domingo, 27 de março de 2016

“Sagan conquista a 'clássica' Gent-Wevelgem"



 
Foto: DR

O eslovaco da Tinkoff tem sido confrontado com a falta de vitórias em 2016 e com as opções de corrida que toma, mas hoje juntou-se ao grupo fugitivo no momento certo.
O campeão do mundo Peter Sagan (Tinkoff) desforrou-se do insucesso de sexta-feira ante Michal Kwiatkowski (Sky), em Harelbeke, Bélgica, ao vencer hoje a 'clássica' Gent-Wevelgem, somando o segundo triunfo da carreira nesta prova da Flandres.
O eslovaco da Tinkoff tem sido confrontado com a falta de vitórias em 2016 e com as opções de corrida que toma, mas hoje juntou-se ao grupo fugitivo no momento certo, esperando até ao último momento do 'sprint' para se estrear a ganhar nesta temporada, e logo numa 'clássica' da Flandres.
Nesta ligação de 242,8 quilómetros entre Deinze e Wevelgem, marcada pelo abandono do português Nelson Oliveira devido a um problema mecânico, foi na última subida, em Kemmelberg, a 35 quilómetros da meta, que o suíço Fabian Cancellara (Trek) se aliou a Sagan e ao belga Sep Vanmarcke (Lotto-Jumbo) para escapar ao pelotão.
O trio depressa se juntou ao russo Viacheslav Kuznetsov (Katusha), que seguia isolado na frente. Atrás, o belga Van Avermaet (BMC), vencedor do Tirreno-Adriático desta temporada, juntava-se ao checo Zdenek Stybar (Etixx-QuickStep) e ao britânico Luke Rowe (Sky), mas cedo foram 'apanhados' pelo pelotão.
Depois da subida no tradicional empedrado, Cancellara e Sagan juntaram forças e garantiram uma vantagem de 50 segundos para o 'sprint' final. Aí, os ciclistas encenaram acelerações, até o russo Kuznetsov ser o primeiro a tentar embalar para a vitória. Vanmarcke ripostou, mas foi Sagan quem melhor geriu a distância para a meta, de forma a vencer a primeira corrida do ano.
Com o tempo de 5:55.16 horas, o campeão do mundo repetiu o feito de 2013, à frente de Vanmarcke e Kuznetsov, com Cancellara a falhar o pódio. O eslovaco tornou-se ainda o segundo ciclista a ganhar a Gent-Wevelgem, com a camisola 'arco-íris', depois do belga Rik Van Looy, em 1962.
"Estou muito contente. Ganhei, finalmente, com a camisola arco-íris. É a minha segunda vitória aqui e todo o grupo esteve a dar tudo para poder disputar a vitória. Trabalhei com o Fabian (Cancellara) desde o início e todos sabiam que eu seria o mais rápido se estivesse bem", disse Sagan após a corrida.
O pelotão chegou a 11 segundos encabeçado pelo francês Arnaud Démare (FDJ), vencedor da Milão-São Remo, e o colombiano Fernando Gaviria (Etixx-QuickStep) quinto e sexto classificados, respetivamente.
A prova ficou marcada por uma centena de desistências, entre as quais a do português Nelson Oliveira (Movistar), que se viu obrigado a abandonar com raios da roda da frente partidos. A sua próxima prova será a Volta a Flandres, a 03 de abril.
Antoine Demoitié teve o incidente mais grave, ao cair e sofrer, de seguida, um atropelamento por uma moto, quando a corrida desenrolava no norte de França, em Sainte-Marie-Cappel, sendo encaminhado para um hospital em Lille
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Quintana resiste às investidas e vence Volta à Catalunha”

Foto: JAVIER LIZON / EPA

O único português presente, André Cardoso (Cannondale) terminou a etapa em 62.º, a 3.29 minutos do vencedor.
O colombiano Nairo Quintana (Movistar) confirmou hoje a sua primeira vitória na Volta a Catalunha em bicicleta, depois de controlar os ataques na sétima e última etapa, ganha pelo russo Alexey Tsatevich (Katusha).
Na curta tirada de 136,4 quilómetros, com partida e chegada em Barcelona, o espanhol Alberto Contador (Tinkoff), segundo classificado, a sete segundos, não deu tréguas ao líder nas oito voltas ao circuito de Montjuíc, mas o colombiano, bem escudado pela sua equipa, respondeu à altura.
Após o constante sobe e desce da montanha 'olímpica', o único português presente, André Cardoso (Cannondale) terminou a etapa em 62.º, a 3.29 minutos do vencedor, e fechou a prova no 36.º posto da geral, a 10.20 de Quintana.
Enquanto o irlandês Dan Martin (Etixx-QuickStep) aproveitou os 'sprints' intermédios para ganhar as bonificações suficientes para 'roubar' a terceira posição ao australiano Richie Porte (BMC), vencedor do ano passado, Contador resguardou-se e esperou pela entrada no parque de Montjuíc.
Na terceira volta ao circuito final, a cerca de 38 quilómetros da meta, Contador acelerou, acompanhado por Matteo Tosatto e Yuri Trofimov, mas Quintana, protegido por Winner Anacona e Imanol Erviti, nunca perdeu de vista o madrileno e foram mesmo os seus companheiros a marcar o ritmo daí para a frente.
A cerca de 11 quilómetros do final, a Movistar voltaria a responder sem problemas a uma novo ataque de Contador e posteriormente a outro de Christopher Froome (Sky), ao mesmo tempo que foram anulando outras tentativas, como uma liderada por Fabio Aru (Astana), vencedor da Volta a Espanha de 2015, e outra pelo espanhol Joaquim Rodríguez (Katusha).
Alheios a esta luta, Alexey Tsatevich e o eslovaco Primoz Roglic (Lotto Jumbo), únicos resistentes de uma fuga bem mais madrugadora, disputaram a vitória num 'sprint' a dois, que acabou por ser favorável ao russo, após 3:13.33 horas de corrida.
Passados 14 segundos, encabeçado pelo colombiano Jarlinson Pantanto (IAM), chegava o grupo dos favoritos, sem que Quintana, segundo classificado da Volta a França no ano passado, tivesse sido verdadeiramente incomodado. O colombiano conservou os sete segundos de avanço sobre Contador, enquanto Martin e Porte terminaram a 17 e Tejay Van Garderen (BMC) foi quinto, a 27, numa prova renhida, em que o oitavo, Froome, ficou somente a 46 segundos.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Timothy Dupont conquista Volta à Normandia”

Foto: AFP

Fábio Silvestre (Leopard) foi 21.º com o mesmo tempo do vencedor, integrando o primeiro pelotão de 24 elementos.
O ciclista belga Timothy Dupont (Verandas Willems) venceu hoje ao 'sprint' a sexta e última etapa da Volta à Normandia, prova francesa conquistada pelo compatriota Baptiste Planckaert (Wallonie Bruxelles).

Dupont, que tinha sido também o mais forte na primeira tirada, cumpriu os 150 quilómetros entre Coutances e Caen em 3:23.50 horas, batendo o espanhol Sebastián Mora (Raleigh GAC) e o norueguês Amud Grondahl (Joker).

Na classificação final, Baptiste Planckaert concluiu a competição em 25:27.54 horas, deixando o compatriota e colega de equipa Olivier Pardini (Wallonie Bruxelles) e o francês Benoit Sinner (Armée de Terre) empatados a três segundos.

Fábio Silvestre (Leopard) foi 21.º com o mesmo tempo do vencedor, integrando o primeiro pelotão de 24 elementos, e com isso subiu 15 lugares para 21.º, concluindo a 2.59 minutos do primeiro.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Ciclista que sofreu enfarte no Critério Internacional contínua em estado grave”

Daan Myngheer abandonou a primeira etapa da prova a cerca de 30 quilómetros da meta e recebeu assistência do serviço médico da corrida.
O ciclista belga Daan Myngheer permanecia hoje em estado grave, depois de ter sofrido um enfarte no sábado durante a primeira etapa do Critério Internacional, informaram hoje os organizadores da priva francesa.
O corredor da equipa Roubaix Métropole Lille, de apenas 22 anos, está internado num hospital de Ajaccio, na Córsega, para o qual foi transportado de helicóptero.
Indisposto, Daan Myngheer abandonou a primeira etapa da prova a cerca de 30 quilómetros da meta e recebeu assistência do serviço médico da corrida, mas acabou por fazer um enfarte na ambulância.
Colocado sob respiração artificial, o corredor foi transferido da policlínica de Porto Vecchio para Ajaccio, onde permanece em estado de coma.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa