sábado, 2 de julho de 2016

“Tour/Rui Costa: «Primeira etapa complicada com chuva e vento»”

Português da Lampre-Merida espera "primeiros dias complicados"

Marco Martins

Foto: EPA/Arquivo

O Tour iniciou-se este sábado no mítico Mont Saint-Michel com uma primeira etapa de 188 quilómetros até Utah Beach Sainte-Marie-du-Mont, uma etapa inicial na qual o vento poderá ter um papel importante.

Em exclusivo, Rui Costa, corredor português da Lampre-Merida, falou com Record poucos minutos antes da partida. "Começar o Tour já com estas condições, de não se saber bem quando vai chover e com este vento, vai ser uma dificuldade, mas certamente vai haver zonas mais protegidas. Sabemos, além disso, que o início do Tour é sempre muito complicado. Toda a gente quer estar na frente, toda a gente quer estar bem colocado para posicionar bem os líderes. Estes primeiros dias vão ser complicados, com muito nervosismo, mas já estamos habituados e vamos fazer o nosso melhor", afirmou o ciclista português.

E concluiu: "O Tour tem esta particularidade de ter sempre muito nervosismo no pelotão. Costumo sempre dizer que para esta volta, todo o mundo está bem, todo o mundo tem força e qualquer atleta que se quer colocar tem forças para isso nas primeiras etapas. Começar assim o Tour já com vento, e vai estar o dobro do vento na chegada, é verdade que complica esta primeira etapa".

Fonte: Record on-line

“Tour/Contador caiu, mas vai continuar no Tour”

Foto: Javier Etxezarreta / EPA

Ciclista sofreu este sábado uma queda na primeira etapa do Tour.
O ciclista espanhol Alberto Contador (Tinkoff) garantiu hoje que o seu assalto à Volta a França ainda não acabou, mas assumiu que a queda na primeira etapa o deixou bastante maltratado do lado direito do corpo.
“Tenho a parte direita do corpo toda dorida, está realmente maltratada. Vou parar um pouco e tentar avaliar a minha condição”, disse o vencedor das edições de 2007 e 2009 mal cortou a meta em Utah Beach, no final da primeira etapa.
Contador caiu a cerca de 78 quilómetros da meta, ao traçar mal uma curva à saída de uma rotunda para ir embater num separador, numa altura em que o vento ameaçava criar cortes no pelotão.
“Não é a melhor maneira de começar. Em teoria, este era um dia tranquilo, mas complicou-se. É um golpe considerável. Mas, pelo menos, não serei forçado a abandonar [como aconteceu em 2014]”, reconheceu, prometendo, contudo, que o Tour ainda não acabou para si e que irá tentar recuperar na montanha.
Depois de receber tratamento no autocarro da equipa, o espanhol, de 33 anos, detalhou que tem feridas desde o tornozelo ao ombro direito.
“Puseram-me gelo, para evitar que inflame mais. É assim o ciclismo, muitos meses de preparação e no primeiro dia cais”, lamentou.
O líder da Tinkoff vai agora aguardar pelas próximas horas para conhecer o verdadeiro alcance das lesões.
“O ombro causa-me algumas dúvidas, quando o coloco em determinadas posições. Vamos ver. Penso que com o passar das horas, isto esfriará e terei mais dores”, completou.
Contador tem um historial recente de quedas na Volta a França, tendo caído na primeira etapa de 2011 e na décima etapa de 2014, sendo mesmo forçado a desistir nesta ocasião.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Tour/Rui e Nélson agora em lados opostos”

Por: Ana Paula Marques

Oliveira vai ajudar Nairo Quintana

Depois de terem competido na mesma equipa, a Lampre, nos dois últimos anos (2014 e 2015), Rui Costa e Nelson Oliveira estão agora em lados opostos. O primeiro, para disputar o seu terceiro Tour com a equipa italiana; o segundo integrado na formação espanhola Movistar.

O objetivo de Nelson Oliveira, 27 anos, em França, não muda muito em relação aos anos anteriores. Do apoio a Rui Costa, o tricampeão nacional de contrarrelógio vai agora trabalhar para um colombiano, Nairo Quintana, na árdua tarefa de o conduzir à camisola amarela em Paris. Por isso, não haverá muita margem para Nelson e os colegas poderem pensar em metas pessoais... Ainda assim, haverá dois contrarrelógios onde o português poderá dar nas vistas, num ensaio rumo aos Jogos Olímpicos, onde, tudo indica, será o representante do nosso país nesta prova, correndo também a de estrada. Mas isso são contas para mais tarde, para o mês de agosto e no Brasil.

Liderança repartida

E que papel será o de Rui Costa, de 29 anos, na edição deste ano do Tour? O poveiro, depois de duas desistências, continua a ser uma das apostas da equipa, mas este ano com uma liderança repartida. O sul-africano Louis Meintjes, de 24 anos, surge como a ‘sombra’ para roubar protagonismo ao português, o que pode até ser benéfico, libertando o campeão do Mundo de 2013 de alguma pressão.

Na apresentação das equipas, Rui Costa já teve um discurso adequado ao que lhe pode estar destinado a partir de hoje, ou seja, estar na discussão das etapas. Recorde-se que o ciclista da Aguçadoura já soma três triunfos na emblemática corrida francesa, conquistados em 2011 e dois em 2013. Não esquecer, ainda, que o poveiro está em final de contrato com a Lampre.

