terça-feira, 21 de junho de 2016

“Caramulo recebeu 55 motos com mais de 30 anos”

SEXTA EDIÇÃO DO RIDER MARCADA POR GRANDE PARTICIPAÇÃO INTERNACIONAL

Decorreu este fim-de-semana o Rider – Passeio de Motos Clássicas, que juntou no Caramulo cerca de 55 motos clássicas, de proveniências tão distintas como Espanha, França, Reino Unido, Holanda ou Alemanha.

A elevada afluência de participantes, que contou com o maior número de sempre de estrangeiros, afirma o Rider pela sua singularidade, colocando-o assim na lista de passeio de motos de referência internacional. Na edição deste ano, destaca-se a presença de um participante alemão de 70 anos, que veio desde a Alemanha num BMW com sidecar, na companhia da sua mãe, com mais de 90 anos de idade.

Com passagem pela eleita “melhor estrada do mundo para conduzir”, e com a paisagem do rio Douro em pano de fundo, foram colocadas à prova motos que, com mais de 30 anos de existência, demonstraram a perícia da condução em asfalto e do equilíbrio entre rectas e curvas, algumas delas bem sinuosas.

Ao longo dos três dias de passeio, tanto os participantes nacionais, como estrangeiros, foram sucessivamente surpreendidos pelos mais insólitos recantos de Portugal, desde a costa litoral até ao interior do país.

Destaca-se alguns dos pontos mais emblemáticos da Região Centro do país, como os socalcos do Douro vinhateiro, ou a escarpas da Serra da Freita, até às aldeias típicas e rurais da região, como Manhouce.

Com partida e regresso do Caramulo, foi ainda possível degustar a gastronomia típica local, bem como desfrutar da visita à colecção de motos do Museu do Caramulo.

Como tem vindo a ser habitual, foi ainda oferecido um capacete vintage CMS Helmets a um participante do Rider que marcou presença no passeio com uma Norton International de 1953.

Este evento conta com o apoio do Museu do Caramulo, da Câmara Municipal de Tondela, da MotoCiclismo Clásico, do Jornal dos Clássicos, CMS Helmets e do banco BPI.

Fonte: Museu do Caramulo/Parceria Notícias do Pedal

“Agenda de Ciclismo”

Ciclismo de competição e de lazer inunda o Minho

As atenções dos adeptos de ciclismo vão estar voltadas para a região minhota no próximo fim-de-semana. Entre sexta e domingo, Braga recebe os Campeonatos Nacionais de Estrada para Elite e Sub-23. Os campeões de downhill (DHI) serão conhecidos, no domingo, em Arcos de Valdevez. Na sexta, em registo mais relaxado, Guimarães será palco do Passeio Dia Um de Portugal. A “destoar” desta concentração nortenha, Almodôvar é o local escolhido para a discussão dos títulos nacionais de masters, no domingo.

Os nacionais de estrada arrancam com a prova de contrarrelógio para sub-23, na sexta-feira, em Tenões. Cada corredor irá percorrer 27 quilómetros. O início está marcado para as 11h00. O mesmo circuito será usado, às 16h00 para o contrarrelógio de elite. Os corredores mais experientes vão, todavia, pedalar ao longo de 36 quilómetros, resultantes de quatro voltas ao percurso.

O primeiro dos grandes duelos esperados para este fim de semana deverá acontecer no contrarrelógio de elite. Nelson Oliveira (Movistar), em preparação para a Volta a França, tudo fará para revalidar o título. Só que o galvanizado Rafael Reis (W52-FC Porto), o mais produtivos dos ciclistas das equipas lusas em 2016, pretende surpreender e conquistar o primeiro título na categoria de elite. José Mendes (Bora-Argon 18), terceiro no ano passado, poderá intrometer-se.

A prova de fundo para sub-23 corre-se na tarde de sábado. O tiro de partida irá soar às 15h00 e os ciclistas irão enfrentar o duro circuito de 16,1 quilómetros com final no Sameiro, prevendo-se o final da prova para depois das 18h30, após cumpridos 144,9 quilómetros. Estão inscritos os dois melhores de 2015, Nuno Bico (Klein Constantia) e Rúben Guerreiro (Axeon-Hagens Berman), com o segundo a querer desforrar-se da derrota concludente que o primeiro lhe infligiu há um ano.

A corrida rainha é a prova de fundo para elite. Serão 177,1 quilómetros, a disputar a partir das 11h00 de domingo, no mesmo circuito com meta no Sameiro onde, em 2015, uma multidão entusiasta assistiu ao triunfo de Rui Costa (Lampre-Merida).

O campeão em título estará ausente, assim como Tiago Machado (Katusha), mas a lista de inscritos conta com emigrantes de luxo como Ricardo Vilela, Domingos e José Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA), André Cardoso (Cannondale), Bruno Pires (Team Roth), José Mendes e Nelson Oliveira. Para fazer frente aos compatriotas que vêm de fora, o pelotão interno conta com os corredores que, já no ano passado, deram boas indicações, terminando entre os dez primeiros: Joni Brandão (Efapel), Amaro Antunes e Hernâni Broco (LA Alumínios-Antarte) e João Benta (Louletano-Hospital de Loulé). É expectável que Frederico Figueiredo (Rádio Popular-Boavista), Hugo Sabido (Sporting-Tavira), António Carvalho e Joaquim Silva (W52-FC Porto) também tenham uma palavra a dizer.

Outro Campeonato Nacional a realizar no Minho é o de downhill, marcada para domingo, em Arcos de Valdevez. A competição vai decorrer na pista de Proselo. Às 11h00 corre-se a manga de qualificação. A final está marcada para as 14h30.

Os corredores vão encontrar uma pista curta, com apenas 1480 metros, e com uma inclinação média descendente de 15,88 por cento. Emanuel Pombo (Ciclo Madeira Clube Desportivo) tem sido o grande dominador da temporada e, por isso, é o maior favorito. Mas o madeirense terá de contar com a forte oposição de Francisco Pardal (Penacova DH/UD Lorvanense) e de Vasco Bica (MS Racing Portugal), que também sabem o que é triunfar no nacional. No setor feminino, o favoritismo recai sobre Filipa Peres (RG Centro Ótico de Fafe), que, teoricamente, deverá ter como grandes rivais Margarida e Leonor Bandeira.

A festa de ciclismo no Minho arranca na sexta-feira, 24 de junho, feriado de S. João em muitos concelhos do país, mas que, na cidade berço, é a data em que se assinala do Dia 1 de Portugal. Pelo oitavo ano consecutivo, Guimarães recebe o Passeio Dia 1 de Portugal, que tem participação gratuita – embora exija inscrição prévia na página da Associação de Ciclismo do Minho na Internet – e a presença de algumas figuras do ciclismo português, como Tiago Machado, Delmino Pereira ou Cândido Barbosa.

A partida será dada junto ao Estádio D. Afonso Henriques, às 10h00, podendo os participantes optar pelo passeio, pelo mini-passeio ou pelos trilhos de BTT.

Noutra região, mas também a merecer destaque, vai disputar-se o Campeonato Nacional de Fundo para Masters e Elites Amadores, em Almodôvar, no domingo. A partida será dada às 9h00. Os corredores mais jovens vão completar 146,5 quilómetros. Os masters 40 e 45 vão pedalar ao longo de 111,7 quilómetros, enquanto os corredores a partir de 50 anos devem cumprir 76,6 quilómetros.

Mais eventos oficiais

25 de junho, 15h00: XCO Sol, Mar e Rio, Canidelo, Vila Nova de Gaia

26 de junho, 9h30: Circuito de S. Pedro, Macedo de Cavaleiros

26 de junho, 9h30: XIV Encontro Juvenil de Milhararado, Mafra

26 de junho, 10h00: Taça Regional de Estrada, Aeródromo da Maia

26 de junho, 11h00: 1.º XCO de Boticas

26 de junho, 12h00: 16.º BTT Gondar Jovem, Guimarães

26 de junho, 15h00: Campeonato Regional de XCO, Quinta S. Lourenço, Açores

Fonte: FPC

“Portugal com três medalhas na Taça da Europa júnior”

Melanie Santos foi 7.ª em sub-23

Por: José Morgado

Portugal conquistou este sábado três medalhas na Taça da Europa de juniores de triatlo, enquanto nos Europeus sub-23 o pódio ficou distante, em Burgas, na Bulgária.

Vasco Vilaça, que já tinha sido primeiro em abril na Quarteira, e Madalena Almeida venceram as respetivas provas, enquanto Duarte Brás levou o bronze no bem-sucedido desempenho dos juniores.

"Foi a minha segunda Taça da Europa da temporada e estou muito satisfeito. Pela vitória, mas também por pequenos aspetos que mostram que estou a evoluir positivamente, como o facto de ter sido o primeiro a sair da água, o que foi a primeira vez que me aconteceu numa prova deste nível", disse Vasco Vilaça, que vive e treina na Suécia, ao sítio da federação.

No Europeu de sub-23, Melanie Santos, sétima, e David Luís, nono, foram os melhores portugueses.

"O sétimo lugar é um bom resultado, pois, apesar de ter dado tudo para conseguir chegar às medalhas, paguei a fatura do acumular de provas nos últimos meses. Vou tirar umas férias para recuperar e voltar em setembro com toda a força", assumiu Melanie, que até há algumas semanas lutou pela qualificação olímpica.

Helena Carvalho foi 27.ª, Andreia Ferrum 28.ª e Ana Ramos 33.ª, enquanto Pedro Gaspar foi 30.º, Leonardo Nunes 34.º, João Ferreira 43.º e Filipe Azevedo 44º.

"É um balanço bastante positivo, especialmente nos juniores, que estiveram num plano elevadíssimo. Estes atletas estão numa fase decisiva do seu desenvolvimento. Mais do que os resultados, queremos expô-los a cenários competitivos cada vez mais exigentes. Precisam competir muito e falhar muito para conseguirem evoluir", resumiu o presidente da federação, Fernando Feijão.

Fonte: Record on-line

“Fernando Silva e Filipa Peres vitoriosos no 7º BTT DHI Penha (Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION)”

Fernando Silva e Filipa Peres voltaram a inscrever o seu nome na lista de vencedores do Campeonato do Minho de BTT DHI – CISION de 2016, ao vencerem, no escalão de elites, o 7º BTT DHI Penha, quarta etapa do campeonato minhoto. Na pista vimaranense, com um traçado renovado, também saíram vitoriosos Bruno Almeida (juniores), João Teixeira (cadetes), Manuel Bessa (master 30), Maurício Conceição (master 40), Joaquim Dias (master 50), Miguel Martins (promoção) e Restauradores da Granja – Centro Óptico de Fafe (equipas).

Promovido pela Associação de Ciclismo do Minho, o 7º BTT DHI Penha foi a quarta prova pontuável para o Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION. A competição, disputada na presença de muito público, teve início junto ao Mini Golfe da Penha, numa pista de Down Hill onde se destaca a paisagem verdejante, fortemente pontuada pela imponência do granito e recantos singulares.

A pista de Down Hill da montanha da Penha sofreu algumas alterações para receber a quarta etapa do Campeonato do Minho BTT DHI – CISION, em que participou cerca de uma centena de pilotos portugueses e espanhóis. Na competição que antecedeu o Campeonato Nacional, a globalidade dos pilotos gostou do traçado da pista e os tempos foram sendo batidos consecutivamente.

Fernando Silva voltou a não dar hipóteses à concorrência, realizando os melhores tempos nas mangas de qualificação e de classificação. O Campeão do Minho relegou o seu colega de equipa Rui Teixeira para o lugar mais baixo do pódio, face à intromissão do espanhol Manuel Cortiñas que averbou o segundo melhor tempo e correspondente segundo lugar do pódio.

Os Restauradores da Granja – Centro Óptico de Fafe mantiveram a hegemonia em elites com Filipa Peres a vencer em femininas deixando Ana Leite (Bicicleta Clube de Felgueiras) no segundo lugar.

Em juniores brilhou a formação vizelense do Desportivo Jorge Antunes, ao alcançar o primeiro e terceiro lugares, respetivamente, por Bruno Almeida e Carlos Martins, com Diogo Pinto (Restauradores da Granja – Centro Óptico de Fafe) no lugar intermédio.

O Campeão do Minho de cadetes, João Teixeira (RG- Centro Óptico de Fafe), voltou a bater a concorrência com João Mesquita (Moto Galos DH Team / ACR Roriz) e Carlos Ramos (Tribu del Nu C.C.) a ocuparem os restantes lugares do pódio.

No escalão de Master 30, Manuel Bessa (Desportivo Jorge Antunes) voltou a ser o mais rápido e bateu Rui Silva (RG- Centro Óptico de Fafe) e Jorge Afonseca (FAC-Famalicense Atlético Clube), respetivamente, segundo e terceiro classificados.

Maurício Conceição (RG-Centro Óptico de Fafe), Campeão do Minho em título, venceu em master 40, tendo Paulo Abreu e Antero Oliveira, ambas do Bicicleta Clube de Felgueiras, a garantirem os restantes lugares de pódio.

Em master 50, venceu Joaquim Dias (Enduro BTT Braga) que se superiorizou ao Campeão do Minho, Augusto Pedrosa (Desportivo Jorge Antunes), enquanto António Freitas (Bicicleta Clube de Felgueiras) ficou em terceiro lugar.

Miguel Martins foi o melhor piloto da promoção na descida da pista da montanha da Penha.

A formação Restauradores da Granja – Centro Óptico de Fafe, Campeã do Minho nos últimos três anos, foi a equipa vencedora, secundada pelo Desportivo Jorge Antunes e o Bicicleta Clube de Felgueiras.

O 7º BTT DHI Penha teve o apoio das seguintes entidades: Federação Portuguesa de Ciclismo, Cision, Arrecadações da Quintã, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, GuimarãeShopping, Decathlon e Bike Magazine (revista oficial).

Fonte: ACM

“Mais de duas centenas de jovens no 9º Troféu de Ciclismo Carlos Carvalho”


Mais de duas centenas de jovens participaram no 9º Troféu Carlos Carvalho promovido em homenagem ao vencedor da 22ª Volta a Portugal em Bicicleta (1959). Alberto Barbosa e Marta Branco foram os vencedores da corrida de juniores realizada em Pousada de Saramagos (Vila Nova de Famalicão). Rodrigo Silva e Jéssica Ribeiro venceram em cadetes, Maria Jesus Barros em elites femininas, Roberto Cardoso e Beatriz Martins em juvenis, João Martins e Nicole Lopes em infantis, David Ferreira e Milza Gonçalves em iniciados e Rui Sabino e Sofia Loução em pupilos/benjamins.

Pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã, o 9º Troféu Carlos Carvalho foi organizado pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Associação de Ciclismo Pousada de Saramagos, tendo sido muito o público que assistiu à competição que reuniu mais de duas centenas de jovens atletas.

Alberto Barbosa (A.C.D.C. - Trofa) venceu a corrida de juniores com a vantagem de 11 segundos para o seu colega de equipa Pedro Braga. Com a diferença de 20 segundos concluíram a prova Pedro Teixeira e Hugo Garcez (ambos da A.C.D.C.  – Trofa) e Pedro Lopes (Escola de Ciclismo Carlos Carvalho). No setor feminino, Marta Branco (ASC / Focus Team - Vila do Conde) venceu em juniores e Maria Jesus Barros (Concello do Porriño / Abanca) em elites.

Em cadetes impôs-se Rodrigo Silva (A.C.D.C. - Trofa) que se superiorizou a Carlos Barreiros (Tensai / Sambiental / Santa Marta) e António Ferreira (Moreira Congelados/Feira/Bicicleta Andrade) que cortaram a meta nas posições seguintes do pódio. Em femininos os três primeiros lugares do pódio foram ocupados por atletas da equipa Moreira Congelados / Feira / Biciletas Andrade, nomeadamente, Jéssica Ribeiro, Diana Marques e Mariana Almeida.

Em juvenis venceram Roberto Cardoso (Tensai / Sambiental / Santa Marta) e Beatriz Martins (União Ciclismo da Trofa). Nos infantis evidenciaram-se João Martins (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia) e Nicole Lopes (Tensai / Sambiental / Santa Marta), em iniciados Tomás David Ferreira (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) e Milza Gonçalves (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia) e em pupilos/benjamins Rui Sabino (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) e Sofia Loução (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia).

Coletivamente a formação Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact venceu nos escalões de escolas e de cadetes, enquanto a A.C.D.C. - Trofa foi a melhor em juniores.

O Troféu Carlos Carvalho foi promovido em homenagem a Carlos Carvalho, vencedor da 22ª Volta a Portugal em Bicicleta (1959), prova disputada ao longo de 26 etapas, num total de 2643,5 quilómetros, à média horária de 33,715 Km/hora. Carlos Carvalho ganhou a "prova rainha" do ciclismo nacional ao serviço do Futebol Clube do Porto.

