segunda-feira, 13 de junho de 2016

“Sérgio Sousa sofre fratura da clavícula”

Sérgio Sousa (Vorarlberg) caiu na Rund um Köln, na Alemanha, e fraturou uma clavícula. Fica assim em dúvida a presença na Volta à Áustria, que começa 5.ª feira e onde era uma das apostas da equipa.

Fonte: Record on-line

“Rui Costa cauteloso descarta favoritismo na Volta à Suíça”

Por: Ana Paula Marques

Foto: epa

Se triunfar na Suíça pela 4.ª vez será um bónus, num ano em que o foco, diz, está no Tour e no Rio’16

É co cautelas que Rui Costa aborda a possibilidade de fazer história na Volta à Suíça, ou seja, vencer a prova pela quarta vez em apenas cinco anos, sendo já o único que conseguiu ganhar por três vezes de forma seguida.

"Há outros candidatos", começou por referir ao nosso jornal o líder da Lampre, explicando afinal quais as suas prioridades para o corrente ano. "O meu objetivo aqui na Suíça é ir subindo de forma para o Tour. Se correr bem, melhor, será um bónus. O Tour é o próximo objetivo, além dos Jogos Olímpicos e Europeu." Refira-se que este ano, pela primeira vez, vai disputar-se um Campeonato da Europa também para o escalão de elites. Vai ter lugar na segunda quinzena de setembro, em França, sendo que os Mundiais, no Qatar, serão apenas em outubro por causa do calor, num percurso mais adequado a sprinters.

Na Volta à Suíça e ao fim de duas etapas, Rui Costa é 83º (a 42 s), depois de ontem ter chegado no pelotão. "Ainda não deu para perceber se estou num bom momento de forma, só na montanha, mas posso prometer que vou dar o meu máximo para adquirir bom ritmo e uma boa classificação." O tempo cedido foi na tirada inaugural, um prólogo de 6,7 km.

Um segundo

A etapa de ontem, disputada em circuito, proporcionou o triunfo do campeão do Mundo, Peter Sagan, num dia em que o herói local, Fabian Cancellara, perdeu a liderança para o belga Jurgen Roelandts (Lotto Soudal) por apenas um segundo... Um corte de três segundos na meta impediu o ciclista da Trek de continuar no primeiro lugar.

A primeira chegada em alto é na quarta-feira, seguindo-se mais duas e sábado o contrarrelógio.

Fonte: Record on-line

“Sagan volta a vencer e conquista amarela na Volta à Suíça”

Por: Lusa

Foto: EPA

O eslovaco Peter Sagan (Tinkoff), vencedor da etapa da véspera, repetiu esta segunda-feira o triunfo na terceira tirada da Volta à Suíça em bicicleta e assumiu a liderança da prova.
No termo da ligação de 192 quilómetros entre Grosswangen e Rheinfelden, o campeão do mundo impôs-se no sprint perante os suíços Michael Albasini (Orica) e Silvan Dillier (BMC), encabeçando o trio que cruzou a meta com três segundos de avanço sobre o primeiro pelotão, no qual chegou integrado o português Rui Costa (Lampre-Merida), em oitavo. Tiago Machado (Katusha) terminou em 29.º, a 17 segundos.
Graças às bonificações, Sagan subiu da quarta posição ao primeiro lugar e retirou a camisola amarela ao belga Jürgen Roelandts (Lotto), sobre o qual tem agora um avanço de três segundos, a mesma diferença para Dillier, que saltou para o terceiro posto da geral.
Com 13 triunfos em etapas da Volta à Suíça, o eslovaco reforçou o seu recorde na prova, com mais duas vitórias do que os suíços Ferdi Kübler e Hugo Koblet, que acumularam os seus êxitos nos anos 50, e Fabian Cancellara, vencedor do contrarrelógio inaugural desta edição e primeiro líder da corrida.
Num final sinuoso, Albasini atacou na última subida e alcançou Dillier, último resistente de uma longa fuga, mas Sagan aproveitou a descida para se destacar de um pelotão bastante fracionado e apanhar os dois da frente. Albasini ainda atacou a 400 metros do final, mas Sagan dominou a situação com facilidade.
Vencedor da Volta à Suíça em 2012, 2013 e 2014, Rui Costa subiu 52 lugares na geral, para 31.º, estando a 45 segundos de Sagan, enquanto Tiago Machado pulou de 80.º para 36.º e está a 58 do líder. Mário Costa é 115.º, a 6.04 minutos, e Bruno Pires (Roth) está no 133.º posto, a mais de nove minutos.
Na terça-feira, a quarta etapa vai ligar Rheinfelden e Champagne, numa extensão de 193 quilómetros que poderá proporcionar um final ao sprint.

Fonte: Record on-line

“Fábio Costa vitorioso no 28º Circuito de Ciclismo de Avidos”

Fábio Costa venceu a corrida de juniores do 28º Circuito de Avidos. Miguel Sousa foi o melhor do pelotão de cadetes e Maria Fernandez e Sorais Silva ganharam as classificações feminina da prova promovida pela Associação de Ciclismo do Minho e pelo Centro Ciclista de Avidos (Vila Nova de Famalicão).

Pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã, o 28º Circuito de Avidos integrou corridas para as categorias de cadetes e de juniores, começando ambas junto à sede do Centro Ciclista de Avidos (Vila Nova de Famalicão) e terminando também na localidade sede do clube minhoto.

Com a participação de centena e meia de jovens atletas, a competitividade e a emoção foram tónicas marcantes das corridas do 28º Circuito de Avidos, assim como a presença de muito público que não é apenas uma característica das provas de ciclismo no Minho mas em especial em Avidos onde a entusiástica população incentiva e apoia os jovens corredores do princípio ao fim das provas.

A corrida de juniores foi ganha por Fábio Costa (C.C. Barcelos / AFF / Orbea / Onda) que se superiorizou no sprint final a André Rafeiro (Bairrada), Edgar Fonte (Tensai / Sambiental / Santa Marta), Pedro Lopes (Escola de Ciclismo Carlos Carvalho) e Daniel Silva (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense) que ocuparam as restantes posições do pódio. Nas metas volantes os melhores foram Fábio Silva (A.C.D.C. - Trofa) e João Dinis (Bairrada), enquanto Luís Pereira (Escola de Ciclismo Carlos Carvalho) venceu a geral da montanha.

Maria Fernandez (Concello do Poriño / Abanca) venceu a classificação feminina e a formação da Bairrada a classificação coletiva da prova de juniores, seguindo-se a A.C.D.C. – Trofa e  a Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel.

Miguel Sousa (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics), vencedor do Troféu Revelações de Ciclismo de Estrada de 2015 e Campeão Nacional de XCO e de Ciclocrosse, ganhou ao sprint a corrida de cadetes do 28º Circuito de Avidos. As restantes posições do pódio foram preenchidas por Rui Alves (C.C. Barcelos / AFF / Orbea / Onda), João Lobo (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact), Daniel Dias (A.C.D.C. - Trofa) e João Lopes (C.C. Barcelos / AFF / Orbea / Onda).

Pedro Silva (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) foi o primeiro nas duas metas volantes e o seu colega de equipa Hélder Gonçalves venceu a geral da montanha. Sorais Silva (Bairrada) venceu a classificação feminina.

Na corrida de cadetes do 28º Circuito de Avidos os primeiros da classificação coletiva foram a Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact, C.C.Barcelos / AFF / Orbea / Onda e a A.C.D.C. – Trofa.

O 28º Circuito de Avidos contou com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Ciclismo a fundo (revista oficial) e Roda na Frente.

Fonte: ACM

“7º BTT DHI Penha (Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION)”

O Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION regressa no dia 19 de junho com a realização do 7º BTT DHI Penha (Guimarães) prova para a qual é esperada a participação de muitos atletas e de muito público.

Promovido pela Associação de Ciclismo do Minho, o 7º BTT DHI Penha será a quarta prova pontuável para o Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION. A competição terá início junto ao Mini Golfe da Penha, numa pista de Down Hill onde se destaca a paisagem verdejante, fortemente pontuada pela imponência do granito e recantos singulares.

A prova, além das categorias de competição, será aberta à participação de todos os interessados que poderão participar integrados na categoria de promoção. Com um período para treinos entre as 10h00 e as 12h00 (competição) e as 10h30 e as 12h00 (promoção), a manga de qualificação começará às 13h00 e a manga final (sistema de manga única) às 15h00. A cerimónia de entrega de prémios está marcada para as 17h30.

A participação no 7º BTT DHI Penha é gratuita para atletas federados. O secretariado para confirmação das inscrições decorrerá entre as 9 e as 10 horas (promoção) e as 10 horas e as 12 horas (competição). As pré-inscrições devem ser efetuadas através do email geral@acm.pt.

O 7º BTT DHI Penha tem o apoio das seguintes entidades: Federação Portuguesa de Ciclismo, Cision, Arrecadações da Quintã, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, GuimarãeShopping, Decathlon e Bike Magazine (revista oficial).

Na última edição do DHI da Penha, Fernando Silva (RG - Centro Óptico de Fafe) foi o grande vencedor do 6º BTT DHI Penha, a sétima e penúltima prova do Campeonato do Minho de BTT DHI - Cision. Numa prova que voltou a contar com cerca de 150 pilotos os restantes vencedores foram Ana Leite (femininos), Bruno Almeida (juniores), Manuel Bessa (master 30), o espanhol Manuel Pintos (master 40), Augusto Pedrosa (master 50), João Teixeira (cadetes), Flávio Cajão Silva (promoção) e os Restauradores da Granja - Centro Óptico de Fafe (equipas).

Fonte: ACM

“Pedro Barbosa venceu o 60º Circuito de Ciclismo de Santo António (Amares)”

Pedro Barbosa venceu isolado o 60º Circuito de Santo António de Amares, prova para a categoria de juniores integrada no programa das Festas d´Amares - Santo António 2016. Andreia Alves foi a melhor atleta feminina.

Das mais antigas provas de ciclismo do País, o prestigiado Circuito de Santo António de Amares foi organizado conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho, AFAA - Associação das Festas Antoninas de Amares e Câmara Municipal de Amares. Um pelotão de 70 corredores alinhou à partida para efetuar um percurso de 86 quilómetros com início e final na Praça do Comércio.

Com constantes movimentações no pelotão, o 60º Circuito de Santo António de Amares pautou-se pela competitividade e emoção, sendo ainda de assinalar o muito público que marcou presença ao longo do percurso da prova.

As três metas volantes ao longo do percurso – ganhas por Pedro Braga (A.C.D.C. - Trofa), Gabriel Pinho (Moreira Congelados/Feira/Bicicleta Andrade) e Pedro Barbosa (A.C.D.C. - Trofa) – conferiram à corrida um aliciante suplementar que contribui para o elevado nível competitivo.

Pedro Barbosa (A.C.D.C. - Trofa) protagonizou uma fuga que o levou à vitória final no 60º Circuito de Santo António de Amares, terminando a corrida com a vantagem de 1m24s para o segundo classificado, o seu colega de equipa Pedro Braga. Com mais dois segundos, Francisco Duarte (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense) cortou a meta em terceiro lugar. Diogo Ferreira (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense), encabeçando o pelotão, assegurou o quarto posto, seguindo-se na classificação João Rocha (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel), Iúri Leitão (Bairrada), Pedro Teixeira (A.C.D.C. - Trofa), Hugo Garcez (A.C.D.C. - Trofa), João Leite (A.C.D.C. - Trofa) e Ivo Pinheiro (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel).

Andreia Alves (Academia Joaquim Agostinho / Femininas / UDO) venceu a corrida feminina, enquanto a espanhola Maria Fernandez (Concello do Poriño / Abanca) foi a segunda classificada.

Por equipas, a formação vencedora do 60º Circuito de Santo António de Amares foi a A.C.D.C. – Trofa, enquanto a Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense terminou em segundo e a Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel  em terceiro.

O 60º Circuito de Santo António de Amares teve o apoio das seguintes entidades: Câmara Municipal de Amares, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Ciclismo a fundo (revista oficial) e Roda na Frente.

Um programa variado, equilibrado e que mostra a preocupação de recuperar algumas tradições foi o mote para as Festas d´Amares - Santo António 2016. Os concertos musicais, as marchas populares e infantis tal como a majestosa procissão foram também pontos altos das festividades, nas quais o desporto também teve presença garantida. As raízes e tradição assumiram também protagonismo através do Cortejo Etnográfico e do Festival de Folclore.

Remontando ao ano de 1956, o Circuito de Santo António de Amares é considerado uma das mais antigas provas de ciclismo do país, sendo, desde 1979, uma organização conjunta da Associação de Ciclismo do Minho e da Câmara Municipal de Amares. A prova de ciclismo já foi distinguida com o Troféu “O Minhoto”, na categoria de “Evento Desportivo”.

A próxima corrida de ciclismo de estrada a organizar pela Associação de Ciclismo do Minho será o 9º Troféu Carlos Carvalho (escolas, cadetes e juniores) a disputar em Pousada de Saramagos (Vila Nova de Famalicão) no dia 18 de junho.

Fonte: ACM

“9º Troféu Carlos Carvalho”

O 9º Troféu Carlos Carvalho, pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã, realiza-se no dia 18 de junho, numa iniciativa da Associação de Ciclismo do Minho e da Associação de Ciclismo Pousada de Saramagos. A prova de homenagem ao vencedor da 22ª Volta a Portugal em Bicicleta (1959) destina-se aos escalões de benjamins, iniciados, infantis, juvenis, cadetes e juniores.

A iniciativa decorrerá em Pousada de Saramagos (Vila Nova de Famalicão), nas imediações da Avenida São Martinho, entre as 14 e as 18h30.

O Troféu Carlos Carvalho incluirá a realização de gincanas para as categorias de pupilos/benjamins e iniciados e provas em linha para iniciados, infantis, juvenis, cadetes e juniores. A cerimónia protocolar está marcada para as 18h15.

As provas de gincana serão realizadas na avenida São Martinho (Igreja) e as provas em linha no seguinte percurso: Avenida São Martinho (Junta de Freguesia), Avenida do Cruzeiro, Avenida da Tapada, Avenida da Riopele, Avenida São Martinho. (1,9 kms/volta).

No ano passado, mais de duas centenas de atletas participaram no 8º Troféu Carlos Carvalho. O Campeão Nacional André Carvalho, neto de Carlos Carvalho, foi o vencedor da corrida de juniores realizada em Pousada de Saramagos (Vila Nova de Famalicão). A prova conheceu ainda os seguintes vencedores: Artur Chaves e Diana Marques (cadetes), Maria Jesus Barros (elites femininas) Pedro Silva e Mariana Almeida (juvenis), Diogo Silva e Beatriz Pereira (infantis), Tomás Gaspar e Ana Monteiro e Alexandre Loução e Emília Baia (benjamins).

O Troféu Carlos Carvalho é promovido em homenagem a Carlos Carvalho, vencedor da 22ª Volta a Portugal em Bicicleta (1959), prova disputada ao longo de 26 etapas, num total de 2643,5 quilómetros, à média horária de 33,715 Km/hora. Carlos Carvalho ganhou a "prova rainha" do ciclismo nacional ao serviço do Futebol Clube do Porto.

Organizado pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Associação de Ciclismo Pousada de Saramagos, o Troféu Carlos Carvalho tem o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e conta com os seguintes apoios: Junta de Freguesia de Pousada de Saramagos, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Ciclismo a fundo (revista oficial), Roda na Frente, Luzacril, VizelTrans, Amadeu´s, MST, Nelson Azevedo, Carbike, Electro Firmino, Tipografia Freitas e VIRT.
 

Carlos Carvalho - Vencedor da 22ª Volta a Portugal em Bicicleta

Nascido a 2 de Janeiro de 1933 na freguesia de Vermoim (Vila Nova de Famalicão), Carlos Carvalho viveu a maior parte da sua vida na freguesia vizinha de Pousada de Saramagos, tendo aí falecido a 11 de Janeiro de 2004, aos 71 anos de idade.

Ao serviço do Futebol Clube do Porto, Carlos Carvalho venceu a 22ª Volta a Portugal em Bicicleta (1959), prova disputada ao longo de 26 etapas, num total de 2643,5 quilómetros, à média horária de 33,715 Km/hora. A brilhante vitória de Carlos Carvalho foi alcançada no dia 15 de Agosto de 1959, secundado por Jorge Corvo, do Tavira a 5 segundos. Nessa edição da Volta a Portugal, Alves Barbosa sagrou-se vencedor da classificação por pontos e das metas volantes.

Carlos Carvalho começou a destacar-se como ciclista no início da década de cinquenta, nas provas realizadas pela Mabor, vencendo em 1953 o Campeonato Nacional em Amadores/Seniores.

Em 1955 ingressou no Futebol Clube do Porto disputando nesse ano a Volta a Portugal onde arrecadou o segundo lugar na terceira etapa e o Prémio da Montanha, resultado que veio a repetir em 1960 e em 1961. Contribuiu para a vitória coletiva do Futebol Clube do Porto nas Voltas de 1958, 1959 e 1964. Obteve a primeira vitória em etapas da “prova rainha” do ciclismo português em 1957, na 17ª tirada com chegada a Lisboa

Em 1958, Carlos Carvalho venceu a Clássica Porto-Lisboa, foi terceiro na classificação geral da Volta a Portugal e venceu duas das etapas, a 3ª com chegada a Évora e a 9ª na Pista de Alvalade, em Lisboa.

No ano em que venceu a Volta a Portugal, Carlos Carvalho foi terceiro na “Corrida dos Seis Dias”, na Uberlândia, Brasil.

Após 10 anos na equipa do Futebol Clube do Porto, Carlos Carvalho ingressou em 1965 na equipa CEDEMI, de Viana do Castelo, simultaneamente como ciclista e Diretor Desportivo. Na Volta desse ano, fica para a história o “roubo” da camisola amarela a um ciclista espanhol, tudo porque Carlos Carvalho não resistiu ao impulso de ser o primeiro a passar em Vila Nova de Famalicão.

Um ano depois, ainda na CEDEMI, Carlos Carvalho põe termo à carreira de ciclista profissional, modalidade onde alcançou grande prestígio no panorama ciclista nacional e, inclusive, internacional. Carlos Carvalho chegou a participar na Volta à Espanha, integrando a seleção portuguesa onde corriam Alves Barbosa, João Marcelino, Joaquim Carvalho, Sousa Santos, Agostinho Ferreira, José Firmino, Artur Coelho e Manuel Graça.

Depois de deixar de competir, Carlos Carvalho continuou ligado à promoção do desporto, sobretudo junto dos mais jovens.

Na década de 90, a Associação de Ciclismo do Minho promoveu uma distinção a Carlos Carvalho, tendo organizado, no âmbito da ExpoAve, uma exposição onde foi exibida, por exemplo, a bicicleta com que este famalicense vencera a Volta a Portugal de 1959. No dia 23 de novembro de 2013, aquando da Gala de Encerramento da Época Desportiva realizada em Vila Nova de Famalicão, a Associação de Ciclismo do Minho homenageou Carlos Carvalho numa cerimónia, à qual se associou a Federação Portuguesa de Ciclismo e as cerca de cinco centenas de pessoas presentes na Casa das Artes, em que foi recordado o percurso do atleta famalicense.

Em 1993, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Municipal Desportivo, como reconhecimento de uma vida ligada ao fomento do desporto.

Em 1999, a ADRO - Associação Desportiva Outeirense, sediada em Pousada de Saramagos, criou uma escola de ciclismo com o seu nome, tendo por objetivo a formação das crianças e dos jovens do ciclismo. Em 2008 a Associação de Ciclismo de Pousada de Saramagos, depois da extinção da secção de ciclismo da ADRO, criou uma Escola de Ciclismo a que deu o nome de Carlos Carvalho.

Glória do ciclismo nacional, Carlos Carvalho permanece também como um dos maiores desportistas do Minho, sendo merecedor do respeito e admiração de sucessivas gerações.

Fonte: ACM