Fonte: Record on-line

“Tour/Cavendish veste a camisola amarela”

Foto: ERIC FEFERBERG / AFP

O ciclista britânico venceu ao ‘sprint’ a primeira etapa da Volta a França.
O ciclista britânico Mark Cavanedish (Dimension Data) tornou-se hoje no primeiro líder da Volta a França, ao vencer ao ‘sprint’ a primeira etapa, que ligou Mont-Saint-Michel a Utah Beach Sainte-Marie-du-Mont.
Num ‘sprint’ reduzido devido a uma queda já dentro do quilómetro final, Cavendish foi o mais rápido, cumprindo em 4:14.05 horas os 188 quilómetros da prova, à frente do alemão Marcel Kittel (Etixx-QuickStep) e do eslovaco Peter Sagan (Tinkoff).
No domingo, corre-se a segunda etapa, entre Saint-Lô e Cherbourg-en-Cotentin, num percurso de 183 quilómetros, que terá uma contagem de montanha de terceira categoria a menos de dois quilómetros do final.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Seleção Nacional/Liberty Seguros/XCO”

Gonçalo Amado 18.º na prova de sub-23 do Mundial de XCO

O português Gonçalo Amado foi hoje o 18.º classificado na corrida de sub-23 do Campeonato do Mundo de Cross Country Olímpico (XCO), disputada em Nove Mesto na Morave, República Checa.

O corredor gaiense fez uma corrida em crescendo, acabando a 5m41s do vencedor, o neozelandês Samuel Gaze. O pódio completou-se com o francês Victor Koretzky, a 50s do primeiro, e com o suíço Marcel Guerrini, a 1m04s.

José Dias também representou a Seleção Nacional/Liberty Seguros na corrida deste sábado, sendo o 29.º sub-23 a cortar a meta, a 7m11s do campeão mundial.

“Foi uma corrida louca, com grande andamento. O Gonçalo Amado esteve sempre na luta pelo top 20 e conseguiu cumprir o objetivo. O José Dias também esteve bem, apesar de ter partido mal, o que o levou um esforço acrescido para conseguir um lugar no top 30”, afirma o selecionador nacional, Pedro Vigário.

A participação lusa neste mundial iniciou-se na sexta-feira, com a prova de juniores masculinos. João Rocha foi o 22.º, a 4m06s do vencedor, o francês Thomas Bonnet. Bruno Silva foi o 52.º, a 9m15s.

O Campeonato do Mundo de XCO termina neste domingo. Às 10h00, Joana Monteiro entra em pista para a corrida de sub-23. Às 14h00, David Rosa, Mário Costa e Tiago Ferreira defendem a bandeira nacional na prova de elite.

Fonte: FPC

“Campeonato Nacional Estrada”

Renato Costa conquista título de cadetes

Renato Costa (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) venceu hoje a prova de fundo para cadetes do Campeonato Nacional de Estrada, que decorre, até amanhã, em Vila Flor.

A vitória do corredor barcelense começou a desenhar-se com pouco mais de metade dos 81,2 quilómetros de prova já deixados para trás. Foi nesse altura que Renato Costa saiu do pelotão na companhia de Rafael Rita (BTT Loulé/BPI), em perseguição a Wilson Esperança (Alcobaça CC/Crédito Agrícola).

O trio juntou-se na frente e ganhou vantagem suficiente para discutir entre si a vitória. Na primeira abordagem à meta, Wilson Esperança teve um engano no percurso que o afastou dos dois colegas de aventura. Uns metros adiante, na subida em empedrado para a linha de meta, Renato Costa isolou-se no comando e nunca mais largou essa posição, nos 20 quilómetros que ainda faltavam para o final.

Renato Costa aproveitou o circuito final – o exigente traçado ontem usado no contrarrelógio – para consolidar a vantagem. Chegou isolado, ao fim de 2h23m34s de corrida. Wilson Esperança deu-se melhor com o circuito final do que Rafael Rita e terminou na segunda posição, a 1m45s. Rita fechou o pódio a 2m24s.

“É uma experiência única vencer um campeonato nacional. Saímos os três do pelotão, a cerca de 40 quilómetros da meta. Entendemo-nos bem, mas na primeira passagem na meta consegui isolar-me e acabei por ganhar”, descreve o campeão nacional.

O Campeonato Nacional de Estrada termina neste domingo, com a disputa de duas provas. Às 9h30, sai para a estrada o pelotão feminino. As corredoras de elite terão de cumprir 98 quilómetros, as juniores ficam-se pelos 78,4 quilómetros, as cadetes e as masters encerram o esforço aos 58,8 quilómetros. Às 14h00 arrancam os juniores para uma corrida de 123,5 quilómetros.

Classificação

Vila Flor – Vila Flor, 81,2 km

1.º Renato Costa (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact), 2h23m34s

2.º Wilson Esperança (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), a 1m45s

3.º Rafael Rita (BTT Loulé/BPI), a 2m24s

4.º Miguel Sousa (CRC/Garbo/Vegas Cosmetics), a 2m29s

5.º Pedro Silva (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact), a 2m35s

6.º Guilherme Mota (Marrazes/Gui/Breijinho/Bike Zone Leiria), a 2m42s

7.º António Ferreira (Moreira Congelados/Feira/Bicicletas Andrade), mt

8.º Afonso Silva (Mato Cheirinhos/Liberty Seguros/Vila Galé), mt

9.º Diogo Vieira (Tensai/Sambiental/Santa Marta), mt

10.º Hélder Gonçalves (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact), mt

Fonte: FPC