Organizado pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Associação de Ciclismo Pousada de Saramagos, o Troféu Carlos Carvalho teve o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e conta com os seguintes apoios: Junta de Freguesia de Pousada de Saramagos, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Ciclismo a fundo (revista oficial), Roda na Frente, Luzacril, VizelTrans, Amadeu´s, MST, Nelson Azevedo, Carbike, Electro Firmino, Tipografia Freitas e VIRT.

 

Carlos Carvalho - Vencedor da 22ª Volta a Portugal em Bicicleta

 

Nascido a 2 de Janeiro de 1933 na freguesia de Vermoim (Vila Nova de Famalicão), Carlos Carvalho viveu a maior parte da sua vida na freguesia vizinha de Pousada de Saramagos, tendo aí falecido a 11 de Janeiro de 2004, aos 71 anos de idade.

Ao serviço do Futebol Clube do Porto, Carlos Carvalho venceu a 22ª Volta a Portugal em Bicicleta (1959), prova disputada ao longo de 26 etapas, num total de 2643,5 quilómetros, à média horária de 33,715 Km/hora. A brilhante vitória de Carlos Carvalho foi alcançada no dia 15 de Agosto de 1959, secundado por Jorge Corvo, do Tavira a 5 segundos. Nessa edição da Volta a Portugal, Alves Barbosa sagrou-se vencedor da classificação por pontos e das metas volantes.

Carlos Carvalho começou a destacar-se como ciclista no início da década de cinquenta, nas provas realizadas pela Mabor, vencendo em 1953 o Campeonato Nacional em Amadores/Seniores.

Em 1955 ingressou no Futebol Clube do Porto disputando nesse ano a Volta a Portugal onde arrecadou o segundo lugar na terceira etapa e o Prémio da Montanha, resultado que veio a repetir em 1960 e em 1961. Contribuiu para a vitória coletiva do Futebol Clube do Porto nas Voltas de 1958, 1959 e 1964. Obteve a primeira vitória em etapas da “prova rainha” do ciclismo português em 1957, na 17ª tirada com chegada a Lisboa

Em 1958, Carlos Carvalho venceu a Clássica Porto-Lisboa, foi terceiro na classificação geral da Volta a Portugal e venceu duas das etapas, a 3ª com chegada a Évora e a 9ª na Pista de Alvalade, em Lisboa.

No ano em que venceu a Volta a Portugal, Carlos Carvalho foi terceiro na “Corrida dos Seis Dias”, na Uberlândia, Brasil.

Após 10 anos na equipa do Futebol Clube do Porto, Carlos Carvalho ingressou em 1965 na equipa CEDEMI, de Viana do Castelo, simultaneamente como ciclista e Diretor Desportivo. Na Volta desse ano, fica para a história o “roubo” da camisola amarela a um ciclista espanhol, tudo porque Carlos Carvalho não resistiu ao impulso de ser o primeiro a passar em Vila Nova de Famalicão.

Um ano depois, ainda na CEDEMI, Carlos Carvalho põe termo à carreira de ciclista profissional, modalidade onde alcançou grande prestígio no panorama ciclista nacional e, inclusive, internacional. Carlos Carvalho chegou a participar na Volta à Espanha, integrando a seleção portuguesa onde corriam Alves Barbosa, João Marcelino, Joaquim Carvalho, Sousa Santos, Agostinho Ferreira, José Firmino, Artur Coelho e Manuel Graça.

Depois de deixar de competir, Carlos Carvalho continuou ligado à promoção do desporto, sobretudo junto dos mais jovens.

Na década de 90, a Associação de Ciclismo do Minho promoveu uma distinção a Carlos Carvalho, tendo organizado, no âmbito da ExpoAve, uma exposição onde foi exibida, por exemplo, a bicicleta com que este famalicense vencera a Volta a Portugal de 1959. No dia 23 de novembro de 2013, aquando da Gala de Encerramento da Época Desportiva realizada em Vila Nova de Famalicão, a Associação de Ciclismo do Minho homenageou Carlos Carvalho numa cerimónia, à qual se associou a Federação Portuguesa de Ciclismo e as cerca de cinco centenas de pessoas presentes na Casa das Artes, em que foi recordado o percurso do atleta famalicense.

Em 1993, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Municipal Desportivo, como reconhecimento de uma vida ligada ao fomento do desporto.

Em 1999, a ADRO - Associação Desportiva Outeirense, sediada em Pousada de Saramagos, criou uma escola de ciclismo com o seu nome, tendo por objetivo a formação das crianças e dos jovens do ciclismo. Em 2008 a Associação de Ciclismo de Pousada de Saramagos, depois da extinção da secção de ciclismo da ADRO, criou uma Escola de Ciclismo a que deu o nome de Carlos Carvalho.

Glória do ciclismo nacional, Carlos Carvalho permanece também como um dos maiores desportistas do Minho, sendo merecedor do respeito e admiração de sucessivas gerações.

Fonte: ACM

“Bombarralense na Ruta Ciclista Castillos y Batallas de Jaen”

Sicasal - Liberty Seguros - Bombarralense muito activa, Daniel Silva imponente 5º em Espanha, Francisco Duarte 6º no Porto e Bruno Araújo 1º em Luanda.

Este fim-de-semana foi muito intenso em competição para os atletas da Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense pois participaram em 3 frentes muito distintas.Em Espanha coube a Cláudio Bessa, Diogo Ferreira, Daniel Silva, Daniel Marcos, Pedro Poeira e João Antunes participarem na “Ruta Ciclista Castillos y Batallas de Jaen”, prova onde defrontaram algumas das melhores equipas da actualidade do pais vizinho, tendo conquistado o 7º lugar por equipas e melhor Portuguesa á frente do Tavira / Sporting também individualmente Daniel Silva onde chegou a disputar e vencer prémios de montanha e metas volantes arrecadando para si o 5º da montanha e nas metas volantes, sendo claramente o melhor Português em prova se qualificando também o 5º lugar da Geral.

Em Portugal coube a Francisco Duarte entrar em prova para disputar o 6º Grande Prémio de Ciclismo Casa do Povo de Vermoim, esteve irrequieto, e muito combativo, encetou perseguição a solo á fuga que seguia na cabeça de corrida, tendo por 20km se mantido entre a fuga e o pelotão, acabando por ser alcançado apenas a 5km da meta, onde viria ainda a disputar o sprint na frente do pelotão a conquistando o 6º lugar.

Por terras africanas ao abrigo do protocolo entre o Bombarralense e o Sport Luanda e Benfica, Bruno Araújo disputou o campeonato provincial de Luanda tendo se qualificado no lugar mais alto do pódio em juniores e 4º na geral.

Fonte: Bombarralense

“Em Espanha a Sicasal - Liberty Seguros – Bombarralense”

Em 7º e Daniel Silva imponente conquista 5º lugar na Geral, Montanha e Metas Volantes

Decorreu neste fim-de-semana de junho entre 17 a 19 em Espanha na região da Andaluzia a primeira edição da “Ruta Ciclista Castillos y Batallas de Jaen”, organizada pelo Clube Ciclismo Arjonilla. Revelou-se ter uma organização de excelência, traçados bem escolhidos, bem marcados e com um policiamento muito seguro, deveriam as entidades nacionais, quer a federação/associações, quer a própria GNR seguir o exemplo dado durante toda a prova.

Confirmou ser um projeto emocionante com a presença das melhores equipas de Espanha e duas de Portugal, a Sicasal – Liberty Seguros – Bombarralense e a Sporting – Tavira – Formação Eng. Brito da Mana, alinharam equipas da Andaluzia como Ciclos Cabello Cordobés, Francisco Árbol Abogados Granadino o Bike Station Marbellí. Alinharam ainda das melhores equipas de espanha como a Arte en Transfer, Sanse La Grupeta BH, Giménez Ganga-Primoti-Toco Bike, RH-Polartec Fundación Contador, Valverde Team, Fenavín, Fundación PD Víctor Sastre, Esetec-Meliá Alicante, e a Oid Cycling Team.

O grande esforço encetado pela organização resultou nas 3 etapas duras, muito rápidas, mas emocionantes, muito seguras para os ciclistas e com todo o apoio ás equipas num verdadeiro espirito de competição, mas muito ético e com grande desportivismo.

A primeira etapa disputada na passada 6ª feira com a partida de Martos e meta em Alcalada la Real na extensão de 72.8km. Pelo meio os ciclistas tiveram de enfrentar três prémios de montanha, o primeiro de 3ª cat. ao km 39,70 em Alto de Santa Maria, onde Daniel Silva (Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense) conquistou o 1º Lugar, outro de 1ª cat. ao Km 62.3 em Puerto del Castillo, com Daniel Silva a ser 3º, e por ultimo de 3ª cat. ao km 70 em Alto de la Mota, Daniel Silva novamente 3º.

O traçado da etapa teve como metas volantes ao km 4.5 em Martos e ao km 56,80 em Castillo de Locubim, com Daniel Silva a passar em 2º Lugar.

Por equipas o grande desempenho da (Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense) com os seus atletas a mostrarem muita garra e disponibilidade para a luta tendo fechado o Top 10.

Qualificações:
Geral
10º - Daniel Silva a 34´´
42º - Pedro Poeira
49º - Rafael Piedade
58º - João Antunes
61º - Diogo Ferreira
72º - Daniel Marcos
85º - Cláudio Bessa

Montanha
3º - Daniel Silva 7 pts a 2 do líder
Metas Volantes
3º Daniel Silva 2pts a 1 do lider

Por Equipas
10º - Sicasal - Liberty Seguros – Bombarralense

Na segunda etapa, sábado, Daniel Silva sobe a 5º lugar da geral depois de chegar em 11º na etapa e com Diogo Ferreira em 12º, após percorrerem os muito rápidos e duros 104.1km da etapa, com partida em Arjona e chegada a Alcaudete. Para além da grande extensão da corrida o seu traçado e a temperatura ditaram a selecção natural dos atletas. Tal como no dia anterior também esta etapa contou com três prémios de montanha e duas metas volantes. Os prémios de montanha ocorreram ao km 47,8 em Alto los Guerreros de 3ª cat., ao km 68.40 em Lato de La Botija também de 3ª cat e ao km 101,40 de 2ª cat em Alto del Vivoras. As metas volantes aconteceram ao km 23,80 em Lopera e ao km 73,80 em Torredonjimeno. Claudio Bessa que foi vítima de queda com alguma gravidade na 1º Etapa perdeu tempo não terminando a prova por ordem de comissário de prova.

Na competição por equipas a Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense mostrou-se novamente muito activa e empenhada se qualificando nesta etapa á frente da Valverde Team.

Resultados:
Individual - Etapa
11º - Daniel Silva a 2:30'
12º - Diogo Ferreira 2:32'
23º - João Antunes
47º - Rafael Piedade
68º - Pedro Poeira
74º - Daniel Marcos

Prémio da regularidade
11º - Daniel Silva
12º - Diogo Ferreira

Por Equipas - Etapa
10º - Sicasal - Liberty Seguros - Bombarralense

Individual - Geral
5º - Daniel Silva a 3:04
40º - Diogo Ferreira
42º - Rafael Piedade
45º - João Antunes
63 - Pedro Poeira
74º - Daniel Marcos

Prémio da Regularidade - Geral
8º Daniel Silva

Montanha - Geral
4º - Daniel Silva com 7 pts a 6

Metas Volantes - Geral
4º - Daniel Silva com 2 pts a 5

Equipas - Geral
8º - Sicasal - Liberty Seguros – Bombarralense

Na derradeira e última etapa Daniel Silva (Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense) sela Top 5 em Espanha na “Ruta Ciclista Castillos y Batallas de Jaen”

A terceira e ultima etapa foi a mais longa com a partida em La Carolina com destino a Arjonilla na extensão de 122.3km, contou com duas contagens de montanha, a de Alto Castillo de Banos de 3ª cat ao Km 54,10 e outra no Alto del Morron também de 3ª cat ao km 116.30. As metas volantes estavam em Linares ao Km 36,6, e em Aldujar ao km 106.00 tendo sido percorrida á média de 39.57k/h.

Daniel Silva foi o melhor qualificado da Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense alcançou o 13º lugar na etapa defendendo o seu lugar na geral com Diogo Ferreira por perto em sua protecção a alcançar o 18º lugar na etapa.
Também no prémio de montanha a equipa se mostrou bem com Daniel Silva a se qualificar em 5º Lugar, a mesmo posição alcançada nas netas volantes.

Classificações:
Geral - Etapa
13º - Daniel Silva
18º - Diogo Ferreira
23º - Pedro Poeira
30º - Rafael Piedade
35º - Daniel Marcos
36º - João Antunes

Equipas - Etapa
7º - Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense

Classificação Final
Geral
5º - Daniel Silva
33º - Diogo Ferreira
23º - Rafael Piedade
37º - João Antunes
52º - Pedro Poeira
65º - Daniel Marcos

Prémio da Montanha
5º - Daniel Silva

Metas Volantes
5º - Daniel Silva

Equipas - Etapa
7º - Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense