domingo, 20 de março de 2016

“Enric Mas: «Ganhar aqui como Indurain é algo grande»”

Feliz por ter conquistado Volta ao Alentejo

Texto e foto: Lusa

O ciclista espanhol Enric Mas (Klein Constantia) mostrou, este domingo, todo o seu orgulho pela vitória na Volta ao Alentejo, descrevendo como "muito bonita" a luta que travou com o norueguês Krister Hagen pela amarela.
"Hoje toda a equipa fez um enorme trabalho. Quero agradecer a todos", começou por dizer o maiorquino, de 21 anos, antes de ser alertado para o facto de ter vencido a Alentejana 20 anos depois de Miguel Indurain. "Poder ganhar aqui, como fez o Indurain, é algo grande", assegurou.
Vencedor no desempate por resultados - no conjunto das cinco etapas, foi melhor nas posições das tiradas do que o homem da Coop-OsterHus -, Enric Mas considerou que o seu primeiro grande triunfo é mais importante do que o modo como aconteceu.
"Independentemente de sermos rivais, a minha luta e do Krister foi muito bonita. Lutámos muito", salientou o espanhol que, ainda antes de conhecer o resultado final, cumprimentou o seu grande adversário na 34.ª edição.
Mas espera agora que a sua vitória lhe abra as portas do pelotão do WorldTour: "Oxalá, apareça alguma equipa que me dê um espaço. Se não for para ganhar corridas, que seja para trabalhar para algum grande ciclista".
"É muito difícil perder assim", reconheceu Krister Hagen, completamente desolado com o desfecho conhecido no final da quinta etapa, que ligou Santiago do Cacém a Évora.
Questionado por um colega da Coop-OsterHus, o norueguês limitou-se a abanar a cabeça em sinal de derrota, antes de, com um sorriso triste, garantir que tudo fez para vencer e prometer que vai tentar voltar para levar para casa a amarela.
Tão feliz como Enric Mas estava Rafael Silva, o melhor português na geral, que viu perigar o seu quinto lugar por uma queda nos metros finais da 34.ª edição da Volta ao Alentejo.
"Era o resultado esperado. Vinha na frente quando se deu a queda e fiquei cortado. A chegada era muito perigosa, por isso penso que foi o resultado justo", disse, referindo-se à decisão dos comissários de dar o mesmo tempo aos ciclistas classificados depois dos dois primeiros lugares.
O corredor da Efapel destacou ainda que subir ao pódio como melhor português dignificou as cores da sua equipa e o trabalho que realizou ao longo das cinco etapas, sempre com o objetivo de terminar entre os três primeiros da geral.

Fonte; Record on-line

“Taça Cyclin’Portugal de XCO”

Corredores estrangeiros mais fortes em Marrazes

A segunda prova da Taça Cyclin’Portugal de cross country olímpico (XCO), hoje disputada na nova pista permanente de Marrazes, Leiria, foi totalmente dominada pelo forte contingente forasteiro, que conseguiu na prova portuguesa de classe 1 internacional preciosos pontos para as contas de apuramento olímpico.
A prova de elite masculina assistiu a uma enorme demonstração de força do galego Pablo Rodríguez (MMR Factory Racing Team), que se isolou na primeira das cinco voltas e triunfou em solitário. Rodríguez cortou a meta com uma vantagem confortável de 1m01s face ao adversário mais direto, o prodígio germânico Maximilian Brändl, vice-campeão mundial júnior em 2015. O francês Hugo Drechou (Calvisson Vtt) foi o terceiro, a 1m41s.

O campeão nacional, David Rosa, foi o melhor português, apesar de o percurso, muito enlameado, não favorecer as suas caraterísticas. Cruzou o risco no quinto lugar, a 2m49s do vencedor. A posição hoje alcançada permite ao ciclista natural de Fátima manter-se no topo da geral da Taça e amealhou 20 pontos para o ranking de qualificação olímpica. José Dias (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) saltou para a liderança em sub-23.

A prova de elite feminina, que também contou com uma forte participação internacional, foi dominada pela seleção nacional da Polónia, que cumpriu com sucesso o objetivo de pontuar em Portugal tendo em vista o apuramento para o Rio de Janeiro, ocupando as duas primeiras posições.

Monika Żur, medalha de bronze no Europeu de sub-23 do ano passado, foi a mais forte. Cortou a meta com 6 segundos de vantagem sobre a compatriota Aleksandra Dawidowicz. A chinesa Ren Chengyuan foi a terceira classificada, a 3m37s da vencedora. Ana Vale (Batotas/Ponte de Lima), décima classificada, a 18m50s, foi a melhor portuguesa. Ana Tomás (BTT Seia) bateu as restantes sub-23.

Na geral, a ucraniana Nataljia Krompets, quarta classificada em Marrazes, segurou o primeiro lugar entre a elite feminina. Ana Tomás assumiu a liderança em sub-23.

Em juniores, os triunfos neste domingo foram para os corredores que já chegaram a Marrazes na frente da Taça Cyclin’Portugal, João Rocha (Rodabike/ACRG/Gondomar), no setor masculino, e a britânica Emily Wadsworth (Beeline-Gener8), entre as raparigas. Guilherme Mota (Marrazes/Gui/Breijinho/BikeZone Leiria), a correr em casa, foi o melhor cadete e passou para o comando da geral. Raquel Queirós (ASC/Focus Team/Vila do Conde) ganhou a prova de cadetes femininas e assumiu a liderança, com os mesmos pontos de Raquel Silva (BTT Loulé/BPI).

Nas categorias de veteranos os melhores foram Rúben Nunes (ASC/Focus Team/Vila do Conde), em masters 30, António Sousa (ProRebordosa/Garrafeira Gomes/Oforsep), em masters 40, Reinaldo Luís (HC Turquel/TalachaShop/Valsabor), em masters 50, e Teresa Fernandes (Nutrimania Sports Nutrition/GDVP), em femininas.

Fábio Luiz (Marrazes/Gui/Breijinho/BikeZone Leiria) foi o mais forte dos dois paraciclistas presentes. A ASC/Focus Team/Vila do Conde venceu a classificação coletiva.

Além da prova de XCO, Marrazes acolheu neste domingo o Encontro Inter-Regional de Escolas. No conjunto das duas realizações, passaram pela freguesia leiriense cerca de 700 atletas.

A Taça Cyclin’Portugal de XCO prossegue no dia 10 de abril, em Valongo, com a realização de mais uma prova de classe 1 internacional.

Fonte: FPC

“Mais” emocionante era impossível, Espanhol venceu “Alentejana”

Metas Volantes decidiram a prova

Houve emoção na 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola até ao último metro de competição quando Remi Cavagna (Klein Constantia) cortou a meta na Praça do Giraldo, em Évora. Apesar do contentamento do francês era o companheiro de equipa, Enric Mas que inscrevia o nome na história principal da prova, deste ano, ao tornar-se o 34º vencedor. O jovem espanhol terminou a derradeira etapa na quinta posição, logo atrás do mais direto adversário, o norueguês Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus) que liderava a competição à saída de Santiago do Cacém, onde começou esta quinta etapa, com apenas um segundo de vantagem. No final, em Évora, ambos acabaram fora das bonificações, mas as contas já tinham sido feitas na estrada. Na última Meta Volante, em Arraiolos, Enric Mas foi segundo e Hagen terceiro e as bonificações amealhadas nesse ponto deixavam-os em pé de igualdade. O desempate fez-se recorrendo às melhores classificações no conjunto das cinco etapas da “Alentejana” e Enric Mas, que por exemplo ganhou a etapa de Montemor-o-Novo, foi declarado vencedor, algo que fora planeado. “Duas semanas antes de aqui chegar fui atropelado e estive internado. Nunca pensei estar em forma para esta prova, mas o trabalho que fiz em casa e os cuidados que tive deram resultado.”  

Para os derradeiros 172,3 Km da Volta, o jovem de 20 anos, que correu 3 anos na equipa de formação da Fundação de Alberto Contador, tinha a lição bem estudada “Tínhamos planeado fazer uma fuga para garantir as bonificações e acabei por conseguir na última Meta Volante os dois segundos que precisava para igualar o Camisola Amarela, porque ele fez terceiro. Recuperei o tempo que me faltava e acabei por chegar à vitória.”  


Esta “Alentejana” milimétrica entregou a Enric Mas a Camisola Amarela Crédito Agrícola, mas também a Verde Clara CA Vida, que distinguiu o corredor mais pontuado e ainda a Camisola Branca RTP, símbolo da juventude. Os outros premiados da Volta ao Alentejo neste ano de 2016 foram os portugueses Amaro Antunes (LA AlumíniosAntarte) que vestiu a Camisola Verde Escura CA Seguros do Prémio da Montanha na primeira etapa e nunca mais a largou. Rafael Silva (Efapel) terminou a prova na quinta posição da geral e foi o melhor português. Por equipas a norte americana Axeon/Hagens Berma ganhou coletivamente. 

A 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola é uma organização conjunta da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e Podium Eventscom o patrocínio de Crédito Agrícola, CA Vida, CA Seguros, RTP, Jornal A Bola, Antena1, Cision, KIA, Delta Cafés, Vitalis, KTM, Fundação INATEL, Shimano, Pacto, Dietsport, Instituto Geográfico do Exército, Infraestruturas de Portugal e com apoio institucional do Turismo do Alentejo e Ribatejo, CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, CIMAL – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral, da Junta de Freguesia de Alcáçovas e dos Municípios de Portalegre, Castelo de Vide, Monforte, Montemor-o-Novo, Portel, Beja, Aljustrel, Grândola, Santiago do Cacém e Évora.

Fonte: Podium

“Reportagem no “O Praticante” “28º Passeio do Pinhal Novo.2016”

Já está on-line a reportagem no “O Praticante” “28º Passeio do Pinhal Novo.2016” a mesma pode ser visualizada em: http://www.opraticante.pt/pinhal-novo-junta-450-participantes-numa-classica-do-cicloturismo-nacional/ ou em: http://www.opraticante.pt/  onde pode ainda visualizar outras notícias.

“Reportagem no “Jornal de Ciclismo”

Já está on-line a reportagem no “Jornal de Ciclismo” “28º Passeio do Pinhal Novo.2016”, a mesma pode ser visualizada em: http://jornalciclismo.com/?p=41651 ou em: http://jornalciclismo.com/ onde pode ainda visualizar outras notícias.

“Galeria Multimédia” divulgação das Fotos do “28º Passeio do Pinhal Novo.2016”

Já estão on-line na “Galeria Multimédia”, as fotos do “28º Passeio do Pinhal Novo.2016” realizado hoje no Pinhal Novo, as mesmas podem ser visualizadas em: