quarta-feira, 11 de maio de 2016

“XV Passeio de Cicloturismo da Golegã”

Por: Jorge Rodrigues

XV Passeio de Cicloturismo da Golegã, a realizar no dia 5 de Junho de 2016 e que este ano conta com um apoio por uma causa, onde em cada inscrição realizada, 1€ reverterá para a LPCC, dando seguimento ao projeto “Um dia pela vida - iniciativa da Liga Portuguesa Contra o Cancro no âmbito do programa internacional“Relay for Life da American Cancer Society””, surgiu a ideia de fazermos algo contínuo que nos alimentasse a alma por estarmos a contribuir para algo nobre, pois achamos que ninguém fica indiferente a estas causas, onde desde vizinhos, amigos ou familiares, todos conhecemos, quem está ou esteve a passar por esta fase da vida menos boa e que necessita de toda a ajuda possível.

Assim contamos com o vosso contributo e companhia para este dia, com um percurso acessível a todos, levando a caravana para a lezíria ribatejana.

“O primeiro ataque à Serra da Estrela”

EFAPEL ambiciosa no 1º GP Beiras e Serra da Estrela

A pouco mais de dois meses do grande momento do calendário velocipédico nacional, a EFAPEL faz a primeira abordagem competitiva à Serra da Estrela. A equipa liderada por Américo Silva vai participar no 1º Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela no próximo fim-de-semana (de 13 a 15 de Maio) e chega às beiras com ambição.

Depois dos bons indicadores nas últimas corridas, com vitórias em etapas e bons resultados na classificação geral, a equipa profissional de ciclismo EFAPEL volta a entrar em competição com vontade de ser protagonista. A estrutura ovarense está concentrada em lutar pelos lugares de maior destaque e quer discutir as vitórias em cada uma das etapas desta nova corrida.

“Esta é mais uma corrida internacional com várias dificuldades, inclusivamente com a presença de algumas equipas estrangeiras. Os nossos objectivos passam, como é habitual, por tentar chegar à vitória. A etapa da Serra da Estrela pode fazer diferenças porque, apesar de não ser na totalidade, sobe-se duas vezes. À partida é a etapa decisiva e acaba por ser o dia mais duro que já se correu este ano em Portugal. Quem quiser ganhar terá de se apresentar muito bem”, afirmou o director desportivo, Américo Silva.

Este grande prémio divide-se por três etapas. A primeira realiza-se já na sexta-feira, dia 13. São 145 quilómetros com partida em Pinhel e chegada junto à fronteira com Espanha, em Vilar Formoso. A corrida começa, assim, na Beira Alta. No segundo dia de prova, os ciclistas rumam a Sul, até à Beira Baixa. É a etapa mais longa, com quase 200 quilómetros. A partida acontece no Sabugal e o vencedor só será conhecido no Fundão, depois de 198,6 km a pedalar. Por fim, no domingo, o Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela termina com a etapa rainha. Guarda - Penhas da Saúde é o derradeiro desafio. São 194,1 km com bastante montanha pela frente.

Nome da prova

1º Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela

Data

3 a 15 de Maio de 2016

Director desportivo

Américo Silva

Ciclistas

António Barbio (Contra-relogista)

Álvaro Trueba (Contra-relogista/Trepador)

Daniel Mestre (Contra-relogista)

Filipe Cardoso (Sprinter/Equipier)

Henrique Casimiro (Trepador)

Jóni Brandão (Trepador)

Nuno Almeida (Trepador)

Rafael Silva (Sprinter)

Fonte: Efapel

“Nelson Oliveira já treina"

Português em recuperação após queda no Paris-Roubaix

Nelson Oliveira realizou ontem, no Velódromo Internacional de Sangalhos, o primeiro treino de bicicleta após paragem de quatro semanas. A pausa, forçada, deveu-se à queda no Paris-Roubaix, da qual resultou uma lesão na clavícula, não chegando, contudo, a ser necessário uma intervenção cirúrgica.
O ciclista da Movistar vai agora iniciar a recuperação tendo em vista ser um dos escolhidos da equipa espanhola para a Volta a França, da qual já faz parte dos pré-selecionados. O seu regresso à competição só deverá acontecer no próximo mês, para disputar a Volta à Suíça ou o Dauphiné, habituais competições de ensaio para o Tour.
Recorde-se que Nelson Oliveira está ainda pré-convocado para os Jogos Olímpicos do Rio’2016, onde deverá ser a aposta para o contrarrelógio, sendo que, a ser escolhido, fará também a prova em linha.

Fonte: Record on-line

“Giro/Greipel de 'outro planeta' mantém poderio alemão ao 'sprint'”

Foto: EPA/PIROSCHKA VAN DE WOUW

a segunda tirada mais longa da prova, com 233 quilómetros, entre Praia a Mare e Benevento, Greipel não precisou de contar com o habitual 'comboio' para o 'sprint' e arrancou a 400 metros da meta, celebrando a quarta vitória da época.
O ciclista alemão André Greipel (Lotto Soudal) não se atemorizou com o empedrado e com a ligeira subida dos últimos metros da quinta etapa da Volta à Itália e garantiu superiormente o primeiro triunfo na prova em 2016
Na segunda tirada mais longa da prova, com 233 quilómetros, entre Praia a Mare e Benevento, Greipel não precisou de contar com o habitual 'comboio' para o 'sprint' e arrancou, no seu estilo possante, a 400 metros da meta, celebrando a quarta vitória da época.
O germânico, creditado com o tempo de 5:40.35 horas, impôs-se ao francês Arnaud Démare (FDJ) e ao italiano Sonny Colbrelli (Bardiani), segundo e terceiro. O holandês Tom Dumoulin conservou a camisola rosa, símbolo da liderança.
As inclinações do terreno e o 'pavé' dificultaram a vida do líder da classificação dos pontos, o alemão Marcel Kittel (Etixx-QuickStep), já vencedor de duas etapas, que, em dia de aniversário, terminou a quase quatro minutos. Em igual modo, ficou o italiano Elia Viviani, 'sprinter' da Sky.
A fuga do dia composta por quatro elementos - o italiano Daniel Oss (BMC), o espanhol Amets Txurruka (Orica-GreenEdge) e os russos Pavel Brutt (Tinkoff) e Alexander Foliforov (Gazprom-Rusvelo) – foi neutralizada a sete quilómetros do fim, já na primeira passagem pela meta.
"Foi um dia duro, com muito trabalho para anular a fuga. Os corredores da Giant puxaram muito, mas nós cumprimos a nossa tarefa e os meus companheiros, que fizeram um grande trabalho, colocaram-me perfeitamente. Vi-me bem colocado e pensei: ‘não estragues tudo agora’. Consegui ganhar uns metros e acho que fiz um grande ‘sprint’”, afirmou Greipel.
O luxemburguês Bob Jungels (Etixx-QuickSteo), que enverga a camisola da juventude e segue na segunda posição da geral, foi quarto na etapa e um dos que 'resgataram' quatro segundos a Dumoulin, estando agora a 16 segundos do líder, enquanto o italiano Diego Ulissi (Lampre-Merida) é terceiro, a 20.
O espanhol Alejandro Valverde (Movistar) e o russo Ilnur Zakarin (Katusha) também aproveitaram o corte e estão em sétimo e oitavo da geral, a 27 e a 35 segundos de Dumoulin. O italiano Vincenzo Nibali (Astana) mantém o sexto lugar, a 26.
O espanhol Mikel Landa (Sky) mantém-se a 47 segundos da liderança e o polaco Rafal Majka (Tinkoff) continua a 45, depois de ter conseguido reentrar no pelotão, após problema mecânico.
O único português em prova, André Cardoso (Cannondale), fez o 44.º posto na etapa, a quatro segundos do vencedor, e garantiu esse mesmo lugar na geral, a 2.10 minutos de Dumoulin.
A sexta etapa da Volta à Itália é o primeiro teste em montanha, com uma ascensão de 18 quilómetros a finalizar a tirada de 157 quilómetros entre Ponte e Roccaraso.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Giro/Volta a Itália: Andre Greipel vence quinta etapa e Dumoulin contínua de rosa”

Foto: Lusa

Tom Dumoulin segurou a camisola rosa, símbolo da liderança, agora com 16 segundos de vantagem sobre o luxemburguês Bob Jungels.
O alemão Andre Greipel (Lotto Soudal) venceu hoje ao 'sprint' a quinta etapa da Volta a Itália em bicicleta, que ligou Praia a Mare e Benevento (233 km), enquanto o holandês Tom Dumoulin (Gian-Alpecin) conservou a liderança.
Num final sinuoso, com piso empedrado e ligeiramente a subir, Greipel impôs-se com alguns metros de avanço sobre o francês Arnaud Deamrre (FDJ) e o italiano Sonny Colbrelli (Bardiani-CSF), segundo e terceiro, respetivamente, com o mesmo tempo do vencedor (5:40.35 horas).
Tom Dumoulin segurou a camisola rosa, símbolo da liderança, agora com 16 segundos de vantagem sobre o luxemburguês Bob Jungels (Etixx-QuickStep) e 20 em relação ao italiano Diego Ulissi (Lampre-Merida).
Na quinta-feira, a sexta etapa vai ligar Ponte a Roccaraso, na extensão de 157 quilómetros, e terá a primeira chegada em alto desta edição do 'Giro', coincidindo a meta com contagem de montanha de segunda categoria.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa