve de ter aulas de natação, acabando por participar na prova de Triatlo Olímpico de Lisboa.

Ismael vai agora enfrentar a maior prova da sua vida: o Ironman, que terá lugar em Copenhaga no dia 21 de agosto. Composta por 3,8 km de natação, 42,5 km de corrida e 180 km de bicicleta, é considerada por muitos um desafio extremo à resistência do corpo humano.


"A importância desta parceria passa pelo amor à camisola, ao meu clube do coração desde pequeno", afirmou Ismael Teixeira à BTV.

Fonte: Record on-line

“Campeonato Nacional/Bmx”

André Martins campeão nacional de BMX

André Martins (Team BMX Asas da Cidade) venceu hoje, em Setúbal, a prova de elite do Campeonato Nacional de BMX Race, uma competição que integrou o programa de Setúbal – Cidade Europeia do Desporto 2016.

O campeão foi acompanhado no pódio pelo colega de equipa Dário Piedade e por Carlos Rosado (Clube Bicross de Portimão), segundo e terceiro, respetivamente.

A jovem Carolina Claro (Casa do Povo da Abrunheira), ainda com idade de cadete, venceu a competição feminina para maiores de 15 anos, seguida pela elite Liliana Almeida (Viseu 2001/BTT 100 Rumo) e pela master Vânia Mota (Team BMX Asas da Cidade).

Igor Matias (Team BMX Asas da Cidade) foi o primeiro na categoria sénior, Hugo Martins (Team BMX Asas da Cidade) impôs-se em masters e Paulo Domingues (MS Racing Portugal) triunfou em cruisers. André Duarte (Clube Bicross de Portimão) foi o primeiro júnior, categoria em que não foram atribuídos títulos, devido a participarem apenas quatro ciclistas.

O Team BMX Asas da Cidade ganhou a classificação coletiva.

Fonte: FPC

“Jogos Olímpicos/Seleção Nacional/Liberty Seguros

Equipa experiente em torno de Rui Costa nos Jogos Olímpicos

Portugal vai participar na corrida de fundo dos Jogos Olímpicos com uma equipa experiente, que terá a missão de apoiar o chefe de fila, Rui Costa. A aposta para o contrarrelógio recai sobre Nelson Oliveira.

O selecionador nacional, José Poeira, escolheu três corredores que já sabem o que é competir no mais importante evento desportivo global. André Cardoso (Cannondale), Nelson Oliveira (Movistar) e Rui Costa (Lampre-Merida) estarão pela segunda vez nos Jogos Olímpicos, ao passo que José Mendes (Bora-Argon18) irá estrear-se no Rio de Janeiro.

O quarteto competirá na prova de fundo, no dia 6 de agosto. Nelson Oliveira terá ainda a incumbência de representar Portugal no contrarrelógio, quatro dias mais tarde.

Portugal parte com ambição de lutar pelas posições cimeiras, tanto na prova de fundo como no contrarrelógio. “O ciclismo é das modalidades mais competitivas de todas, pratica-se em todo o Mundo e praticamente todos os países têm atletas de eleição. Além disso, estaremos numa corrida muito difícil de controlar, pois as seleções mais representadas têm apenas cinco corredores. O resultado é muito imprevisível, mas iremos trabalhar para estar na discussão da corrida”, avança o selecionador nacional.

A escolha da equipa para a prova de fundo obedeceu a uma aposta assumida em Rui Costa. “É um corredor de grande classe, que já deu mostras de poder conquistar grandes vitórias a nível internacional. Tem toda a nossa confiança e a equipa foi construída tendo em mente os vários momentos da corrida e os diferentes tipos de trabalho que será necessário desenvolver para que o nosso chefe de fila esteja em condições de bater-se com os melhores”, assume o técnico.

José Poeira já reconheceu o percurso do contrarrelógio e da prova de fundo e ficou satisfeito com o que viu no Rio de Janeiro. “A corrida de fundo é como se fosse uma etapa de montanha muito extensa”, diz o selecionador, que espera que a verdadeira triagem de valores aconteça nos últimos 80 quilómetros: “quem tiver aspirações precisa de estar bem colocado desde a entrada neste troço final, feito num circuito duro e sinuoso. O pelotão irá ficar reduzido com a passagem dos quilómetros e aquilo que restar do grupo tanto poderá partir a subir como a descer”, antecipa.

O exercício individual “nâo vai disputar-se num percurso de contrarrelógio típico, mas penso que favorece o Nelson. Tem zonas planas, onde se desenvolvem grandes andamentos e se atingem velocidades elevadas, mas também subidas onde os roladores mais fortes sentirão dificuldades. Penso que se enquadra nas caraterísticas dos contrarrelogistas portugueses. Tenho pena que só tenhamos apurado um elemento para o contrarrelógio”, conclui José Poeira.

Convocados

André Fernando Santos Martins Cardoso

Data de Nascimento: 03/09/1984

Naturalidade: Gondomar

Equipa: Cannondale

Participações Anteriores: 72.º na prova de fundo em Pequim 2008

José João Pimenta Costa Mendes

Data de Nascimento: 24/04/1985

Naturalidade: Selho, Guimarães

Equipa: Bora-Argon18

Participações Anteriores: Estreia em 2016

Nelson Filipe Santos Simões Oliveira

Data de Nascimento: 06/03/1989

Naturalidade: Vilarinho do Bairro, Anadia

Equipa: Movistar

Participações Anteriores: 18.º no contrarrelógio e 69.º na prova de fundo em Londres 2012

Rui Alberto Faria Costa

Data de Nascimento: 05/10/1986

Naturalidade: Póvoa de Varzim

Equipa: Lampre-Merida

Participações Anteriores: 13.º na prova de fundo em Londres 2012

Fonte: FPC

“Tour/'Photo finish' dá 28.ª vitória a Mark Cavendish no Tour”

Foto: Lusa

Com o triunfo de hoje, o britânico, de 31 anos, escreveu uma nova página na sua história particular do Tour, igualando o francês Bernard Hinault.
A monotonia da terceira etapa da Volta a França só foi quebrada nos centímetros finais, com o ‘empate’ entre Mark Cavendish e André Greipel a obrigar à intervenção do ‘photo finish’ para entregar o ‘bis’ ao ciclista britânico.
Os 223,5 quilómetros entre Granville e Angers tornaram-se demasiado longos perante a inércia do pelotão, com os únicos momentos emocionantes da terceira tirada a surgirem nos metros iniciais, quando o luso-descendente Armindo Fonseca (Fortuneo-Vital Concept) arrancou para a fuga do dia, posteriormente integrada por Thomas Voeckler, e nos metros finais, quando os velhos rivais Cavendish e o alemão Andre Greipel cortaram o risco lado a lado.
O alemão da Lotto Soudal ainda ergueu o punho em sinal de vitória, mas foi o homem da ilha de Man quem conquistou o segundo triunfo em três etapas, depois do ‘photo finish’ ter ditado que a roda da bicicleta do ciclista da Dimension Data foi a primeira a passar a meta.
“Pensei que era minha, mas nunca sabemos. Era preciso esperar”, admitiu ‘Cav’, que ficou especado, de verde vestido e com uma multidão à sua volta, até ver a organização confirmar aquilo que o seu sexto sentido já lhe havia dito.
Com o triunfo de hoje, o britânico, de 31 anos, escreveu uma nova página na sua história particular do Tour, igualando o francês Bernard Hinault como segundo ciclista mais vitorioso nas 103 edições, com 28 etapas.
“Planeámos esta etapa, eu sabia que teria de arrancar de trás. Por isso, é que quando o Mark [Renshaw] arrancou, eu quis estar na roda do Greipel. No ano passado, quando não ganhei o primeiro ‘sprint’, fiquei nervoso e talvez me tenha precipitado nas etapas seguintes. Pensei que poderia acontecer o mesmo ao Greipel hoje”, explicou o antigo ‘bad boy’, que uma vez mais protagonizou uma imagem familiar, ao subir ao pódio com os seus dois filhos.
Dominador dos ‘sprints’ no ano passado, o alemão da Lotto Soudal voltou a ser relegado para os lugares de honra, conseguindo ainda assim melhor do que o seu compatriota Marcel Kittel (Etixx-QuickStep), que foi apenas sétimo, numa tirada que ficará na história pessoal de um luso-descendente.
Há um terceiro ‘português’ nesta Volta a França e, hoje, Armindo Fonseca apresentou-se àqueles que ainda não o conheciam, lançando-se numa empreitada alucinante: em fuga desde os primeiros metros, o francês de origens portuguesas da Fortuneo-Vital Concept chegou a ter mais de 11 minutos da vantagem sobre o pelotão - ao quilómetro 15 já tinha 6.30.
Fonseca, um francês cujo pai é um emigrante de Fafe, queria passar isolado na sua terra natal, Ile-et-Vilaine, e conseguiu-o, antes de ser ‘apanhado’ por Thomas Voeckler (Direct Énergie), que aproveitou a apatia generalizada do pelotão, em modo ‘descanso’ depois das nervosas duas primeiras jornadas, para se juntar ao homem da frente ao quilómetro 140.
Já em duo, os franceses viram as equipas dos ‘sprinters’, com Lotto Soudal e Etixx-QuickStep à cabeça, assumirem a perseguição e neutralizarem a sua tentativa a oito quilómetros da meta. Chegava assim ao fim o sonho de Armindo Fonseca, que viu o seu esforço premiado com o prémio de mais combativo na etapa.
No ‘sprint’ final, o camisola amarela ainda tentou chegar às bonificações, mas o seu quarto lugar na tirada mantém a classificação geral inalterada: o eslovaco da Tinkoff tem oito segundos de vantagem sobre o francês Julian Alaphilippe (Etixx-QuickStep) e dez sobre o espanhol Alejandro Valverde (Movistar), com Chris Froome (Sky) na quarta posição, a 14 segundos.
No pelotão chegaram todos os homens importantes, incluindo os portugueses Rui Costa (Lampre-Merida) e Nelson Oliveira (Movistar), que ocupam agora, respetivamente, as 19.ª e 90.ª posições da geral.
O líder da Lampre-Merida vai partir para a etapa mais longa da 103.ª edição, uma ligação de 237,5 quilómetros entre Saumur e Limoges, com 14 segundos de atraso para Peter Sagan, enquanto Nelson Oliveira está a 03.06 minutos.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Tour/Mark Cavendish 'bisa' na 3ª etapa do Tour”

Foto: JEFF PACHOUD / AFP

O ‘photo finish’ mostrou que foi Cavendish o vencedor, com o francês Bryan Coquard (Direct Énergie) a ser o terceiro.
O ciclista britânico Mark Cavendish (Dimension Data) somou hoje a sua segunda vitória na 103.ª Volta a França, ao vencer a terceira etapa no ‘desempate’ no ‘photo finish’.
Embora tenha sido o alemão André Greipel (Lotto Soudal) a festejar o triunfo em Angers, no final dos 223,5 quilómetros desde Granville, o ‘photo finish’ mostrou que foi Cavendish o vencedor, com o francês Bryan Coquard (Direct Énergie) a ser o terceiro.
Quarto classificado na terceira etapa, com as mesmas 05:59.54 horas do vencedor, o eslovaco Peter Sagan (Tinkoff) manteve a camisola amarela e, na terça-feira, vai partir para a quarta etapa, uma ligação de 237,5 quilómetros entre Saumur e Limoges, com oito segundos de vantagem sobre o francês Julian Alaphilippe (Etixx-QuickStep) e dez sobre o espanhol Alejandro Valverde (Movistar).
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa