sábado, 2 de abril de 2016

“GP Miguel Indurain: Frederico Figueiredo foi 10.º”

Autor: Lusa

Foto: Amândia Queirós

Ciclista da Rádio Popular-Boavista em evidência.

Frederico Figueiredo (Rádio Popular-Boavista) foi este sábado o primeiro português a concluir os 192 quilómetros do Grande Prémio Miguel Indurain em bicicleta, no 10.º lugar, a 3.55 minutos do vencedor, o espanhol Ion Izagirre (Movistar).
Izagirre impôs-se ao sprint ao colombiano Sergio Luis Henao (Sky), que concluiu a prova de um dia com o mesmo tempo, enquanto o italiano Moreno Moser (Cannondale) foi terceiro, a 14 segundos.
Atrás de Frederico Figueiredo, destaque para os seus companheiros de equipa David Rodrigues, que foi 28.º a 4.17 minutos, e César Fonte, 43.º a 8.13, enquanto João Rodrigues foi o melhor representante da W52-FC Porto-Porto Canal, ao concluir a prova no 48.º posto, a 16.01.

Fonte: Record on-line

“Assembleia Geral”

Relatório e Contas aprovado por unanimidade com louvor a aclamação

O Relatório de Atividade e as Contas da Federação Portuguesa de Ciclismo relativo ao ano de 2015 foi hoje aprovado por unanimidade, durante a reunião da Assembleia Geral (AG), realizada em Lisboa. A AG aprovou ainda por unanimidade e aclamação um voto de louvor à Direção pelo trabalho efetuado no ano passado.

O ano de 2015 foi de risco e de ambição por parte da Federação Portuguesa de Ciclismo, que incrementou o orçamento em 21 por cento, face a 2014, para responder à implementação do programa Cyclin’Portugal. O desafio foi ultrapassado com sucesso, nos campos desportivo e financeiro, já que o exercício terminou um resultado líquido positivo de €18.863.

“O lançamento do projeto Cyclin’Portugal corporizou a ambição de ir mais além na procura simultânea de encontrar novas formas de financiamento e de fortalecer o quadro competitivo, melhorando a qualidade desportiva do ciclismo que se faz em Portugal”, considera o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira. O Cyclin’Portugal “iniciou um processo mais intenso de colaboração com as entidades nacionais e regionais de turismo, que perceberam o potencial económico da modalidade”, congratula-se o dirigente.

Desportivamente, 2015 foi também um ano marcante para o ciclismo luso. Portugal terminou a época na 12.ª posição no ranking WorldTour por nações, o que garantiu a qualificação de quatro corredores para os Jogos Olímpicos, um acréscimo de 33 por cento face à comitiva de 2012. No BTT, Portugal fechou a época em condições de lutar pelo apuramento olímpico de dois ciclistas, feito que, a confirmar-se em 2016, será inédito. O ciclismo de pista manteve a trajetória evolutiva, estreando-se, na categoria de elite, no Campeonato do Mundo, no Campeonato da Europa e na Taça do Mundo.

O avanço qualitativo andou de braço dado com o crescimento do número de praticantes. Em 2015 filiaram-se 14637 ciclistas, mais 10,6 por cento do que na época desportiva anterior.

“Encerrámos o ano com a satisfação do dever cumprido, mas com responsabilidade acrescida: o ciclismo continuar a guindar-se a patamares superiores, o que aumenta a exigência para o futuro”, conclui Delmino Pereira.

Sócios de Mérito

A Assembleia Geral também aprovou por unanimidade e aclamação a atribuição do título de Sócio de Mérito a cinco dirigentes históricos das Associações Regionais de Ciclismo: Amâncio Passos (Minho), Basílio Angélico (Vila Real), Eduardo Guilherme (Setúbal), Joaquim Leite (Porto) e Saúl Jorge (Santarém).

Fonte: FPC