quinta-feira, 23 de junho de 2016

“Stefan Kung falha Jogos Olímpicos por lesão”

Fonte: Lusa

Campeão mundial de perseguição de ciclismo de pista não estará no Rio de Janeiro

O suíço Stefan Kung, campeão mundial de perseguição individual de ciclismo de pista, em 2015, vai falhar os Jogos Olímpicos Rio'2016, devido a uma queda no contrarrelógio dos campeonatos suíços, na quarta-feira.

Segundo a equipa do ciclista, a BMC, Kung, de 22 anos, fraturou a clavícula esquerda e o osso ilíaco, não devendo recuperar a tempo de integrar a delegação suíça presente no Rio de Janeiro.

"Stefan [Kung] vai precisar de quatro a seis semanas para voltar a uma bicicleta", explicou o responsável pelo departamento médico da equipa norte-americana, Max Testa, no comunicado distribuído pela equipa.


Os Jogos Olímpicos Rio'2016 disputam-se entre 5 e 21 de agosto.

Fonte: Record  on-line

“World Tour de ciclismo com menos um equipa e com provas da ASO”

 

Foto: KENZO TRIBOUILLARD / AFP
Em 2017, o World Tour terá 17 equipas, menos uma do que este ano, devendo ser reduzidas para 16 em 2019.
A União Ciclista Internacional (UCI) decidiu voltar a incluir provas da ASO, organizadora das voltas a França e a Espanha, no World Tour de 2017, que terá apenas 17 equipas.
No calendário, que será anunciado nos próximos dias e que foi aprovado pelo Conselho Ciclista Profissional (CCP), vão estar novas corridas, que vão receber uma licença de três anos, reentrando as provas da ASO, que tinha deixado o World Tour, por considerá-lo “uma estrutura fechada”.
Em 2017, o World Tour terá 17 equipas, menos uma do que este ano, devendo ser reduzidas para 16 em 2019. A equipa com melhor pontuação na categoria continental terá direito a disputar o principal circuito mundial.
O presidente da UCI, Brian Cookson, considerou este acordo como “um avanço importante para as reformas do ciclismo no futuro”, com o presidente da Associação de Organizadores e diretor do Tour, Christian Prudhomme, a mostrar-se "encantado por se ter chegado a um acordo”.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa  

“Nelson Oliveira em busca do 'tri' no contrarrelógio”

A corrida compreende 11 voltas a um circuito de 16,1 quilómetros e constante sobe e desce, com partida e chegada no Sameiro e passagem pelo Bom Jesus.

Foto: EPA/JAVIER LIZON
Nelson Oliveira, bicampeão português de contrarrelógio, vai defender o título nos Nacionais de ciclismo de estrada, em Braga, na sexta-feira, dois dias antes da corrida de fundo, que terá certamente novo campeão, dada a ausência de Rui Costa.
Depois de ter sido palco dos campeonatos no ano passado, Braga volta a acolher os corredores de elite e sub-23 masculinos para a discussão dos títulos de 2016, apresentando de novo as subidas ao Sameiro e ao Bom Jesus como principais pontos das provas de fundo.
No domingo, sem Rui Costa (Lampre-Merida) nem Tiago Machado (Katusha) na linha de partida, Jóni Brandão (Efapel), o corredor que ficou entre ambos no pódio de 2015 e que este ano ganhou o Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela, será um dos candidatos a envergar a camisola de campeão nacional e assim repetir o título alcançado em 2013.
Depois de 'unificar' os dois títulos em 2014, Nelson Oliveira (Movistar) volta a disputar o contrarrelógio e a prova em linha, nas quais terá a concorrência de outros dois 'emigrantes', Ricardo Vilela (Caja Rural-Seguros RGA) e José Mendes (Bora-Argon 18), que também alinham em ambas as variantes.
André Cardoso (Cannondale), este ano 14.º na Volta a Itália, os irmãos José e Domingos Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA), dos quais o primeiro venceu a Volta à Turquia, e Bruno Pires (Team Roth) vão apresentar-se na prova de fundo, que terá 177 quilómetros.
A corrida compreende 11 voltas a um circuito de 16,1 quilómetros e constante sobe e desce, com partida e chegada no Sameiro e passagem pelo Bom Jesus. No sábado, os sub-23 terão de percorrer nove voltas, para um total de 144,9 quilómetros de prova, na qual Nuno Bico (Klein Constantia) defende o título.
Os Nacionais arrancam na sexta-feira, com as provas de contrarrelógio, uma de 36 quilómetros, para os elites, entre os quais Nelson Oliveira procura o terceiro vitória consecutiva, e outra de 27 quilómetros, para os sub-23, cujo título de 2015 foi conquistado por José Fernandes.

Programa:
- sexta-feira, 24 jun:
11:00 - Contrarrelógio sub-23, 27 km.
16:00 - Contrarrelógio elites, 36 km.
- sábado, 25 jun:
15:00 - Prova de fundo sub-23, 144,9 km.
- domingo, 26 jun:
11:00 - Prova de fundo elites, 177,1 km.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“GP Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho”

Pelotão de quatro continentes homenageia Agostinho

Um pelotão de 18 equipas e 125 corredores, oriundos de quatro continentes – África, América, Ásia e Europa -, vai disputar, entre 7 e 10 de julho, a 39.ª edição do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho.

A corrida portuguesa que integra há mais tempo ininterruptamente o calendário internacional terá, em 2016, três etapas em linha e um prólogo em sistema de contrarrelógio individual, totalizando 488,3 quilómetros.

Depois de, há um ano, a prova ter sido decidida apenas nos últimos metros, os locais de chegada repetem-se em 2016, esperando-se emoção até ao derradeiro sopro de corrida. Teoricamente, os escaladores levam vantagem, embora tenham de defender-se na jornada de abertura, um contrarrelógio individual de 8 quilómetros, a percorrer no Turcifal, a partir das 17h00 do dia 7 de julho.

A primeira etapa em linha, no dia seguinte, é a tirada mais longa, com 179 quilómetros a percorrer entre a Adega Cooperativa de S. Mamede da Ventosa e o alto de Montejunto. A meta coincide com uma contagem de montanha de primeira categoria. É uma escalada de 5,9 quilómetros (desde Pragança) com uma inclinação média de 7,4 por cento.

A segunda etapa, no sábado, 9, começa nas instalações de Santos & Santos, nas Palhagueiras, e termina no centro da cidade torriense, depois de percorridos 154,3 quilómetros, que incluem o tradicional Circuito de Torres Vedras, proporcionando ao público a oportunidade de ver os corredores em diferentes ocasiões, uma vez que a etapa só encerra à quinta passagem pela meta. É a única oportunidade para os velocistas, que, ainda assim, terão de resistir ao sobe e desce da serra da Vila, se quiserem disputar a tirada junto à estátua de Joaquim Agostinho. 

A corrida termina no dia 10 com a viagem mais curta, 147 quilómetros, entre Atougia da Baleia e o Parque Eólico da Carvoeira. A meta coincide com uma contagem de montanha de terceira categoria, mas antes de ali chegarem os corredores terão já ultrapassado outras duas subidas pontuáveis para a classificação dos trepadores.

Equipas

Continentais

Efapel, LA Alumínios-Antarte, Louletano-Hospital de Loulé, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto (Portugal), Burgos BH e Euskadi Basque Country-Murias (Espanha), Armée de Terre (França), Boyacá Raza de Campeones (Colômbia), Bridgestone Anchor Cycling Team (Japão), ISD-Jorbi (Ucrânia), Lokosphinx (Rússia) e NASR Dubai (Emirados Árabes Unidos).


Seleções Nacionais: Seleção de Marrocos 

Equipas de Clube: Anicolor, Goldwin/Team José Maria Nicolau e Sicasal/Constantinos/UDO (Portugal)


Etapas

Prólogo: Turcifal – Turcifal, 8 km. Partida 1.º corredor: 17h00

1.ª etapa: 11h45, Ventosa (Adega Cooperativa) – Alto de Montejunto, 16h05 | 179 km

2.ª etapa: 12h45, Palhagueiras (Santos & Santos) - Torres Vedras (circuito), 16h30 | 154,3 Km

3.ª etapa: 12h15, Atougia da Baleia – Carvoeira (parque eólico), 15h50 | 147 km

Fonte:FPC

“Conferência”

Desafios e Oportunidades dos centros de BTT em debate no Fundão

A Federação Portuguesa de Ciclismo organiza, no dia 28 de junho, no Fundão, a Conferência "Centros de BTT - Desafios e Oportunidades".

Esta iniciativa tem como objetivo promover uma reflexão sobre a evolução dos Centros de BTT em Portugal, analisar as tendências internacionais e identificar as oportunidades de dinamizar as infraesturutas já existentes e de alargar, sustentavelmente, a rede portuguesa.

Os centros de BTT são infraestruturas permanentes de apoio à prática de BTT em percursos marcados e adaptados a diferentes níveis de praticantes que, um pouco por toda a Europa, têm vindo a afirmar-se como importantes instrumentos para a dinamização de um setor relevante do turismo em bicicleta e do turismo de natureza.

A sessão de abertura da conferência, às 11h00, contará com a presença do presidente da Câmara Municipal do Fundão, Paulo Fernandes, do presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, e do representante do Turismo de Portugal, Pedro Machado. Segue-se, até à hora de almoço, um painel sobre planeamento, construção, manutenção, divulgação e dinamização dos centros de BTT.

Às 14h30, Joaquim Lombard, da Federação Francesa de Ciclismo, apresenta o funcionamento dos centros de BTT em França, país onde estes equipamentos têm um enorme impacto. O papel das empresas de animação turísticas encerra as intervenções vespertinas.

A conferência da próxima terça-feira tem como principais destinatários os técnicos dos Centros de BTT já existentes, todos aqueles que já frequentaram cursos de formação de técnicos de Centros de BTT, as Associações Regionais de Ciclismo e os Clubes. É, no entanto, uma iniciativa aberta a todos os interessados.

As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias. Prazo limite para inscrições: 13h00 de 24/6/2016

Fonte: FPC

“Atualização do Canal NP-TV com o “Vídeo do 2º Passeio Vitória Clube Lisboa.2016”

A Revista Notícias do Pedal acaba de atualizar o seu canal de televisão “Notícias do Pedal-TV” no YouTube e no MEO/KANAL com o “Vídeo do 2º Passeio Vitória Clube Lisboa.2016”


Para ver o vídeo no MEO/KANAL, quem possuir MEO, pode aceder carregando na tecla verde do comando, inserir o código 531450, e ver no MEO/KANAL este e outros filmes, podendo consultar toda a programação. Podem ver ainda através do seguinte link: https://kanal.pt/lista-canais/comunicao-social/lisboa/vila-franca-de-xira/?display=grid&order=updated 

Desejamos que passem e recordem bons momentos.