segunda-feira, 16 de maio de 2016

“Santander Totta, o novo Patrocinador Principal da Volta a Portugal”

Volta a Portugal é Santander Totta

Considerado Melhor Banco e Escolha do Consumidor, em 2015, o Banco Santander Totta estreia-se este ano como Patrocinador Principal da Volta a Portugal em Bicicleta. O maior evento do calendário velocipédico nacional, que se realiza entre 27 de julho e 7 de agosto, vai designar-se Volta a Portugal Santander Totta e o líder da prova irá envergar a Camisola Amarela Santander Totta.

O anúncio aconteceu esta 2ª feira, 16 de maio, na sede do Banco Santander Totta. Foi celebrado um acordo por dois anos entre o Santander Totta e a Podium Events, organizadora da competição.

O acordo permite à marca Santander Totta beneficiar dos valores associados a um dos maiores e mais prestigiantes eventos desportivos nacionais, lado a lado com o público ao longo das estradas portuguesas.

No momento da assinatura do compromisso, o Presidente da Comissão Executiva do Santander Totta, António Vieira Monteiro, disse que “a participação do Banco neste evento insere-se numa estratégia de continuada afirmação e reforço da marca”. Referiu aindaque o Banco tem como missão “contribuir para o desenvolvimento das pessoas e das empresas, proporcionando-lhes experiências positivas e imediatas, e que este evento permite afirmar os valores de um Banco simples, próximo e justo”.

Para a Podium, a associação do Santander Totta é uma prova de reconhecimento da qualidade da Volta a Portugal, sendo uma honra acolher uma instituição financeira de tão grande importância.

A 78ª Volta a Portugal Santander Totta tem 10 etapas e um prólogo inicial e, como todos os anos, durante duas semanas vai entusiasmar o verão de milhões de portugueses. Em breve será anunciada a data da Conferência de Imprensa Oficial com a revelação de todo opercurso.

Fonte: Podium

“Rui Rodrigues da ASFIC venceu o circuito de Alter do Chão”

Era para ter decorrido no dia 7 de maio mas devido às más condições climatéricas foi adiado para hoje, 15 de maio, o 2.º Grande Prémio de Ciclismo de Alterreal, na vila de Alter do Chão, distrito de Portalegre.

A prova foi composta por um circuito fechado de cerca de 4,6 km, onde os ciclistas teriam de completar 12 voltas.

Participaram na corrida cerca de uma centena de ciclistas, grande parte deles de nacionalidade espanhola.

Mais uma vez a formação da ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo/ Riomagic participou nesta prova bastante desfalcada e em inferioridade numérica. A ASFIC participou apenas com 2 unidades na corrida, Rui Rodrigues e Jorge Letras.

A prova arrancou logo com muita velocidade e muita atacada, sempre com tentativas de fuga.

Na segunda volta, Rui Rodrigues da ASFIC atacou e deu-se a fuga do dia, vindo com ele maios 7 atletas.

Com o seu colega de equipa na fuga, Jorge Letras tinha de controlar apenas o pelotão, pois nesta prova existiam somente prémios para os 3 primeiros classificados, e por isso Jorge letras tinha a missão de controlar o pelotão e não deixar que mais nenhum elemento saísse do pelotão, na tentativa de que a fuga não fosse alcançada, para isso teria de responder a todas as tentativas de fuga.

Até ao fim da corrida a fuga não foi alcançada, Jorge Letras fez um trabalho exímio no controlo do pelotão e de entre ajuda a Rui Rodrigues.

Com a fuga a não ser anulada, Rui Rodrigues chegou à última volta com os 7 ciclistas e teria de tentar ganhar ao sprint, assim o fez. A cerca de 200 metros sprintou para a meta, não dando hipótese aos adversários, ganhando a prova.

A ASFIC agradece a todos os patrocinadores, que sem a ajuda deles era impossível participar nestas provas que acarretam sempre grandes custos para a equipa. Também sem a ajuda dos nossos patrocinadores, era impossível ter uma equipa com estes atletas, com o nível de qualidade, ambição e determinação que demonstram nas provas, que mesmo em grande inferioridade numérica alcançam sempre resultados positivos.

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC

“ASFIC/DINAZOO com mais 3 Pódios na Taça Joaquim Agostinho”

Mais um domingo em cheio para a ASFIC, desta vez na 3ª Etapa da Taça Joaquim Agostinho, prova que decorreu na Silveira, perto de Torres Vedras, prova que tem por grande objetivo, para além de promover uma bela manhã de puro BTT, homenagear o grande ciclista Joaquim Agostinho, natural da região.

Para esta prova, ASFIC/DINAZOO fez deslocar 7 dos seus atletas para a disputa das duas distâncias, assim na Maratona tivemos Carlos Santos, Edgar Oliveira e Carlos Oliveira. Por sua vez na Meia-Maratona alinhamos com Valter Martins, Márcio Lopes, Ricardo Félix e Fábio Rodrigues.

Cerca de 500 Atletas presentes iniciaram mais esta Etapa por volta das 9.00, os nossos atletas desde cedo mostraram que estavam ali para realizar bons resultados. Na fase inicial muito rolante os nossos atletas colocaram-na frente da corrida com Edgar Oliveira e Carlos Santos no 1º grupo, seguindo os restantes atletas em grupos perseguidores.

Na maratona Edgar Oliveira manteve-se sempre na disputa da corrida até perto do final onde discutiu a posição até a linha de meta conseguindo assim 3º Lugar da Geral e 1º Lugar Vet. A. Por seu lado Carlos Santos que seguia em boa posição sempre de olho na frente da corrida viu-se a contas com um problema mecânico que o obrigou a desistir. Carlos Oliveira fez a sua corrida, sempre a bom ritmo e de olho na concorrência direta,

isolando na segunda metade da corrida obtendo assim o 1º Lugar em Vet.C.

Já na Meia-Maratona Valter Martins arrancou para a frente, com a sua experiência e foi gerindo a prova, aproveitando o facto do percurso ser a seu gosto e no final obteve o 2º Lugar em Vet. B. Ricardo Félix e Márcio Lopes não conseguiram seguir com o Valter, ficando num grupo perseguidor e sempre a lutar por chegar o mais a frente possível conseguiram o 12º e 13º Lugar em Vet. A. Já Fábio Rodrigues que arrancou mal, mas de tudo fez para recuperar posições, chegando assim em 9º Lugar em elites.

No final da corrida todos tinham o sentimento de tudo ter feito para elevar o nome da nossa equipa ASFIC/DINAZOO aos lugares cimeiros.

Damos os parabéns a organização por todo o evento, bem organizado, bem marcado e mais um excelente dia para a prática da modalidade fazendo assim uma bonita homenagem ao grande JOAQUIM AGOSTINHO.

Em nome de todos os que fazem parte e acreditam nesta equipa, agradecemos aos atletas a representação da equipa, bem como, todos os patrocinadores, parceiros e simpatizantes, pois sem eles isto não seria possível.

Até ao momento não foi divulgado o ranking da taça, mas podemos avançar que o atleta Carlos Oliveira e Valter Martins encontram-se em 1.º dos seus escalões e Edgar Oliveira com menos uma prova é 3.º.

Fonte: ASFIC/DINAZOO

“Fernando Silva e Filipa Peres venceram o 3º BTT DHI Vila de São Torcato”

Fernando Silva e Filipa Peres, Campeão do Minho e Campeã Nacional de Down Hill, foram os vencedores em elites do 3º BTT DHI Vila de São Torcato, terceira prova do Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION disputada. Na renovada pista de São Torcato (Guimarães) também venceram Bruno Almeida (juniores), João Teixeira (cadetes), Manuel Bessa (master 30), Antero Oliveira (master 40), Joaquim Dias (master 50), Paulo Nuno (promoção) e Restauradores da Granja - Centro Óptico de Fafe (equipas).

Na renovada pista de São Torcato (Guimarães) também venceram Bruno Almeida (juniores), João Teixeira (cadetes), Manuel Bessa (master 30), Antero Oliveira (master 40), Joaquim Dias (master 50), Paulo Nuno (promoção) e Restauradores da Granja - Centro Óptico de Fafe (equipas).

Cerca de uma centena de atletas rumou até à Vila de São Torcato para participar na prova disputada na pista de Down Hill estreada em 2013 e que beneficiou de melhoramentos para acolher em 2016 o Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION. Voltando a ser do agrado generalizado dos pilotos (definida pela maioria como "técnica, rápida e super divertida"), a pista da Vila de São Torcato afirma-se assim no panorama do DHI.

Promovido conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho, Junta de Freguesia de São Torcato e São Torcato DH, o 3º BTT DHI Vila de São Torcato saldou-se num êxito e voltou a contar com a presença de muito público.

Campeão do Minho de DHI em 2015, Fernando Silva (RG-Centro Óptico de Fafe) venceu em elites o 3º BTT DHI Vila de São Torcato, obtendo o melhor registo de tempo absoluto na manga de qualificação e na manga final. A equipa RG-Centro Óptico de Fafe dominou o pódio de elites com os pilotos Rui Teixeira e Luís Costa a ocuparam o segundo e terceiro lugares.

Filipa Peres (RG /Centro Óptico de Fafe) venceu o escalão de elites femininas.

Enquanto a formação Restauradores da Granja - Centro Óptico de Fafe dominou os escalões de elites, o Desportivo Jorge Antunes evidenciou-se em juniores, não apenas com a vitória de Bruno Almeida mas também os segundo e terceiro lugares de Carlos Martins e Rui Ribeiro.

Em cadetes, o Campeão do Minho João Teixeira (RG - Centro Óptico de Fafe) foi o mais veloz em São Torcato alcançando o primeiro lugar, deixando nas restantes posições do pódio Tiago Silva e José Silva, ambos da equipa Desportivo Jorge Antunes.

Manuel Bessa (Desportivo Jorge Antunes), Vice-Campeão de 2015 em master 30, foi o mais rápido no 3º BTT DHI Vila de São Torcato, completando o pódio dois pilotos do FAC - Famalicense Atlético Clube, nomeadamente, Jorge Afonseca e Miguel Andrade.

Antero Oliveira (Bicicleta Clube de Felgueiras), Vice-Campeão minhoto no ano passado, venceu em master 40, tendo o Campeão do Minho, Maurício Conceição (RG /Centro Óptico de Fafe), alcançado o segundo lugar e Nuno Almeida (Moto Galos DH Team / ACR Roriz) o terceiro.

Em master 50 venceu Joaquim Dias (Enduro BTT Braga), seguindo-se na classificação Augusto Pedrosa (Desportivo Jorge Antunes) e António Freitas (Bicicleta Clube de Felgueiras).

Na promoção, o melhor a descer a pista de São Torcato foi Paulo Nuno.

Coletivamente a vencedora foi a equipa Campeã do Minho em 2015, a formação Restauradores da Granja - Centro Óptico de Fafe, seguindo-se o Desportivo Jorge Antunes e o Bicicleta Clube de Felgueiras.

O 3º BTT DHI Vila de São Torcato teve o apoio Junta de Freguesia de São Torcato, Federação Portuguesa de Ciclismo, Cision, Arrecadações da Quintã, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Bike Magazine (revista oficial), Café Lumabru, Café Sol Quente, Pão Quente da Vila e Bike House.

A próxima prova do Campeonato do Minho de BTT DHI - CISION será o 7º BTT DHI Penha a disputar no dia 19 de junho na Penha (Guimarães).

São Torcato é uma freguesia do concelho de Guimarães que se caracteriza por ser genuinamente rural mas com um marcado desenvolvimento.

A Vila de S. Torcato situa-se a 6 kms da cidade de Guimarães sendo uma das mais importantes vilas do concelho de Guimarães por se centralizar perante um conjunto de freguesias: Atães, Aldão, Gominhães, Gonça, Selho S. Lourenço, Rendufe, S. Torcato, Arosa, Castelões e Mesão Frio.

Com património e tradições peculiares preservadas - nomeadamente, o folclore e as festas que ali decorrem durante todo o ano - a devoção para com o santo padroeiro, São Torcato, destaca-se como elemento fundamental componente religiosa da freguesia. Aliás, o seu orago é o próprio São Torcato, cujas relíquias (o seu corpo conservado, segundo a expressão popular, incorrupto) são veneradas no santuário de São Torcato, situado na freguesia.

Elevada a vila em Junho de 1995, a freguesia constituiu, até ao início do século XIX, o couto de São Torcato.

A 20 de Junho de 1049, o couto de São Torcato foi dado ao Mosteiro de Mumadona, então conhecido pelo Mosteiro de Guimarães, pelo Rei D. Fernando e pela sua esposa a Rainha D. Sancha. Em 1173, o Mosteiro de São Torcato foi desanexado da Colegiada e nesse mesmo ano em Abril, o Rei D. Afonso Henriques dou carta de couto ao prior de São Torcato, D. Paio. 

O Papa Inocêncio V, a 15 de Maio de 1276, conferiu por Bula o Mosteiro de São Torcato sobe a regra de Santo Agostinho. Esta Bula permite saber nos dias de hoje, que o mosteiro possuía a Igreja de Santo Emilião de Riba D´Ave e terras dos bispados de Braga, Porto, Lamego e Viseu.

Sabe-se ainda, através de uma carta passada pelo rei D. Afonso IV, que o Couto de São Torcato foi judiciado em 1836 ao Mosteiro de São Torcato.

Fonte: ACM

“Vitória da Sicasal - Liberty Seguros - Bombarralense com pódio cheio em Alverca”

Neste fim-de-semana, domingo 15 de Maio decorreu o 3º Prémio de Ciclismo do Futebol Clube Alverca.

Após serem percorridas as 20 voltas do circuito completando 40km a equipa do Bombarral impôs a sua força colocando 3 atletas nos lugares cimeiros do pódio.

Nesta 5ª vitória consecutiva foi a vez de José Afonso ser o mais rápido seguido por Francisco Duarte e Daniel Marcos.

Também na qualificação colectiva a Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense alcançou a vitória mostrando a força do colectivo orientado por Carlos Reis e Fernando Vieira com apoio mecânico de João Carvalho.

Qualificação Individual

1º José Afonso

2º Francisco Duarte

3º Daniel Marcos

Qualificação Colectiva

1º Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense

Fonte: Bombarralense

A 3ªEtapa do Circuito de Biatle realizou-se em Torres Novas

TORRES NOVAS recebeu pela terceira vez uma etapa do Circuito Nacional de Biatle, nas Piscinas Municipais Fernando Cunha (segmento de Natação) e no Jardim das Rosas (segmento de corrida). Esta prova contou com a presença de 250 atletas, em representação de 15 equipas, e foi a 3ªetapa de apuramento para o Campeonato de Europa, que este ano regressa novamente à cidade de Setúbal, entre os dias 14 e 17/Julho.

Relembre-se que nesta modalidade os jovens atletas torrejanos têm conquistado, algumas medalhas em Campeonatos do Mundo e da Europa, como foi o caso no passado mês de Setembro de 2015, quando se deslocaram a Batumi na Geórgia.

A ESCOLA DE TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS, esteve representada nesta 3ªetapa com cerca de 70 atletas nos vários escalões, com as provas a serem disputadas num formato de Biatle Outdoor, ou seja, com os atletas a realizarem dois segmentos de corrida no Jardim das Rosas, com distâncias entre os 200m e 1.600m, e pelo meio um segmento de natação nas Piscinas Municipais, em distâncias que variaram entre os 50m e 200m.

Começamos por destacar a participação de alguns atletas torrejanos muito jovens que fizeram a sua estreia numa competição deste tipo.

Os Aprendizes, escalão para atletas nascidos em 2008 e mais novos, foram os primeiros a entrar em acção pelas 10h15, com Miguel Pereira e Miguel Cruz a ocuparem o 1º e 2ºlugares do pódio, enquanto em femininos, Francisca Leirião e Eva Madeira chegaram nas 2ª e 3ªposições.

Em Benjamins, Francisco Carvalho em masculinos, e Matilde Moita em femininos, subiram ao pódio na 3ªposição, e sem surpresas nos Infantis masculinos, o pódio foi totalmente torrejano, com Gustavo do Canto, João Nuno Batista e Pedro Afonso Silva, a conquistarem as 3 primeiras posições do pódio, logo seguidos por Martim Salvador no 4ºlugar.

Duarte Santos em Iniciados alcançou o 3ºlugar, e em Juvenis masculinos, Ricardo Batista e José Pedro Vieira concluíram a sua prova nos 1º e 2ºlugares, com Afonso do Canto a chegar na 4ªposição.

Ainda neste escalão, mas em femininos, Joana Miranda e Mariana Correia foram 3ª e 4ªclassificadas.

Nos Juniores A (Cadetes), a melhor torrejana foi Carolina Serra, na 2ªposição, e em masculinos, André Cruz foi 3ºclassificado, com Rafael Marques logo atrás no 4ºlugar.

Pedro Serra subiu ao pódio no 2ºlugar em Juniores, e Tiago Reis terminou a sua prova em 4ºlugar.

Em séniores, Ricardo Rego, voltou a alcançar um excelente 1ºlugar, e no escalão seguinte, Master A (Veteranos), Marco Sousa também venceu a sua prova, mas desta vez com muita réplica do seu colega de equipa Gonçalo Neves que chegou no 2ºlugar.

Por fim, e ainda neste escalão de Master A, mas em femininos, num regresso à competição, Catarina Neves foi 1ªclassificada.

Esta prova foi uma organização da Federação Portuguesa de Pentatlo Moderno e da Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, que contou com a colaboração dos nossos parceiros , e claro, com o habitual e famoso “Pai trocínio”, com a sua equipa de Eventos sempre no seu melhor nível, não esquecendo os professores de natação e os funcionários das Piscinas Municipais. Foram todos imprescindíveis os que estiveram presentes para que a realização desta prova em Torres Novas fosse mais uma vez um sucesso.

A próxima prova será no domingo de manhã, dia 22 de Abril, o Aquatlo da Golegã, mais uma etapa do Campeonato Nacional de Triatlo Jovem.

Fonte: ESCOLA DE TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS

“Seleção Nacional/Liberty Seguros/Edgar Pinto termina no pódio”

Edgar Pinto levou as cores da Seleção Nacional/Liberty Seguros ao pódio do Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela, terminando na terceira posição a prova ganha, nas Penhas da Saúde, por Joni Brandão (Efapel).

O desempenho do corredor de Albergaria-a-Velha na ligação de 194,1 quilómetros, entre a Guarda e as Penhas da Saúde, coloriu ainda mais uma presença muito positiva da Seleção Nacional/Liberty Seguros nesta competição de categoria 2.1.

Edgar Pinto esteve sempre com os melhores nas duas etapas iniciais do GP Beiras e Serra da Estrela e hoje lutou pelas primeiras posições. Joni Brandão e Sergio Pardilla (Caja Rural-Seguros RGA) destacaram-se na escalada de 10 quilómetros para a meta e Edgar Pinto foi o homem que esteve mais perto de alcançar a frente de corrida.

Joni Brandão ganhou a etapa com 37 segundos de vantagem sobre Pardilla, enquanto Edgar Pinto garantiu o pódio na jornada, a 1m29s. Na geral Brandão venceu com 43 segundos à melhor sobre o espanhol e com uma vantagem de 1m37s sobre o ciclista da Seleção Nacional/Liberty Seguros.

"É gratificante conseguir um lugar no pódio na minha terceira prova por etapas da época. Após a paragem prolongada por lesão, ainda não me encontro a cem por cento, mas consigo defender-me neste terreno. Foi bom regressar a Portugal, ao serviço da Seleção, e ter a oportunidade de partilhar a equipa com estes jovens de valor, que vieram para aprender e para se desenvolverem. Isso e ter merecido a confiança do selecionador foi o mais importante. O terceiro lugar é um prémio extra", declarou Edgar Pinto.

Além de Edgar Pinto, também José Mendes esteve em evidência na derradeira etapa da prova. Atacou na subida para a Torre, quando o pelotão já estava completamente desmembrado, e pedalou em solitário, obrigando as equipas Caja Rural-Seguros RGA e W52-FC Porto a desgastar-se na perseguição. Rui Oliveira acusou, ainda em fase de aprendizagem, não segurou a liderança da juventude, situação natural no seu processo de formação.

"Dividimos a nossa participação em duas fases. Nas duas primeiras etapas demos oportunidade aos mais jovens, tentando chegar à camisola da juventude. Conseguimo-lo. Sabíamos que seria muito difícil segurá-la numa etapa com o grau de dificuldade desta. Para hoje tínhamos intenção de discutir os primeiros lugares com os homens mais experientes. O Sérgio Sousa estava adoentado, mas o José Mendes atacou na Torre e o Edgar Pinto guardou-se para a subida final. Faço um balanço muito positivo desta participação", diz o selecionador nacional, José Poeira.

Classificações

3.º Etapa: Guarda - Penhas da Saúde, 194,1 km

1.º Joni Brandão (Efapel), 5h19m49s (Média: 36,415 km/h)

2.º Sergio Pardilla (Caja Rural-Seguros RGA), a 37s

3.º Edgar Pinto (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 1m29s

4.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 2m19s

5.º Heiner Parra (Boyacá Raza de Campeones), a 2m33s

29.º José Mendes (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 13m56s

51.º Victor Valinho (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 27m10s

52.º Venceslau Fernandes (Seleção Nacional/Liberty Seguros), mt

53.º Tiago Ferreira (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 27m58s

54.º Rui Oliveira (Seleção Nacional/Liberty Seguros), mt

Geral Individual

1.º Joni Brandão (Efapel), 13h40m58s

2.º Sergio Pardilla (Caja Rural-Seguros RGA), a 43s

3.º Edgar Pinto (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 1m37s

4.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 2m31s

5.º Heiner Parra (Boyacá Raza de Campeones), a 2m45s

42.º Rui Oliveira (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 28m08s

48.º José Mendes (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 31m00s

52.º Tiago Ferreira (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 37m00s

54.º Venceslau Fernandes (Seleção Nacional/Liberty Seguros), a 44m16s

55.º Victor Valinho (Seleção Nacional/Liberty Seguros), mt

Fonte: FPC

“Grande Prémio do Dão”

Corredores de referência do pelotão nacional pedalam no Dão

A segunda edição do Grande Prémio do Dão vai levar os melhores ciclistas do pelotão português aos concelhos de Mangualde, Penalva do Castelo, Nelas e Viseu, nos dias 28 e 29 de maio.

A prova terá três etapas e um total de 239,4 quilómetros, esperando-se uma disputa acesa pela vitória até ao último metro. O pelotão contará com os corredores de referência do pelotão nacional. Entre os corredores pré-inscritos estão os três primeiros da Volta a Portugal de 2015 – Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), Joni Brandão (Efapel) e Alejandro Marque (LA Alumínios-Antarte) – e os três mais pontuados no ranking nacional da presente época – Rafael Reis (W52-FC Porto), David de la Fuente e Jesús Ezquerra (Sporting-Tavira).

A competição arranca, no dia 28 de maio, com a mais longa das etapas. Os corredores vão pedalar ao longo de 163,3 quilómetros, entre Mangualde, de onde partem às 12h30, até Penalva do Castelo, onde termina a viagem, na segunda passagem pela meta, cerca das 16h30. Pelo caminho vão passar por duas metas volantes e por três prémios de montanha. A última subida pontuável, de segunda categoria, em Sezures, a 7,3 quilómetros do final, deve ser palco de ataques que poderão ser decisivos na luta pela camisola amarela.

O dia 29 de maio acolhe uma jornada dupla de ciclismo. De manhã, Nelas será o centro nevrálgico do Grande Prémio do Dão, recebendo a partida, 9h30, e a chegada, cerca das 11h00, da segunda etapa, que terá 66 quilómetros. Uma meta volante e dois prémios de montanha vão animar a etapa antes da luta pela vitória.

A prova encerra em Viseu, com um contrarrelógio individual de 10,1 quilómetros, com início às 15h00. A chamada “prova da verdade” poderá ser determinante para encontrar o vencedor, caso os ciclistas todo o terreno não consigam, nas duas etapas iniciais, afastar os contrarrelogistas dos postos cimeiros.

Estarão presentes todas as formações profissionais e todas as equipas de clube portuguesas. Ainda decorrem contactos com colectivos estrangeiros, que deverão enriquecer o pelotão da prova, elevando o número de equipas presentes para 17.  


A corrida foi apresentada na manhã desta segunda-feira, no Solar do Vinho do Dão, em Viseu. “Este Grande Prémio projeta a modalidade numa região que gosta de ciclismo, mas também promove o vinho do Dão e a atividade turística, além de ter o significado de unir os quatro municípios mais ligados à produção do vinho do Dão”, salientou o edil viseense, Almeida Henriques, durante a cerimónia de apresentação.

O presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, disse “acreditar que este tipo de eventos são fundamentais para atrair gente e turismo. Em 2016 espera-se uma prova mais rica em termos de nomes presentes, o que acresce à presença do Sporting e do FC Porto no pelotão, pelo que vamos atrair ainda mais público”, frisou.

“Nelas está sempre presente em qualquer iniciativa ligada ao Dão. O próprio vinho do Dão significa desenvolvimento e promoção da região, mas o desporto é um veículo privilegiado para desenvolvimento económico dos nossos territórios”, considera o presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva.

O vice-presidente da Câmara de Penalva do Castelo, José Laires, manifestou a vontade de que o Grande Prémio do Dão “possa dar ainda mais visibilidade à região no futuro. Talvez possa evoluir para uma prova internacional, aumentando a notoriedade do Dão nacional e internacionalmente”.

A presidente da Associação de Ciclismo de Viseu, Ana Paula Tomás, afinou pelo mesmo diapasão: “Quem sabe se um dia esta prova não será internacional para podermos ter no pelotão o viseense Nuno Bico”. Ana Paula Tomás apresentou a edição deste ano da corrida e valorizou a parceria com a APPDA, instituição de apoio a crianças autistas, que fará uma caminhada integrada no programa do Grande Prémio do Dão.

“O ciclismo consegue unir regiões e é muito eficaz a afirmar marcas e regiões. O Grande Prémio do Dão é uma marca que começa a consolidar-se”, declarou o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira.

Fonte: FPC

“Rúben Guerreiro foi sétimo na 14ª vitória de Peter Sagan na Califórnia”

Foto: DR

O ciclista luso da Axeon-Hagens Berman acabou a etapa com o mesmo tempo do vencedor.
O português Rúben Guerreiro (Axeon-Hagens Berman) finalizou em sétimo a primeira etapa da Volta à Califórnia em bicicleta, na 14.ª vitória na prova norte-americana do campeão do mundo de estrada, o eslovaco Peter Sagan (Tinkoff).
O jovem luso, de 21 anos, terminou com o mesmo tempo do vencedor, 4:20.41 horas, tal como Tiago Machado (Katusha), 55.º na etapa inaugural, de 175 quilómetros, com partida e chegada na cidade de San Diego, no sul da Califórnia.
Sagan superou os holandeses Wouter Wippert (Cannondale) e Dylan Groenewegen (Lotto NL-Jumbo), segundo e terceiro classificados, respetivamente, batendo ao ‘sprint’ os principais competidores, o francês Bryan Coquard (Direct Energie), quarto, e o norueguês Alexander Kristoff (Katusha), 16.º.
O vencedor das clássicas belgas Gent-Wevelgem e Volta à Flandres somou o 14.º triunfo na Califórnia, garantindo a liderança de uma prova por etapas que venceu em 2015.
Na terça-feira, o pelotão vai enfrentar a segunda etapa, de 148,5 quilómetros, entre South Pasadena e Santa Clarita, englobando quatro subidas categorizadas, três delas de segunda categoria.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“José Gonçalves dividido entre a Volta a Portugal e os Jogos Olímpicos”

Foto: Javier Lizon / EPA

O ciclista português José Gonçalves fez uma antevisão do que resta da temporada.
A viver o rescaldo da conquista da Volta à Turquia, o ciclista português José Gonçalves fez uma antevisão do que resta da temporada, confessando à agência Lusa as dificuldades em escolher entre a Volta a Portugal e o Rio2016.
“Depois de ter ganho na Turquia, fiquei muito contente, satisfeito e motivado. Claro que tive uma semana em que não parei quase me casa, a dar entrevistas, [a tirar] fotos, essas coisas que se fazem quando ganhamos. Agora é continuar a trabalhar para as próximas corridas”, começou por dizer à Lusa o português, que esteve em ação no Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela no último fim-de-semana.
O ciclista da Caja Rural, que foi dizendo que, apesar de ser sempre bom correr em Portugal, o pelotão nacional não dá grande futuro e grandes oportunidades aos corredores lusos, tem no seu horizonte próximo duas metas bem conhecidas
“O meu próximo objetivo passa pela Volta a Portugal e pela Volta a Espanha, que é o meu principal objetivo e da equipa”, indicou.
A referência à prova rainha do calendário nacional, que decorre entre 27 de julho e 07 de agosto, suscitou uma dúvida imediata: o que aconteceria se o corredor de Roriz (Barcelos) visse confirmada a sua pré-seleção para os Jogos Olímpicos, que terão lugar no Rio de Janeiro, entre 05 e 21 de agosto?
O tímido e genuíno ciclista inspira antes de conseguir responder: “É complicado. Claro que preferia ir aos Jogos Olímpicos, mas eu também tenho de ver qual é a melhor situação para [preparar] a Volta a Espanha. A Volta a Espanha é a Volta a Espanha, os Jogos Olímpicos são de quatro em quatro anos. Também gostava de ir, mas não sei”.
O mais conhecido dos gémeos Gonçalves – o irmão Domingos é seu colega na equipa espanhola – explicou que, para estar no Rio2016, teria de alterar a planificação desportiva dos próximos meses.
“Eu tenho de fazer alguma corrida antes dos Jogos Olímpicos para ganhar forma, porque se não vou estar parado quase um mês sem competições. Aí chega-se aos Jogos e as pernas não vão”, completou.
Ciente de que a prestação do ano passado na Vuelta, a ‘grande’ Volta em que foi considerado unanimemente pela imprensa especializada como um dos protagonistas, o catapultou para a fama mundial, José Gonçalves quer agora dar um passo mais para cumprir um sonho antigo.
“No ano passado, fui uma das revelações da Volta a Espanha, este ano quero é chegar lá e ganhar uma etapa, que foi o que me faltou no ano passado, para dar o salto”, assumiu, revelando que quer transferir-se para uma equipa do WorldTour na próxima temporada.
José Gonçalves frisou que “é o objetivo de cada corredor profissional, chegar ao topo do ciclismo mundial”.
“Está perto, mas falta um pouco”, concluiu o corredor de 27 anos.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Reportagem no “A Notícia” do “14ª Passeio Núcleo Cicloturista de Alvalade/Escolinha da Bicicleta.2016”

Já está on-line a reportagem na “A Notícia”, do “14ª Passeio Núcleo Cicloturista de Alvalade/Escolinha da Bicicleta.2016” realizado ontem em Lisboa, a mesma pode ser visualizada em: http://www.anoticia.pt/pt/201605/Desporto/188/14º-Passeio-do-Núcleo-de-Cicloturista-de-AlvaladeEscolinha-da-Bicicleta.htm ou em: http://anoticia.pt/ onde pode ainda visualizar outras notícias.