quinta-feira, 10 de março de 2016

“ACM e Secção de Patinagem do Grupo Nun´Álvares - Fafe formalizaram parceria”

A Associação de Ciclismo do Minho e a Secção de Patinagem do Grupo Cultural e Recreativo Nun´Álvares - Fafe subscreveram um protocolo de colaboração que prevê que o ciclismo seja o tema das exibições que o grupo fafense apresentará nos campeonatos Nacional e da Europa de Patinagem Artística.
O Campeonato Nacional e o Europeu de Show & Precisão serão disputados no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, respetivamente, nos dias 12 e 13 de março e de 27 a 30 de abril. O Grupo Cultural e Recreativo Nun´Álvares – Fafe competirá na categoria “precisão - júnior” (feminino/masculino) apresentando nas duas provas exibições subordinadas ao tema “ciclistas”.
O protocolo entre a Associação de Ciclismo do Minho e a Secção de Patinagem do Grupo Cultural e Recreativo Nun´Álvares - Fafe foi subscrito aquando da realização do Prémio de Ciclismo Cidade de Fafe (Prova de Abertura de Cadetes / Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã) por Filipe Ferreira, em representação da Seção de Patinagem do Grupo Cultural e Recreativo Nun´Álvares / Seção de Patinagem) e por José Luís Ribeiro, Presidente da Associação de Ciclismo do Minho.
As duas entidades propõem-se estabelecer entre si as parcerias necessárias nos domínios que lhes sejam de interesse comum, designadamente na prossecução dos objetivos que lhes são estatutariamente acometidos. A cooperação será desenvolvida através da implementação de parcerias que promoverão o intercâmbio e a cooperação em áreas de mútua conveniência.
Além de subordinarem ao tema “ciclistas” as exibições no Campeonato Nacional e no Europeu de Show & Precisão de Patinagem Artística, os atletas do Grupo Cultural e Recreativo Nun´Álvares exibirão nos equipamentos – disponibilizados também com o apoio da Decathlon (Guimarães e Braga) – a marca “Força Minho” promovida pela Associação de Ciclismo do Minho.
O Grupo Cultural e Recreativo Nun´Álvares – Fafe foi uma das coletividades que em 1977 esteve na origem da Associação de Ciclismo do Minho.
Fonte: ACM

“Seleção Nacional/Liberty Seguros/ Campeonato Mundial Universitário (CMU) de Ciclismo"

Dois portugueses competem no Mundial Universitário

André Crispim e Gaspar Gonçalves vão representar Portugal no Campeonato Mundial Universitário (CMU) de Ciclismo, que vai decorrer em Tagaytay, Filipinas, de 16 a 20 de março. Os estudantes-atletas vão competir sob a orientação do Selecionador Nacional de Ciclismo de Estrada, José Poeira, que assume, no evento da próxima semana, o papel de Selecionador Nacional Universitário.
André Crispim é estudante da Escola Superior de Artes e Design do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) e Gaspar Gonçalves frequenta a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). Ambos vão participar nas provas de Estrada: critério (80 km), a 17 de março, e prova de fundo (122 km), no dia seguinte.

Os dois corredores são atletas da Liberty Seguros/Carglass e contam no seu palmarés com algumas participações e conquistas de relevo. Gaspar Gonçalves acumula já três anos de participação em campeonatos do mundo e da europa nos escalões mais jovens e André Crispim conta com a vitória na Volta a Portugal de Juniores, em 2014.

José Poeira considera que “há corredores mais experientes que os nossos atletas, mas a idade não quer dizer nada, na hora da corrida penso que vamos estar à altura. A vontade que eles têm de fazer bem vai ser superior a essas adversidades. São corredores experientes e equilibrados para este tipo de competição”, caracteriza o treinador.

No âmbito desta participação, a Federação Académica do Desporto Universitário (FADU) e a Federação Portuguesa de Ciclismo (UVP-FPC) formalizaram hoje, dia 10, um protocolo de parceria, momento que antecede a saída da delegação portuguesa, chefiada pelo presidente da FADU, Daniel Monteiro, que parte do Aeroporto de Lisboa no sábado, às 21h00.

Daniel Monteiro está confiante que os portugueses vão alcançar bons resultados e destaca a importância desta participação, não só para os dois corredores estudantes-atletas como para a própria ligação do desporto universitário ao ciclismo nacional. “Espero que seja uma experiência realmente proveitosa para o desenvolvimento desportivo dos nossos atletas, que por via desta participação terão mais uma oportunidade de demonstrar a sua qualidade e a do ciclismo português”, referiu o presidente da FADU.

Ainda sobre a parceria com a FPC, Daniel Monteiro afirma que “a assinatura deste protocolo de colaboração entre a FADU e a FPC promoverá novas organizações e participações conjuntas, assim como um trabalho de cooperação para um maior incentivo e estímulo à conjugação da carreira desportiva com uma formação superior, junto de jovens ciclistas nacionais”.

O presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, destaca que “a participação do ciclismo português nesta competição universitária, através de dois corredores de futuro que nunca deixaram de estudar, é um incentivo para que todos os corredores se empenhem na modalidade sem descurar a tão importante carreira académica".

Já na agenda das organizações futuras está a próxima edição do Campeonato Mundial de Ciclismo, que terá lugar na cidade de Braga, em 2018, atribuído à FADU, à Associação Académica da Universidade do Minho e à Universidade do Minho.

Esta é a 7.ª edição do CMU de Ciclismo, tendo a primeira sido em 1978 em Antuérpia, Bélgica, e a última edição há 2 anos, na Polónia. O título de campeão do mundo universitário de estrada é atualmente do polaco Petr Vakoc, 3.º classificado do ranking mundial da UCI.

Este evento realiza-se na cidade de Tagaytay e é organizado pela Federação Filipina de Desporto Universitário (FESSAP), sob égide da Federação Internacional de Desporto Universitário (FISU), tendo como delegado técnico da FISU o português e comissário internacional da UCI, Luís Loureiro.

A única participação de Portugal no Mundial Universitário de Ciclismo data de 2006, com a presença de José Mendes, estudante-atleta da Universidade do Minho, que se classificou em 17º lugar.

O programa do CMU inclui as provas/modalidades de BTT – XCO (Cross Country Olímpico) e XCE (Cross Country Eliminator), e de Estrada – Estrada e Critério.

Podem acompanhar toda a informação sobre a participação de Portugal no CMU de Ciclismo no site oficial da FADU em www.fadu.pt e no Facebook em www.facebook.com/fadupt.

Página Oficial do CMU de Ciclismo: http://wucc2016.com/

Fonte: FPC

“Paris-Nice/A vingança de Bouhanni à quarta etapa”

“Paris-Nice/A vingança de Bouhanni à quarta etapa”
Foto: ERIC FEFERBERG / AFP
Rui Costa subiu dois lugares na classificação geral.
Nacer Bouhanni venceu ao sprint quarta etapa que ligou Julianas a Romans-sur-Isère na distância de 193,5 km. Este triunfo chega dois dias depois do ciclista da Cofidis ter sido desclassificado por um sprint irregular com Michael Matthews. Bouhanni superiorizou-se ao belga Edward Theuns (Trek) e o alemão André Greipel (Lotto Soudal).
O líder Michael Matthews (Orica) chegou na quinta posição e manteve a liderança da prova. O australiano tem 14 segundos de vantagem sobre Tom Dumoulin (Giant-Alpecin) e 19 sobre Bevin Patrick (Cannondale), Izaguirre (Movistar) e Geraint Thomas (Sky). Já o português Rui Costa (Lampre/Merida) subiu ao 34.º posto, estando a 49 segundos do líder.
Esta sexta-feira corre-se a quinta etapa que ligará Saint-Paul-Trois-Châteaux a Salon-de-Provence. Esta tirada deverá mudar a classificação geral com uma passagem pelo Mont Ventoux.
Fonte: SAPO Desporto

“Tirreno-Adriático/A primeira vitória de 2016 de Stybar vale liderança”

Foto: AFP
O ciclista checo Zdenek Stybar (Etixx-QuickStep) voltou hoje a demonstrar porque é um dos melhores ‘puncheurs’ do pelotão, ao vencer a segunda etapa do Tirreno-Adriático e, conquistar, como ‘bónus’, a camisola azul.
A etapa, desenhada pelo duas vezes campeão do mundo Paolo Bettini, estava talhada para os ciclistas mais tecnicistas, aqueles que se destacam nas ‘clássicas’, e um deles não desiludiu: Stybar atacou a 2,8 quilómetros da meta e, com a perícia própria de quem é triplo campeão mundial de ciclocrosse, enfrentou os complicados metros finais da ligação de 207 quilómetros para erguer os braços pela primeira vez esta temporada, em Pomarance.
Bem situado na subida de Cerreto, que incluía rampas de 18% de inclinação, o ciclista da Etixx-QuickStep soube vigiar de perto os ataques fugazes de Peter Kennaugh (Sky) e Diego Ulissi (Lampre-Merida) e calcular o momento certo do ataque para chegar isolado e conquistar a liderança da prova italiana.
Segundo na Strade Bianche no sábado passado, o checo aguentou a perseguição de um grupo de respeito, para cortar a meta com o tempo de 05:10.03 horas, um segundo à frente do ‘eterno’ segundo, o eslovaco Peter Sagan, e de Edvald Boasson Hagen (Dimension Data), com Alejandro Valverde (Movistar), quinto, e Vincenzo Nibali (Astana), sexto, a serem os melhores entre os favoritos.
No pelotão principal chegou também Nelson Oliveira (Movistar), que ocupou a 30.ª posição, com o segundo dos portugueses a ser José Gonçalves, no 40.º lugar, a 35 segundos.
Já Tiago Machado demorou mais 47 segundos do que Stybar para cumprir o percurso entre Camaiore e Pomarance, com Ricardo Vilela (Caja Rural) a ser 73.º, a 01.51 minutos, e Domingos Gonçalves (Caja Rural) a ser 127.º, a 05.57 minutos.
Na geral, Stybar, uma das maiores apostas da Etixx-QuickStep para as ‘clássicas’, tem nove segundos de vantagem sobre Greg Van Avermaet e Tejay Van Garderen, ambos da BMC.
Oliveira é o melhor representante nacional na classificação geral, ocupando o 25.º posto, a 38 segundos, seguindo-se-lhe Machado, 49.º a 01.54 minutos. José Gonçalves subiu ao 58.º lugar, estando a 02.29 minutos de Stybar, Vilela é 76.º, a 03.40, e Domingos Gonçalves encerra o trio da Caja Rural, no 124.º, a 07.46.
Na sexta-feira, os ‘sprinters’ têm a sua primeira oportunidade, na terceira etapa, que liga ao longo de 176 quilómetros Castelnuovo Val di Cecina a Montalto di Castro.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa