sábado, 11 de junho de 2016

“Pinot vence duelo francês na etapa rainha do Dauphiné”

Foto: Lusa
Indiferentes à luta pela geral na derradeira etapa estarão os portugueses, que hoje perderam muito tempo para os homens da frente.
Thibaut Pinot (FDJ) levou hoje a melhor no duelo entre ciclistas franceses, batendo Romain Bardet (AG2R), para conquistar a etapa rainha do Critério do Dauphiné, que reforçou a liderança de Chris Froome a um dia do final.
Com o beneplácito da Sky, os dois homens da casa chegaram isolados a Méribel, depois de terem enfrentado na qualidade de fugitivos o gigante Col de la Madeleine, e discutiram entre si o triunfo na sexta e penúltima etapa, com Pinot a ser superior no topo da contagem de primeira categoria, instalada em Méribel.
“Se na Madeleine [contagem de categoria especial, situada aos 70 quilómetros] alguém me tivesse dito que ia ganhar, não teria acreditado. Senti-me como nos últimos dias, mas no final tudo se conjugou na perfeição”, reconheceu o líder da FDJ, após conquistar a quinta vitória da época e a primeira no Dauphiné.
As palavras de Pinot fazem especialmente sentido ao olhar para o filme da etapa: bem longe de Méribel, ponto final da tirada de 141 quilómetros que partiu de La Rochette, a AG2R lançou uma forte ofensiva para deixar Bardet na frente, na companhia de mais 19 corredores, entre os quais o italiano Fabio Aru (Astana).
O primeiro grupo chegou ao sopé do Col de la Madeleine com 02.45 minutos de vantagem sobre o pelotão dos favoritos, conduzido pela Sky de Froome. À distância, a equipa britânica controlou o grupo de fugitivos, que foi perdendo peças à medida que os quilómetros iam passando e ficou definitivamente dilacerado, quando Bardet decidiu agitar as águas a 10 quilómetros da meta e teve resposta apenas do seu compatriota.
Os dois jovens talentos franceses percorreram os derradeiros quilómetros em duo e discutiram entre si a etapa, completada em 04:24.16 horas. A 01.04 minutos dos dois primeiros chegou o irlandês Dan Martin (Etixx-QuickStep), com Chris Froome a ser quarto, a 01.07.
“Se ainda tenho a camisola amarela, é por mérito da minha equipa”, reconheceu o britânico, que viu os seus colegas neutralizar um ataque de Alberto Contador (Tinkoff) na Madeleine e reduzir paulatinamente a diferença para a frente de corrida na aproximação à meta.
Já a solo, Froome acelerou nos últimos quilómetros, ganhando tempo a todos os rivais, nomeadamente ao australiano Richie Porte (BMC), ainda segundo, mas agora a 21 segundos, e ao espanhol da Tinkoff, que está agora na quinta posição, a 35 segundos.
Com uma etapa por disputar, no percurso de 151 quilómetros entre Pont-de-Claix e a estação de Superdévoluy, nos Alpes, a principal preocupação do chefe de fila da Sky, que venceu sempre o Dauphiné nos anos em que vestiu a amarela final no Tour (2013 e 2015), é mesmo Bardet, que ocupa a terceira posição na geral, também a 21 segundos.
Indiferentes à luta pela geral na derradeira etapa estarão os portugueses, que hoje perderam muito tempo para os homens da frente: André Cardoso (Cannondale) foi 32.º, a 11.13 minutos de Pinot, Nelson Oliveira (Movistar) chegou na 57.ª posição, a 19.41, e Sérgio Paulinho (Tinkoff) integrou um ‘grupeto’ que cruzou a meta a 27.57.
Cardoso está à beira do ‘top 30’, com 15.34 minutos de atraso para Froome, tendo Oliveira 13 lugares mais atrás, no 44.º posto, a 26.29. Paulinho é 135.º, a 01:18.46 horas do camisola amarela.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa  

“Fabian Cancellara vence pela 6ª vez a primeira etapa da Volta à Suíça”

Foto: ERIC FEFERBERG / AFP

No domingo, corre-se a segunda etapa, num circuito de 187,6 quilómetros com início e final em Baar.
O suíço Fabian Cancellara (Trek-Segafredo) começou hoje da melhor maneira a sua despedida da prova nacional, ao vencer o curto contrarrelógio da primeira etapa da Volta à Suíça em bicicleta, no qual Tiago Machado (Katusha) foi o melhor português.
No seu ano de despedida do pelotão, Cancellara percorreu os 6,4 quilómetros nas ruas parcialmente molhadas de Baar em 07.38 minutos para vestir pela sexta vez na sua carreira (2003, 2007, 2009, 2010 e 2011) a camisola de líder após a primeira jornada da Volta à Suíça.
Com a vitória de hoje, o helvético, que deixou o segundo classificado, o belga Jurgen Roelandts (Lotto-Soudal) a um segundo, e o terceiro, o australiano Luke Durbridge (Orica-GreenEdge), a dois, igualou o recorde de maior número de triunfos na prova (11), detido em ‘ex-aequo’ por Peter Sagan, Hugo Koblet e Ferdi Kubler.
Bem longe dos lugares cimeiros ficaram os portugueses, com Tiago Machado a ser o primeiro representante nacional, na 95.ª posição, a 37 segundos do seu antigo companheiro de equipa.
Rui Costa (Lampre-Merida) gastou mais um segundo do que o compatriota da Katusha e ficou três posições mais atrás, enquanto Bruno Pires (Team Roth) foi 127.º, a 47 segundos, e Mário Costa (Lampre-Merida) 149.º, a 53.
No domingo, corre-se a segunda etapa, num circuito de 187,6 quilómetros com início e final em Baar.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Cena de pugilato 'entrega' amarela a ciclista do FC Porto no GP Abimota”

Luca Wackermann envolveu-se numa cena de pancadaria com Vicente García de Mateos, com os dois a serem expulsos da prova.
O ciclista espanhol Juan Ignácio Pérez (W52-FC Porto) ganhou hoje a segunda etapa do Grande Prémio Abimota e subiu à liderança da geral, devido à desclassificação do anterior camisola amarela, que se envolveu em cenas de pugilato.
Juan Ignácio Pérez foi o primeiro a cortar a meta no final dos 146 quilómetros que ligaram Mação a Proença-a-Nova, batendo o então camisola amarela Luca Wackermann (NASR Dubai) e o português Filipe Cardoso (Efapel).
Ultrapassado a linha, o italiano da NASR Dubai envolveu-se numa cena de pancadaria com Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), um ‘habitué’ nestas situações – foi expulso da Volta a Portugal em 2014 pelo mesmo motivo -, com os dois a serem expulsos da prova pelo colégio de comissários.
Com o afastamento de Wackermann, o ciclista da W52-FC Porto subiu à liderança da geral, dispondo de três segundos de vantagem sobre Filipe Cardoso e de seis sobre Luís Mendonça (Sicasal/Constantinos/UDO).
A 37.ª edição do Grande Prémio Abimota termina no domingo, com uma viagem de 155 quilómetros entre a Figueira da Foz e Águeda.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Filipe Cardoso a três segundos da amarela”

Corredor da EFAPEL foi terceiro na chegada a Proença-a-Nova

A uma etapa do final do Grande Prémio ABIMOTA 2016, a EFAPEL mantém a sua condição da candidata à vitória. Após o segundo dia de competição, marcado por mais uma chegada ao sprint, desta vez em Proença-a-Nova, Filipe Cardoso foi o terceiro mais rápido e ascendeu ao segundo posto da classificação geral individual. O atleta da formação de Ovar está a apenas três segundos do camisola amarela a assumiu o comando da classificação das metas volantes.

Numa competição em que as bonificações assumem uma importância primordial, a EFAPEL começou por passar na frente com Rafael Silva e Daniel Mestre na primeira meta volante. Entretanto, formou-se a fuga do dia, com Filipe Cardoso. Este foi o primeiro a passar em mais uma meta volante. Contudo, o grupo que seguia na frente desfez-se e a equipa liderada por Américo Silva assumiu o comando do pelotão para anular a desvantagem para os fugitivos. Acabaram por chegar todos juntos a Proença-a-Nova e aí Filipe Cardoso ainda teve forças, apesar do desgaste da fuga, para cruzar a meta em terceiro.

“Conseguimos fazer o nosso jogo e é certo que estamos na luta pela vitória no Grande Prémio ABIMOTA. A etapa de hoje foi muito disputada, principalmente devido às bonificações. Amanhã, com diferenças tão pequenas entre os primeiros, será um dia bastante intenso e tudo se decidirá apenas
na linha de meta, em Águeda”, afirmou o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

A derradeira etapa do Grande Prémio ABIMOTA desenrola-se entre Figueira da Foz e Águeda. São mais de 150 quilómetros em que a equipa EFAPEL trabalhará para lutar pelo triunfo na geral individual.

Classificação na segunda etapa do 37º Grande Prémio ABIMOTA

    Juan Martin            W52/FC Porto            3h59m05s

    Luca Wackermann        Nasr Dubai            mt

   Filipe Cardoso        EFAPEL            mt


21º    Rafael Silva            EFAPEL            a 1m08s

25º    Daniel Mestre            EFAPEL            a 1m50s

37º    Jóni Brandão            EFAPEL            a 7m54s

38º    Hélder Ferreira        EFAPEL            a 9m45s

41º    Nuno Almeida        EFAPEL            a 10m48s

38º    Álvaro Trueba        EFAPEL            a 13m46s

 

Classificação geral individual no 37º Grande Prémio ABIMOTA

    Juan Martin            W52/FC Porto            7h42m08s

   Filipe Cardoso        EFAPEL            a 3s

    Luís Mendonça        Sicasal/Constantinos        a 6s


17º    Rafael Silva            EFAPEL            a 1m09s

21º    Daniel Mestre            EFAPEL            a 1m58s

35º    Jóni Brandão            EFAPEL            a 8m04s

38º    Hélder Ferreira        EFAPEL            a 10m39s

39º    Nuno Almeida        EFAPEL            a 11m42s

40º    Álvaro Trueba        EFAPEL            a 14m36s

Fonte: Efapel