terça-feira, 5 de abril de 2016

“Tiago Machado é quinto no Circuito de Sarthe”

 

Foto: NICOLAS BOUVY

O ciclista português está a 2.31 minutos do líder Marc Fournier.

O ciclista português Tiago Machado (Katusha) é o quinto classificado na geral do Circuito de Sarthe, em França, depois de ter chegado no pelotão na primeira etapa, ganha pelo francês Marc Fournier (FDJ).
Marc Fournier saltou do pelotão logo no início da tirada de 182,8 quilómetros, com partida e final em Château-du-Loir, na companhia de Grischa Janorschke (Team Roth), e ‘sobreviveu’ à perseguição movida pela Movistar para chegar isolado à meta, 02.15 minutos antes do pelotão.
O jovem de 21 anos, que em ‘dueto’ com Janorschke dispôs de 15 minutos de vantagem, cumpriu a tirada em 04:41.13 horas e, graças às bonificações, lidera a geral, com 02.26 minutos de vantagem sobre o segundo classificado, o compatriota Bryan Coquard (Direct Energie).
Machado, que foi 23.º na tirada, ocupa a quinta posição da geral, a 02.31 minutos de Fournier, depois de ter bonificado numa meta volante.
Na quarta-feira, o Circuito de Sarthe prossegue com uma etapa com dois setores: de manhã, o pelotão cumpre 85,1 quilómetros, entre Saint-Mars-la-Jaille e Angers, e, da parte da tarde, os corredores disputam um contrarrelógio de 6,8 quilómetros, em Angers.

Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Paris-Roubaix ajusta horários aos dos comboios”

  1. Foto: PETER DECONINCK / BELGA / AFP

A organização tomou a medida de forma a evitar que a corrida possa ser interrompida por passagens de nível fechadas, a Paris-Roubaix é uma das mais importantes 'clássicas' do ciclismo.
A organização da Paris-Roubaix, uma das mais importantes ‘clássicas’ do ciclismo, anunciou esta terça-feira o ajustamento do horário da prova aos dos comboios, de forma a evitar que a corrida possa ser interrompida por passagens de nível fechadas.
“Decidimos adiar um pouco a hora de partida para evitar o que sucedeu no ano passado, quando o pelotão passou ao mesmo tempo que um comboio”, afirmou o diretor da prova, Thierry Gouvenou.
Assim, a prova, que contará com a presença do português Nelson Oliveira (Movistar), partirá de Compiègne, às 09:40 (hora de Lisboa), 20 minutos depois da hora inicialmente prevista.
Gouvenou admitiu, no entanto, que se as condições meteorológicas forem adversas podem ser feitos reajustes, garantindo que o horário definitivo será anunciado no sábado à tarde.
Na edição de 2015, a pouco mais de 87 quilómetros do final, o pelotão deparou-se com cancelas fechadas numa passagem de nível, mas alguns corredores atravessaram-na, desrespeitando o regulamento e as indicações de um agente da autoridade.
O último dos ciclistas que atravessou a passagem de nível com a cancela fechada fê-lo oito segundos antes da passagem de um TGV (comboio de alta velocidade).
A direção dos caminhos-de-ferro francesa (SNCF) fez, entretanto, uma queixa oficial à Procuradoria-Geral francesa, considerando que a ação de um grupo de corredores na ‘clássica’ podia ter resultado numa tragédia mortal.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Mário Costa chamado pela Lampre-Merida para o Paris-Roubaix”

Foto: Nuno Veiga

O corredor da Lampre-Merida junta-se assim a Nélson Oliveira (Movistar).
O ciclista português Mário Costa foi hoje convocado pela Lampre-Merida para substituir o italiano Sacha Modolo na ‘clássica’ Paris-Roubaix, que se disputa no domingo.
A inclusão de Mário Costa, que se encontra na Volta ao País Basco, é a única alteração na equipa italiana relativamente ao alinhamento na Volta a Flandres, que decorreu no domingo, com vitória do eslovaco Peter Sagan (Tinkoff).
O corredor da Lampre-Merida junta-se assim a Nélson Oliveira (Movistar), o bicampeão nacional de contrarrelógio, que até hoje era o único português escalado para a ‘clássica’ que no domingo vai ligar Compiegne ao velódromo de Roubaix, no total de 257,5 quilómetros, que incluem 27 setores de empedrado.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Volta ao País Basco/Mikel Landa vence 2ª etapa e Rui Costa é sétimo”

Foto: LIONEL BONAVENTURE / AFP

O ciclista luso subiu na classificação geral após a segunda tirada.
O ciclista espanhol Mikel Landa estreou-se hoje a ganhar pela Sky, ao ser o mais forte no muro de Garrastatxu, no final da segunda etapa da Volta ao País Basco, em que Rui Costa (Lampre-Merida) foi sétimo.
Afastado das estradas até ao final do mês de março, devido a um vírus, o basco exibiu-se ao lado de casa (Murgia), destacando-se com o holandês Wilco Kelderman (Lotto Nl-Jumbo) no início da escalada ao muro de Garrastatxu, uma subida de cerca de três quilómetros com 11,7 por cento de desnível médio e com pendentes de 20 por cento de inclinação, e sobrevivendo à perseguição dos outros favoritos para ser o primeiro a cortar o risco branco, com o tempo de 04:43.17 horas.
O ataque de Landa e Kelderman, inicialmente na companhia de Alexis Vuilermoz (AG2R), que foi segundo na meta a um segundo do homem da Sky, surpreendeu o grupo de favoritos, que tardou em reagir.
Sob a marca dos últimos 1.000 metros, Rui Costa atacou, levando na roda Alberto Contador (Tinkoff), mas os sucessivos ataques dos favoritos, sobretudo as acelerações de Joaquim Rodríguez (Katusha) e Samuel Sánchez (BMC), não deram resultado, com Landa a assumir a amarela que era de Luis León Sánchez, desaparecido na subida final.
Sergio Henao (Sky) foi terceiro no final dos 174,2 quilómetros entre Markina-Xemein e Garrastatxu, a cinco segundos do seu colega de equipa, com Contador a ser quinto, a 11 segundos, e o campeão nacional de fundo a ser sétimo, a 15, na frente de um grupo no qual também estavam o colombiano Nairo Quintana (Movistar) e Rodríguez.
Tal como na véspera, André Cardoso (Cannondale) voltou a ser o segundo melhor representante luso, ao ser 34.º, a 1.06 minutos.
José Gonçalves foi 47.º, a 01.42 minutos de Landa, enquanto Mário Costa (Lampre-Merida) e Domingos Gonçalves (Caja Rural) chegaram, respetivamente, nas 119.ª e 120.ª posições, a 9.39 e 9.44 minutos. Sérgio Paulinho (Tinkoff) desistiu.
Feitas as contas após a segunda etapa, Landa lidera a geral com um segundo de vantagem sobre Kelderman, com Rui Costa a subir a sétimo, a 15 segundos do basco da Sky.
Cardoso pulou para o 35.º lugar, estando a 1.24 minutos do camisola amarela, e José Gonçalves ascendeu a 58.º, a 4.47, com o seu irmão gémeo Domingos a ser 116.º, a 16.57. Mário Costa ocupa a 140.ª posição, a 22.31 minutos de Landa.
Na quarta-feira, o pelotão vai enfrentar a terceira etapa, uma ligação montanhosa entre Vitoria e Lesaka, de 193,5 quilómetros.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Agenda de Ciclismo”

Apuramento olímpico de BTT passa por Sobrado

A terceira prova da Taça Cyclin’Portugal de cross country olímpico (XCO), uma corrida de classe 1 internacional, pontuável para a qualificação rumo ao Rio de Janeiro, realiza-se no próximo domingo, em Sobrado, Valongo. Num fim de semana repleto de ação sobre rodas, merece ainda destaque a 25.ª Volta às Terras de Santa Maria – Troféu Fernando Mendes.

Já estão inscritos mais de 400 corredores para o XCO Internacional de Valongo, esperando-se que os melhores corredores portugueses voltem a ter forte oposição forasteira. A capacidade de réplica dos ciclistas lusos será determinante para o número de pontos a conquistar com vista à qualificação para os Jogos Olímpicos, uma batalha na qual Portugal está bem colocado, ocupando a décima posição mundial, pelo que, neste momento, luta pelo apuramento dois homens para o Rio de Janeiro.

As corridas arrancam com a prova de masters e de cadetes masculinos, às 9h00. Às 11h00 parte o pelotão feminino e os juniores. Os ciclistas sub-23 e de elite entram em pista às 14h30.

A 25.ª edição da Volta às Terras de Santa Maria – Troféu José Mendes corre-se no sábado e no domingo, sendo disputada pelas equipas de clube. A prova terá três etapas e um total de 202,6 quilómetros. Abre com a tirada mais extensa, 113 quilómetros, disputar a partir das 14h00 de sábado, entre Santa Maria da Feira e São João de Ver.

A jornada de domingo é dupla. De manhã corre-se um contrarrelógio individual de 10,4 quilómetros, a partir das 9h30, em redor do Europarque. A etapa vespertina terá 79,2 quilómetros, resultantes de 12 voltas ao exigente Circuito do Castelo da Feira. A partida para o circuito está marcada para as 15h30.

A primeira etapa da Taça de Portugal de Paraciclismo está marcada também para domingo, integrada no programa da Volta às Terras de Santa Maria. Os ciclistas com deficiência vão disputar um contrarrelógio, no mesmo percurso do exercício individual da corrida para equipas de clube.

A Taça de Portugal de BMX também começa no próximo fim de semana. As duas primeiras provas pontuáveis vão realizar-se na pista de Lisboa, no sábado e no domingo.


As escolas de ciclismo vão viver um domingo agitado. As equipas do Norte juntam-se em Penafiel para o primeiro Encontro Inter-Regional de estrada na época de 2016, que vai realizar-se na freguesia de Galegos, Penafiel, a partir das 9h00. As escolas dos Sul também vão dedicar-se à estrada, às 10h00, na Quinta do Conde, Sesimbra.


Mais eventos oficiais

9 de abril, 14h00: 2.º Encontro Regional de Escolas de BTT, Mirandela

10 de abril, 8h00: 3.ª Prova da Taça Regional de XCO, Cabo Girão, Madeira

10 de abril, 9h00: 9.º Saloios BTT, Arneiros, Ventosa, Torres Vedras

10 de abril, 9h00: 2.º Ciclo-BTT de Grândola

10 de abril, 9h00: BTT Bike Temíveis Tour, Faro

10 de abril, 9h00: Albufeira Xtreme Road

10 de abril, 9h30: 9.º BTT Trilhos do Douro Internacional, Bemposta, Modadouro

10 de abril, 9h30: I Raid BTT Amoreira da Gândara, Anadia

10 de abril, 10h00: Taça de XCO de S. Miguel, Lagoa do Carvão, Açores

10 de abril, 10h45: XIV Peregrinação Nacional e Bênção dos Ciclistas, Fátima

10 de abril, 14h30: Taça do Faial de XCO, Quinta de S. Lourenço, Açores

Fonte: FPC
Uma vantagem monumental

A inovadora segunda geração que suaviza ainda mais o terreno irregular.

A TREK revela agora a nova Domane SLR. Originalmente apresentada em 2012, a Domane é a bicicleta TREK de estrada de performance equipada com travões convencionais ou travões de disco para o segmento de Bicicletas Endurance.

Aprimorando a principal característica da Domane, que foi reconhecida como um importante avanço no design moderno de bicicletas, o IsoSpeed é agora ajustável de acordo com o terreno e com o conforto vertical preferido e pretendido pelo ciclista.

Disposta a fazer progressos no potencial do IsoSpeed, a TREK honra agora o mundo do ciclismo com uma solução para os solavancos e vibrações que o ciclista sente na frente da bicicleta com a introdução do IsoSpeed frontal e o novo guiador IsoCore que amortece a vibração.

IsoSpeed Traseiro Ajustável

O que tornou a Domane num clássico de forma instantânea foi a tecnologia revolucionaria IsoSpeed. Atletas profissionais, jornalistas e ciclistas por todo o mundo sentiram a diferença na condução, e a tecnologia foi de imediato aclamada como um sucesso. Com a Domane o mundo tinha agora uma bicicleta que era duplamente complacente com as bicicletas tradicionais de estrada enquanto exteriorizava todo o potencial do ciclista. Sendo a inovação fulcral para a cultura corporativa da TREK, os seus engenheiros e o rol de atletas profissionais deram de imediato início à procura de uma potencial tecnologia de aperfeiçoamento. Os ciclistas apresentam estruturas diferentes, empregam a Domane em diversas condições e terrenos mas todos com o objetivo comum de encontrar a sua sensação preferida. Mesmo atrás do tubo de espigão de selim da Domane SLR está um slider que permite ao ciclista controlar o conforto vertical pretendido, baseando-se na sua preferência ou no terreno que pretende enfrentar. Na configuração mais baixa o conforto vertical tem um aumento global de 14% comparativamente à primeira geração da Domane.

IsoSpeed Frontal

Algumas partes essenciais do corpo dos ciclistas ficaram em desvantagem, enquanto o IsoSpeed traseiro exerce a sua função apenas na parte de trás. O desafio apresentado não era tão diferente daquele que a equipa enfrentou em 2010 aquando do desenvolvimento da primeira Domane. Consistindo em reduzir a vibração sem prejudicar a eficiência e o controlo. Posto isto, a solução para a frente da bicicleta não era tão díspar da solução traseira. IsoSpeed frontal é uma estrutura que permite ao tubo de direção fletir de forma independente da testa do quadro, aumentando assim o conforto vertical na frente da bicicleta em 10% comparativamente com uma bicicleta tradicional de estrada.

Guiador IsoCore

Um dos maiores e melhores benefícios de ter dentro das mesmas paredes uma equipa que domine todas as áreas do desenvolvimento de componentes é que os conhecimentos permitem tratar a bicicleta como um sistema único e completo. A equipa de desenvolvimento sabia que o IsoSpeed frontal era algo muito especial, mas que o efeito poderia ser ampliando tendo um guiador que enfrentasse as frequências mais altas de vibração. Assim, a Bontrager desenvolveu um guiador totalmente novo, o IsoCore. Construído com uma interna camada contínua de um elastómero termoplástico especializado revestido com o OCLV proprietário da TREK. O guiador IsoCore aumenta a capacidade de amortecimento da vibração de alta frequência, reduzindo as vibrações em 20% comparativamente a um guiador padrão de carbono.

Travão de disco opcional e espaço livre adicional

A Domane SLR está disponível nas versões de travão convencional e travão de disco e ambas possuem um espaço livre extra entre os pneus e o quadro, possibilitando a montagem de pneus mais largos. Adicionando assim à versatilidade da Domane, a possibilidade de montar pneus 28 na Domane SLR e pneus 32 na Domane SLR de travão de disco, obedecendo às regras de segurança ao consumidor e aos padrões ISO. A Domane SLR de travões convencionais integra travões direct mount extraleves, enquanto a Domane SLR de disco está equipada com eixos de 12mm.
As duas versões da Domane incluem sistema de montagem de guarda-lamas oculto.

O melhor para o fim

A TREK eleva o desenvolvimento dos seus modelos a outro nível comparativamente com as restantes marcas e inclui características bónus fulcrais, desenvolvidas com o intuito de aperfeiçoar e melhorar a experiência de todos os ciclistas. Trazendo uma das características mais aclamada da nova Madone, a Domane SLR está equipada com Domane Control Center, alojando uma bateria Di2, no tubo diagonal, mesmo por debaixo da grade de bidon.
O modelo Domane SLR de travões convencionais estará disponível no Project One, permitindo aos ciclistas personalizar e criar a bicicleta dos seus sonhos. Endurance Geometry e Race Shop Limited Pro Endurance Geometry são as duas geometrias personalizáveis disponíveis no Project One.

Segue-se o alinhamento da nova DOMANE:

§  Domane SLR 9 eTap

§  Domane SLR 7 Disc

§  Domane SLR 7

§  Domane SLR 6 Disc

§  Domane SLR 6

§  Domane SLR e Domane SLR Race Shop Limited já disponíveis através do Project One

“José Dias e Joana Monteiro triunfaram em Melgaço”

José Dias e a Campeã Nacional e do Minho Joana Monteiro triunfaram em elites no 2º BTT XCO Vila de Melgaço, segunda etapa do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros e do Campeonato Inter-Regional Minho e Porto de Cross Country Olímpico.

Saldando-se num êxito desportivo e organizativo, o 2º BTT XCO Vila de Melgaço contou com a vitória, além de José Dias e de Joana Monteiro em elites, de João Rocha e Marta Branco (juniores), Ruben Nunes (master 30), Lígia Maia (masters femininas), António Sousa (master 40), António Silva (master 50), Carlos Canal e Raquel Queirós (cadetes), Gonçalo Magalhães e Ana Santos (juvenis), João Martins e Mariana Líbano (infantis), David Ferreira e Mariana Magalhães (iniciados), José Pedroso e Rita Fontinhas (benjamins) e Filipe Ramos (promoção). Coletivamente triunfaram ASC / Focus Team / Vila do Conde (competição) e a Seissa / MGB Bikes / Matias & Araújo / Frulact (escolas).

Contando com a participação de cerca de duas centenas e meia de atletas, o 2º BTT XCO Vila de Melgaço foi promovido em conjunto pela Associação de Ciclismo do Minho e por Melgaço Sports Center (Complexo Desportivo e de Lazer / Centro de Estágios de Melgaço - www.melgacosportscenter.com), com o apoio do Município de Melgaço.

No escalão de elites, a luta pela vitória foi discutida entre José Dias (Seissa / MGB Bikes / Matias & Araújo / Frulact) e Fábio Ribeiro (Patocycles / Cube) com o primeiro a conseguir a primeira vitória no Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros deste ano ao conseguir concluir a prova com uma vantagem de 18 segundos para Fábio Ribeiro. Na corrida de elites, o Campeão do Minho em título, Jacinto Fiúza (Batotas / Ponte de Lima), terminou no terceiro lugar.

Em femininos, Joana Monteiro (ASC / Focus Team / Vila do Conde), minhota Campeã Nacional e do Minho de BTT XCO, venceu de forma clara, deixando Ana Rita Vale (Batotas / Ponte de Lima) em segundo lugar e Diana Ferreira (BMC / SRAM / Póvoa de Varzim) em terceiro.

Os Campeões Nacionais e do Minho de BTT XCO, João Rocha (Rodabike / ACRG / Gondomar) e Marta Branco (ASC / Focus Team / Vila do Conde), vencerem as corridas masculina e feminina de juniores, concluindo o circuito à frente, respetivamente, de João Carvalho (BMC / SRAM / Póvoa de Varzim) e Ana Moreira (Tomatubikers / Toyota - Macedo & Macedo), segundos classificados, e de Pedro Costa (ASC / Focus Team / Vila do Conde) e Carlota Cañamero (Coruxo C.C.) que completaram os pódios.

Em masters 30, Ruben Nunes (ASC / Focus Team / Vila do Conde) foi o vencedor do 2º BTT XCO Vila de Melgaço, ficando na segunda posição José Santos (Patocycles / Cube) e na terceira Manuel Lopes (ASC / Focus Team / Vila do Conde).

Na competição feminina de masters a vencedora foi Lígia Maia (Prorebordosa / Garrafeira Gomes / Oforsep), terminando em segundo a espanhola Monserrat Martinez (C.C. Rias Baixas).

António Sousa (Prorebordosa / Garrafeira Gomes / Oforsep) venceu a corrida de master 40, deixando no segundo posto Mário Fernandes (Rodabike / ACRG / Gondomar) e no terceiro Abel Machado (ASC / Focus Team / Vila do Conde).

No escalão de master 50 triunfou António Silva (Prorebordosa / Garrafeira Gomes / Oforsep) com as restantes posições do pódio a serem ocupadas por Mário Cruz e João Araújo, amboas da equipas JUM / Sanitop / KTM.

Carlos Canal (Academia Postal - Actyon Maceda) e Raquel Queirós (ASC / Focus Team / Vila do Conde) foram os melhores no escalão de cadetes, deixando na segunda posição André Terroso (ASC / Focus Team / Vila do Conde) e Jéssica Costa (ASC / Focus Team / Vila do Conde) e na terceira Adrian Barros (Coruxo C.C.) e Celina Faria (JUM / Sanitop / KTM).

Nos escalões de Escolas, os vencedores foram Gonçalo Magalhães e Ana Santos, ambos da ASC / Focus Team / Vila do Conde, em juvenis, João Martins (Seissa / MGB Bikes / Matias & Araújo / Frulact) e Mariana Líbano (ASC / Focus Team / Vila do Conde) em infantis, David Ferreira (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) e Mariana Magalhães (ASC / Focus Team / Vila do Conde) em iniciados e José Pedroso (Tomatubikers / Toyota - Macedo & Macedo) e Rita Fontinhas (Escola BTT Matosinhos) em benjamins.

Na vertente de promoção venceu Filipe Ramos (Individual), seguido de António Magalhães (BTT Margens do Cávado) e Carlos Pereira (Casa do Povo de Retorta).

A vitória coletiva (competição) no 2º BTT XCO Vila de Melgaço foi da ASC / Focus Team / Vila do Conde, ficando na segunda posição a equipa Prorebordosa / Garrafeira Gomes / Oforsep e na terceira JUM / Sanitop / KTM. A equipa Seissa / MGB Bikes / Matias & Araújo / Frulact foi a vencedora coletiva nos escalões de escolas com a BMC / SRAM / Póvoa de Varzim a assegurar o segundo posto e a ASC / Focus Team / Vila do Conde o terceiro.

O 2º BTT XCO Vila de Melgaço teve o apoio do Município de Melgaço,  Federação Portuguesa de Ciclismo, MAPFRE | Seguros, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, Arrecadações da Quintã, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Bike Magazine (revista oficial), Quintas de Melgaço - Paixão e Tradição, Quinta do Regueiro - Alvarinho, MonçãoBike, Polisport, João Pires - Internacional Transportes, EuroPierre, Iluza, Inês Megra - Alojamento Local, CFAM, Melpellets e Centro Óptico Ibérico.

O Melgaço Sports Center (Complexo Desportivo e de Lazer / Centro de Estágios de Melgaço), centro de treinos oficializado pela UEFA, é um espaço idealizado e construído de forma a oferecer um serviço de elevada qualidade, com equipamentos adjacentes que visam a atividade desportiva, tanto na vertente lúdica como na vertente competitiva ao mais alto nível.

O complexo constitui-se como um pólo dinamizador do desenvolvimento do desporto, lazer e turismo na região e posiciona-se como um dos mais modernos, melhor equipados e mais completos complexos desportivos.

Divide-se em duas grandes áreas. A primeira é a área de lazer, com diversos equipamentos que permitem a prática do desporto de manutenção e equipamentos destinados a atividades lúdicas e culturais.

A segunda grande área é destinada ao desporto de alta competição. Está servida por infraestruturas capazes de acolher diversas modalidades, tanto para competição como para treino. É nesta área que se situa o Centro de Estágios, dotado de um conjunto de equipamentos próprios, disponibilizados em exclusivo aos clubes em estágio. É composto por estádio de futebol, pista de atletismo, campo de treinos, balneários, clube saúde, ginásio de manutenção, salas de tratamentos e massagem, entre outros.

Estes equipamentos encontram-se vedados ao exterior, mas interligados entre si, visando oferecer as condições necessárias a um melhor estágio, em segurança, tranquilidade e com privacidade.

Fonte: ACM

“ASFIC conquista três pódios na Beira Baixa”

Realizou-se no dia 3 de abril, em Idanha-a-Nova, a 1.ª clássica da Beira Baixa , prova com dois percursos, o Granfondo – 143 km (1900m D+) com 8 setores de pavé (empedrado) e 5 subidas e o Mediofondo – 75 km /1200m D+) com 5 setores de pavé (empedrado) e 3 subidas, tendo participado no total mais de 300 ciclistas.

A equipa riomaiorense ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo / Riomagic participou nesta prova com três ciclistas da equipa de estrada (Rui Rodrigues, Luís Vicente e Ricardo Silva) e um da equipa de BTT (Paulo Costa).

Nesta prova além de competição, que serviu para os atletas avaliarem o estado da sua condição física, competiram dois no Granfondo (Rui Rodrigues e Paulo Costa) e outros dois no Mediofondo (Luís Vicente e Ricardo Silva).

Os atletas da ASFIC estavam em minoria, a equipa estava reduzida em relação aos adversários, por isso tinham de gerir os seus esforços, para que caso não vencessem a geral, vencessem ou alcançassem bons resultados nas suas categorias e escalões.

O inicio da corrida fez-se a uma velocidade bastante elevada e até passar o primeiro setor pavé, o pelotão rolou compacto, estando este setor bem como os restantes bastante perigosos devido às condições climatéricas. À passagem deste setor, um grupo de 7 ciclistas distanciou-se do pelotão entrando em fuga e até ao fim da prova, esse grupo não foi alcançado, perdendo apenas dois elementos.

Nenhum atleta da ASFIC conseguiu integrar-se na fuga com esse grupo. É muito difícil acontecer quando se está a participar com uma equipa reduzida, pois 2 atletas não conseguem responder a todos os ataques que surgem para as fugas das outras equipas.

Ainda assim, os atletas da ASFIC estiveram a um nível notório e taticamente irrepreensíveis, vindo a alcançar excelentes classificações.

No Granfondo, Rui Rodrigues que integrava o primeiro pelotão atrás dos fugitivos, sprintou à chegada e alcançou o 6.º lugar da geral, conquistando o 2.º lugar do pódio na categoria master 40. Já o seu colega, que o acompanhava (Paulo Costa), viria a ter azar a 3 km do fim com um furo, tendo mesmo assim conquistando o 17.º lugar a geral.

No Mediofondo, Ricardo Silva subiu ao 1.º lugar do pódio no seu escalão, depois de ter alcançado o 10.º lugar da geral. Luís Vicente também subiu ao 3.º lugar do pódio, depois de alcançar o 7.º lugar da geral.

Os atletas presentes, mesmo em minoria demonstraram uma grande atitude, e foram altivos, dignificando a camisola da ASFIC e os seus patrocinadores, pois dos quatro presentes, três subiram ao pódio, tendo um vencido o seu escalão.

A ASFIC agradece a todos os patrocinadores que ajudam e apoiam esta equipa.

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC

“Ciclismo: Academia Joaquim Agostinho”

Fonte: Inês Antunes

Daniel Gonçalves sobe ao pódio em "terras" de Agostinho

O primeiro fim-de-semana de abril foi bastante produtivo para os atletas da Academia Joaquim Agostinho. Contudo, destaque para o Encontro de Escolas da Silveira, que se realizou no passado domingo no nosso concelho, e onde um atleta da Academia alcançou o 2.º lugar do pódio. O Daniel Gonçalves representou da melhor forma as cores da Academia na "casa" de Joaquim Agostinho, alcançando o 2.º lugar na prova de estrada (15 quilómetros) e no contrarrelógio juvenil (2,5 quilómetros).

A este encontro de escolas a Academia levou nove atletas, desde o escalão pupilos até aos juvenis.

Quanto à primeira prova da Taça de Portugal de cadetes e femininas, que também se realizou no domingo, em Cascais, a Academia Joaquim Agostinho esteve presente com 19 atletas. A equipa feminina alcançou o seu melhor resultado na categoria de juniores, com o 2.º lugar de Beatriz Lopes, seguida de Mariana Gonçalves (4.º lugar) e Ana Marçal (5.º lugar). Nesta categoria, onde participaram 6 atletas, destacou-se a atleta individual Maria Martins, que bateu Beatriz Lopes na chegada à meta.

Em elites, a prova foi ganha pela campeã nacional de estrada e contrarrelógio, Daniela Reis. A melhor classificada da Academia, Andreia Alves, ficou à beira do pódio, no 4.º lugar. Nesta categoria correram 16 atletas, sendo que a Academia colocou Andreia Lopes na 9.ª posição, Natacha Carapeto no 10.º lugar, Ana Rita Valido no 11.º posto e, por fim, a Ana Lopes, no 13.º lugar. Na categoria de Masters, Ana Cabral classificou-se na 5.ª posição, numa prova ganha por Elisete Sousa (5 Quinas/Município de Albufeira).

Quanto à equipa de cadetes, esteve em prova com 10 atletas, tendo conseguido que dois deles alcançassem o Top 20. O melhor classificado da equipa da Academia Joaquim Agostinho foi o Guilherme Valverde, que alcançou a 13.ª posição, entre os 66 atletas presentes. Já o Rafael Costa fechou o Top 20, seguido por Sandro Vieira, no 21.ª lugar, e por Afonso Morgado no 22.º lugar.

Estiveram ainda presentes os atletas: Rafael Silva (29.º ), Rodrigo Antunes (30.º), Tiago Almeida (34.º), Pedro Pereira (41.º), Alexandre Mota (48.º) e Ivo Gonçalves (57.º). A equipa da Academia classificou-se no 4.º lugar por equipas, à frente do Sporting/Tavira, equipa de Daniel Lopes, vencedor desta primeira prova da Taça de Portugal de cadetes.

Quanto à equipa sub-23, Sicasal/Constantinos/UDO, volta à estrada já este fim-de-semana, para a Volta às Terras de Santa Maria. No sábado, dia 9 de abril, é a primeira etapa, que liga Santa Maria da Feira a São João de Ver, com uma extensão de 113 quilómetros. No domingo, é dia de jornada dupla, com um contrarrelógio individual, de 10,4 quilómetros, a partir das 9H30. Esta corrida contra o tempo tem partida e chegada ao Europarque - Centro de Congressos. À tarde, a partir das 15H30, os ciclistas da equipa torriense vão enfrentar o Circuito do Castelo, com uma extensão de 72 quilómetros.

Já a equipa feminina vai internacionalizar-se pela primeira vez e participar na Taça de Ciclismo de Espanha. No sábado estreiam-se nas estradas espanholas no 2.º Troféu Mapfre, em Fontiveros (Ávila), e no domingo é altura de participarem no III Troféu de Ciclismo Feminino de Zamora. Em prova vão estar a junior Mariana Gonçalves e as elites Natacha Carapeto e Andreia Alves.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho