segunda-feira, 25 de abril de 2016

“Michael Rogers anuncia fim da carreira por problemas cardíacos”

Foto: KIM LUDBROOK / EPA
O australiano Michael Rogers, tricampeão mundial de contrarrelógio, anunciou esta segunda-feira, aos 36 anos, o final da carreira velocipédica devido a problemas cardíacos.
“Estou grato por toda a minha carreira como ciclista profissional. É tempo de anunciar a minha retirada. Obrigado ao ciclismo”, escrever o australiano na sua conta na rede social Twitter.
Numa carta, disponibilizada também na rede social, o corredor explicou que “exames cardíacos realizados recentemente detetaram uma arritmia, nunca antes diagnosticada”, que se junta a uma malformação na aorta, detetada em 2001.
Michael Rogers referiu que a Volta ao Dubai, disputada em fevereiro foi a sua última corrida e mostrou-se “desapontado” por não poder disputar a sua 13.ª Volta a França nem somar no Rio de Janeiro a sua quinta participação em Jogos Olímpicos.
O ciclista, que desde 2013 alinhava na Saxo-Tinkoff, depois de passagens pelas formações Quick Step, T-Mobile e Sky, explicou, no entanto, que não está em condições de colocar a sua saúde em risco.
Rogers, que alinhou ao mais alto nível durante 16 anos, foi campeão mundial de contrarrelógio em três anos consecutivos, entre 2003 e 2005, e em 2004 conquistou a medalha de bronze na prova de contrarrelógio dos Jogos Olímpicos de Atenas.
Como sub-23 arrecadou uma medalha de prata e outra de bronze nos Mundiais de contrarrelógio em 1999 e 2000, respetivamente, tendo ainda no palmarés triunfos em três etapas da Volta a Itália e uma na Volta a França.
O australiano, que vive atualmente na Suíça com a mulher e três filhas, somou também triunfos em várias provas como o Tour Down Under, a Volta à Bélgica, a Volta à Califórnia e a Volta à Alemanha.
Na carta, Michael Rogers, recorda que começou a gostar de ciclismo em 1986, com apenas seis anos, numa altura em que a modalidade não era muito divulgada na Austrália.
“A única maneira de seguir o ciclismo profissional era através de revistas” conta, acrescentando que via provas como o Tour da Flandres, a clássica Paris-Roubaix e às 21 etapas da Volta a França gravadas em cassetes VHS por familiares da mãe que viviam na Holanda.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“José Gonçalves foi segunda na etapa”

Foto: SAPO Desporto

O outro português em prova, Domingos Gonçalves, irmão de José, também da Caja Rural, concluiu a tirada em 32.º, a 7.32 minutos, e ocupa a 27.ª posição da Geral, a 7.58.
O português José Gonçalves (Caja Rural) foi hoje segundo classificado na segunda etapa da Volta à Turquia em bicicleta, uma tirada com partida e chegada em Capadócia e vitória do seu colega de equipa Pello Bilbao.
O espanhol cumpriu os 154 quilómetros do percurso em 4:18.51 horas, mas falhou o objetivo de destronar o polaco Przemylav Niemec (Lampre-Merida), que terminou em quarto, a 10 segundos, e manteve a liderança da prova, agora com seis segundos de avanço sobre Bilbao e 11 sobre José Gonçalves.
O português terminou a etapa também a 10 segundos do vencedor, à frente do italiano Mauro Finetto (Unieuro Wilier) e de Niemec, enquanto o compatriota e colega Ricardo Vilela foi sexto, a 13 segundos, e segue na sétima posição da geral, a 19 segundos do polaco.
Depois terem acelerado a corrida a cerca de 40 quilómetros do final, formando um grupo 15 unidades na frente, a Caja Rural lançou Ricardo Vilela na última das cinco subidas do dia para obrigar a equipa do líder a trabalhar. O português foi alcançado, mas o contra-ataque de Bilbao, a três quilómetros da meta, já não obteve resposta da Lampre.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Filipe Cardoso conquista duas camisolas na Bairrada”

Daniel Mestre foi o melhor da equipa na classificação geral

A equipa profissional de ciclismo EFAPEL terminou a sua participação na 3ª Volta à Bairrada com duas camisolas conquistadas. O atleta da formação de Ovar, Filipe Cardoso, subiu ao pódio final para envergar a camisola rosa, relativa à vitória na classificação das metas volantes, e a camisola vermelha, por ter sido o primeiro nos sprints especiais. Na geral individual, Daniel Mestre acabou em quinto lugar depois de ter sido o nono mais rápido no contra-relógio que hoje encerrou a competição.

Para a derradeira etapa, a organização da Volta à Bairrada definiu um contra-relógio individual na Pampilhosa, com uma distância de 9,7 quilómetros. Daniel Mestre partiu para este dia com a camisola amarela vestida mas a equipa sabia das dificuldades em manter esta mesma posição.

“Sabíamos para o que vínhamos. Tínhamos a noção clara das nossas capacidades e o que podíamos fazer nesta competição. Uma vitória em etapa e conquistar duas camisolas é um bom resultado”, afirmou o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

Terminada esta competição de três dias, a formação sedeada em Ovar tem um intervalo competitivo de duas semanas. A próxima prova em que a equipa vai participar é o 1º Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela, que se realiza e 13 a 15 do próximo mês.


Classificação da terceira etapa (contra-relógio individual) na Volta à Bairrada

    Rafael Reis            W52 - FC Porto            10m25s

    Alejandro Marque        LA Alumínios/Antarte            a 16s

    Ivo Oliveira            Liberty Seguros/Carglass        a 20s


    Daniel Mestre            EFAPEL                a 29s

12º    Álvaro Trueba        EFAPEL                a 41s

22º    Henrique Casimiro        EFAPEL                a 53s

29º    António Barbio        EFAPEL                a 59s

43º    Filipe Cardoso        EFAPEL                a 1m16s

54º    Nuno Almeida        EFAPEL                a 1m32s

75º    Hélder Ferreira        EFAPEL                a 2m13s

NT    Rafael Silva            EFAPEL                NT


Classificação geral individual após a terceira etapa na Volta à Bairrada

    Rafael Reis            W52 - FC Porto            8h03m34s

    Alejandro Marque        LA Alumínios/Antarte            a 19s

    Ivo Oliveira            Liberty Seguros/Carglass        a 23s


    Daniel Mestre            EFAPEL                a 29s

16º    Álvaro Trueba        EFAPEL                a 57s

22º    Henrique Casimiro        EFAPEL                a 1m09s

26º    António Barbio        EFAPEL                a 1m19s

43º    Nuno Almeida        EFAPEL                a 2m06s

61º    Filipe Cardoso        EFAPEL                a 12m58s

76º    Rafael Silva            EFAPEL                a 29m10s

Fonte: Efapel

“3.ª Volta à Bairrada”

Rafael Reis voa no contrarrelógio e conquista a corrida

O português Rafael Reis (W52-FC Porto) é o vencedor da terceira edição da Volta à Bairrada, que hoje terminou com um contrarrelógio de 9,7 quilómetros, disputado na Pampilhosa, Mealhada, com vitória do corredor portista.

Rafael Reis confirmou o favoritismo com que partiu para o exercício individual, “voando” para um imbatível registo de 10m25s, que conseguiu pedalando à média de 55,872 km/h. O adversário mais próximo foi o galego Alejandro Marque (LA Alumínios-Antarte), a 16 segundos. O sub-23 Ivo Oliveira (Liberty Seguros/Carglass) fechou o pódio, a 20 segundos do primeiro classificado.

Rafael Reis, quarto classificado no Mundial de contrarrelógio para sub-23 em 2014, concluiu a Volta à Bairrada com uma vantagem de 19 segundos sobre Marque. O terceiro na geral, a 23 segundos de Reis, foi Ivo Oliveira, que, assim, conquistou o estatuto de melhor jovem da competição. O anterior camisola amarela, Daniel Mestre (Efapel), não foi além do nono tempo na etapa, a 29 segundos do melhor tempo, caindo para o quinto lugar final.

Os dois triunfos de hoje – etapa e geral – fazem de Rafael Reis, que já havia conquistado a Clássica de Amarante, o corredor mais vitorioso do pelotão português em 2016.

O contrarrelógio revolucionou a classificação geral individual, mas deixou praticamente tudo na mesma nas restantes classificações. A única que sofreu mudanças foi a da juventude, mas, ainda assim, ficou tudo em família: Rui Oliveira cedeu os louros de melhor jovem ao irmão gémeo, Ivo Oliveira. A W52-FC Porto venceu por equipas, Samuel Caldeira (W52-FC Porto) foi o primeiro por pontos, Frederico Figueiredo (Rádio Popular-Boavista) foi coroado rei dos trepadores e Filipe Cardoso (Efapel) terminou a Volta à Bairrada como dono das camisola das metas volantes e dos sprints especiais.

Fonte: FPC

CIRCUITO PORTUGAL TOUR DE BIATLE 2016

2 ªETAPA – AMADORA

Numa organização da Federação Portuguesa de Pentatlo Moderno decorreu no domingo, dia 17/Abril, na cidade da Amadora, a 2ªetapa do Circuito Portugal Tour de Biatle 2016, modalidade que tem trazido para a Torres Novas, algumas medalhas conquistadas pelos jovens atletas torrejanos em Campeonatos do Mundo e da Europa, como aconteceu no passado mês de Setembro de 2015, quando se deslocaram a Batumi na Geórgia.

Estiveram presentes cerca de 180 atletas nesta 2ªetapa em representação de mais de uma dezena de clubes, com as provas a serem disputadas num formato de Biatle Outdoor, com todos os atletas a efetuarem dois segmentos de corrida, com distâncias entre os 200m e 1.600m, e pelo meio um segmento de natação, em distâncias que variaram entre os 50m e 200m.

A Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, esteve representada nesta 2ªetapa apenas com 8 atletas, que obtiveram excelentes prestações nas provas em que participaram.

RICARDO REGO em Séniores e GUSTAVO DO CANTO em Infantis venceram as suas provas e subiram ao pódio no 1ºlugar, enquanto João Nuno Batista, também em Infantis, foi 2ºclassificado.

João Graça em Iniciados chegou na 8ªposição, e em Juvenis, Afonso do Canto, Miguel Moreira e Luis Silva foram 5º, 9º e 22ºclassificados, respectivamente. Mariana Correia, a única menina torrejana presente nesta etapa terminou na 4ªposição, também em Juvenis.

A próxima etapa deste Circuito Portugal Tour de Biatle 2016, realiza-se em Torres Novas, no dia 15 de Maio (domingo) a partir das 10h00, nas Piscinas Municipais Fernando Cunha (segmento de natação), e no Jardim das Rosas (segmento de corrida).

Fonte: Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas

“ASFIC conquista três pódios em Évora e vê três dos seus ciclistas envolvidos em quedas graves”

Realizou-se no dia 24 de abril, o Évora Granfondo Challenge, prova disputada naquela cidade alentejana que contou com a participação de mais de 1200 ciclistas.

A prova era composta por dois percursos, um de 110 km e outro de 185 Km, tendo os atletas da equipa riomaiorense ASFIC participado no percurso mais pequeno, em virtude de amanhã participarem na primeira prova oficial da época, que se realiza no Torrão, freguesia do concelho de Alcácer do Sal.

A ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo /Riomagic deslocou-se para esta prova com a equipa desfalcada de três unidades. Diogo Silva não participou por motivos profissionais, Ricardo Silva encontra-se a recuperar de duas costelas partidas, resultantes da queda que foi vítima na última prova, e João Portela, atual campeão nacional, também não pôde participar por motivos de saúde de familiares diretos.

Para esta prova, que serve principalmente como treino de equipa, aberta a todos os ciclistas, a equipa de Rio Maior apresentou-se com os atletas Rui Rodrigues, Humberto Careca, Hélder Pereira, Jorge Letras, Luís Vicente, Jorge Madeira, Edgar Oliveira e Nuno Margalho.

A prova iniciou-se às 09h00, tendo o pelotão rodado compacto durante uma parte do percurso, acontecendo naturalmente a separação dos atletas.

Sensivelmente aos 20 km uma queda no grupo da frente, vitimou o ciclista da ASFIC Jorge Madeira, que conseguiu evitar o embate nos atletas caídos, mas não evitou também ele a queda. Jorge Madeira, além de vários ferimentos e escoriações, danificou também a sua bicicleta, e ainda assim, após bastante tempo de espera seguiu até ao fim com uma roda emprestada..

Quando estavam percorridos cerca de 25 km deu-se uma fuga de 7 ciclistas, onde estavam 2 atletas da ASFIC, Jorge Letras e Humberto Careca. No entanto, cerca de 5 km à frente, Jorge Letras viria a ser vítima de queda quando outro atleta que seguia na fuga, fez uma viragem mais brusca. Jorge Letras sofreu várias escoriações, perdeu a fuga, mas conseguiu seguir com o grupo perseguidor à fuga.

O dia para a ASFIC estava a ser azarado, Mas o pior ainda estava para vir, pois aos 60 km outro ciclista da ASFIC, Luís Vicente, sofreu uma queda violenta que o deixou fora da prova. O ciclista riomaiorense saiu de estrada, acabando por ser socorrido no local e posteriormente transportado ao hospital.

A direção da ASFIC lamenta o facto de a ambulância demorar cerca de uma hora a chegar ao local, o que para um evento destes deixa muito a desejar.

Luís Vicente além de várias escoriações partiu uma clavícula, o que o deixará arredado da competição por prolongado tempo.

A fuga tinha cerca de três minutos e meio e isso não interessava à formação de Rio Maior, pois em 5 atletas só havia um da ASFIC ( Humberto Careca ) e por isso aos 80 km percorridos a equipa assumiu totalmente a corrida com o objetivo de alcançar os fugitivos, o que veio a acontecer a cerca de 5 km do fim. Mas ainda havia um elemento sozinho em fuga, que se tinha destacado sozinho nos 20 km finais.

A chegada foi rápida, mas o atleta em fuga não foi alcançado e conseguiu cortar a meta sozinho com 17 segundos de vantagem, chegando o grupo perseguidor logo atrás, onde Rui Rodrigues foi o mais forte cortando a meta na segunda posição.

Em termos de classificação, ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo /Riomagic subiu 3 vezes ao pódio: Rui Rodrigues foi 1.º do seu escalão e 2.º da geral e Hélder Pereira conquistou o 3.º lugar no seu escalão e o 6.º da geral.

Quanto aos restantes ciclistas da equipa de Rio Maior, Jorge letras foi 10.º, Humberto Careca 30.º e Edgar Oliveira 38.º. Nuno Margalho ficou a prestar auxilio a Luís Vicente

A ASFIC lamentam a queda de três dos seus ciclistas, em especial a de Luís Vicente que irá estar afastado da competição cerca de 7 semanas.

Este Inicio de época está a ser um pouco azarado para a ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo/Riomagic, pois já conta com 3 ciclistas arredados da competição (João Portela, Luís Vicente e Ricardo Silva).

A ASFIC e os seus atletas, mesmo reduzida em inferioridade numérica, continuará com a mesma ambição e determinação dignificando sempre a Ribeira de São João, a cidade de Rio Maior e os sues patrocinadores.

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC

“Bruno Pires vai disputar a Volta à Romandia”

O ciclista português Bruno Pires (Roth) anunciou esta segunda-feira que vai participar na Volta à Romandia, que tem início esta terça-feira.
"É o primeiro grande objetivo da temporada. É a primeira competição Word Tour deste projeto, onde a responsabilidade é enorme de forma a justificar o convite para estar presente nesta importante competição do calendário internacional", afirmou Bruno Pires.


Fonte: Record on-line

“Reportagem no “A Notícia” do “3º Passeio da Junta de Freguesia de Santa Clara”


Já está on-line a reportagem na “A Notícia”, do “3º Passeio da Junta de Freguesia de Santa Clara” realizado ontem em Lisboa, a mesma pode ser visualizada em: http://www.anoticia.pt/pt/201604/Desporto/140/3º-Passeio-de-cicloturismo-de-Santa-Clara.htm ou em: http://anoticia.pt/ onde pode ainda visualizar outras notícias.