quinta-feira, 3 de março de 2016

"Projeto EuroVelo extensível em Portugal"

European Cyclist's Federation aprova extensão de vias cicláveis
Texto: José Morais
Fotos: António Baganha
Um dos grandes objetivos da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), cumpriu-se, a extensão de vias cicláveis na “Rota da Costa Atlântica” em Portugal, a European Cyclist's Federation aprovou a extensão de vias cicláveis na Rota da Costa Atlântica em Portugal, desde Sagres até Caminha, a já existente rota Eurovelo 1, denominada de Rota da Costa Atlântica, que em Portugal, liga Sagres a Vila Real de Santo António, passando assim a rota n.º1 da rede EuroVelo a contar com mais de 9.000 km de extensão, a qual vem desde a Escandinávia até Portugal.
A Rota da Costa Atlântica liga algumas das mais bonitas paisagens de orla costeira mundiais onde se pode esperar encontrar fiordes, praias banhadas de sol e agitadas cidades portuárias em cicloturismo, turismo usando a bicicleta como meio de transporte, individualmente, com os amigos ou em família, este enorme desafio que mobiliza muitos europeus, foi motivo suficiente para a FPCUB, órgão responsável por coordenar o projeto em Portugal, apresentar assim uma proposta à European Cyclist's Federation (ECF) para a extensão da rota em mais 920 quilómetros de vias cicláveis em Portugal.
A avaliação da parte da European Cyclist's Federation (ECF) foi favorável e positiva, e foi apresentada formalmente esta quarta-feira em Lisboa na FIL, na edição da BTL-Bolsa de Turismo de Lisboa, no stand da Região de Turismo do Algarve, em que estiveram presentes e demonstraram o seu apoio, a Secretária de Estado do Turismo Ana Mendes Godinho, o Presidente do Turismo de Portugal Luís Araújo, o Presidente da Região de Turismo do Algarve Desidério Silva, e o Vogal do Turismo de Portugal Filipe Silva, entre outras personalidades, entidades e parceiros, que se fizeram representar para celebrar a aprovação da extensão de Sagres a Caminha, porem também a European Cyclist's Federation não quis ficar de fora neste acontecimento, e esteve presente em direto de Bruxelas, via Skype.
Temos ainda de referir, que além do discurso da Secretária de Estado do Turismo Ana Mendes Godinho, também ela amiga da bicicleta, António Costa, Primeiro-Ministro que esteve na BTL, incluiu no seu discurso uma grande referência à bicicleta, referindo o cicloturismo e o turismo ciclável, como uma grande oportunidade para o nosso país, o que veio enaltecer ainda mais este projeto.
Para Filipe Beja atual membro do conselho para a mobilidade sustentável da FPCUB, descreveu que “A rota será dividida em 18 secções, permitindo assim que qualquer utilizador de bicicleta, desde o mais inexperiente, ao mais preparado, possa planear a sua deslocação calmamente, usufruindo do enquadramento cultural que a rota oferece, pretendendo assim, que qualquer cicloturista possa disfrutar da paisagem, da gastronomia típica, fauna, flora, do património cultural, e do bem-estar que as pedaladas podem proporcionar”.
Sendo a rede EuroVelo, uma rede de rotas europeias destinadas à prática do cicloturismo, com diferentes tipos de percursos, locais, regionais, nacionais ou transfronteiriços, fazendo a ligação entre 43 países da Europa, em Portugal, o futuro sucesso do projeto é uma convicção.
Porem, também José Manuel Caetano, presidente da FPCUB, afirma que tem sido desenvolvido um planeamento de trabalhos, os quais tem desafiado várias entidades públicas, nas suas diferentes competências e escalas de território a trabalhar conjuntamente, neste desígnio nacional de utilidade pública.
A inclusão da Costa Atlântica Portuguesa na Rota da Costa Atlântica Europeia permite assim elevar a presença de Portugal no mapa do cicloturismo Europeu e mundial, o que contribuirá em força para o aumento de visitantes e da dinâmica das economias locais e regionais ao longo da rota, ao mesmo tempo a criação de emprego e oportunidades de negócio e simultaneamente a promoção do turismo e mobilidade sustentável, estes os objetivos da FPCUB com este contributo.
José Manuel Caetano afirma ainda de que, o cicloturismo atinge já um contributo significativo na economia europeia, e a título de exemplo na economia Suíça e Francesa, com o impacte estimado atinge os 8.500 M€/ano, na Europa que representa o principal destino mundial de cicloturismo, o contributo económico ascende a 44.000 M€/ano, comparável ao valor gerado pelo mercado da indústria europeia de cruzeiros.
E o presidente da FPCUB termina dizendo; “ A FPCUB e todos os que contribuíram para que esta extensão fosse uma realidade e nunca desistiram estão de parabéns por esta vitória, mas será todo o país a ganhar com isso, quer a nível nacional, quer local”.
Com a decisão de aprovação da extensão da Rota da Costa Atlântica, como parte integrante da rede EuroVelo, foi tomada pelo Conselho EuroVelo da ECF a 11 de fevereiro de 2016, sendo a proposta submetida pela FPCUB em cooperação com diversos parceiros em Portugal, em particular, com o Governo de Portugal que apoiou o projeto através da Secretaria de Estado do Turismo, o Turismo de Portugal, a Infraestruturas de Portugal, as Entidades Regionais de Turismo e as Comunidades Intermunicipais.  
E aqui ficam os dados principais do EuroVelo; Rota da Costa Atlântica atravessa 6 países: Noruega, Reino Unido, Irlanda, França, Espanha e Portugal - Extensão de mais de 9.000 km - Extensão em Portugal de cerca de 1.150 km passando começando em Caminha ao longo da Costa, passando pelo Porto, Aveiro, Coimbra, Lisboa, Sines, Sagres, Faro até Vila Real de Santo António prosseguindo para Espanha.
O site relativo à EuroVelo1 em Portugal ficará disponível de forma gratuita até ao final do 1º semestre de 2016, com toda a informação necessária para percorrer toda a costa atlântica.

“9ª Maratona Btt Águias Alpiarça”

“9ª Maratona Btt Águias Alpiarça”
Dia 6 de Março de 2016
Informações: www.trilhoperdido.com ou Tel.: 967 409 151

“Seleção Nacional/Liberty Seguros Btt”

David Rosa luta pelo pódio no Brasil
A Seleção Nacional/Liberty Seguros estará representada por David Rosa na Copa Internacional Levorin, prova internacional de BTT por etapas, pontuável para o ranking de qualificação olímpica, que decorre entre sexta-feira e domingo em Araxá, Brasil.
O campeão português de cross country olímpico (XCO) apresenta-se, pelo segundo ano consecutivo, na corrida de categoria HC, tendo como meta melhorar o sexto posto de 2015 e chegar ao pódio. “O meu objetivo é melhorar o resultado do ano passado, em que a corrida teve que ser interrompida de repente devido à tempestade. Apesar de a competitividade estar, com certeza, muito elevada, gostaria de conseguir um top 3. Vai ser difícil, mas vou dar tudo por tudo”, afirmou o corredor.
“Queremos levar daqui o máximo de pontos possível. Estamos preparados para a difícil batalha que vamos enfrentar, tendo em vista a caminhada rumo aos Jogos Olímpicos”, adianta o selecionador nacional, Pedro Vigário.
A corrida terá três etapas. A primeira, já nesta sexta-feira, é um contrarrelógio individual, com arranque às 17h00. No sábado disputa-se a etapa de cross country curto, a partir das 11h30. A prova encerra no domingo, a partir das 17h00, com a etapa de XCO.
Fonte: FPC

“Agenda de Ciclismo/Cyclin’Portugal acelera de norte a sul”

Depois da Volta ao Algarve, chegam os eventos internacionais de BTT integrados no programa Cyclin’Portugal. De sexta a domingo corre-se o Algarve Bike Challenge, prova de BTT por etapas que junta a competição, pontuável para o ranking de apuramento olínpico, com o lazer. No domingo disputa-se, em S. Brás de Alportel, a primeira prova da Taça Cyclin’Portugal de Downhill (DHI), pontuável para o ranking internacional. As equipas de estrada competem em Amarante e na Póvoa de Varzim, recebendo a companhia de duas formações estrangeiras, que estagiam em Portugal, colocando em prática um dos desígnios do Cyclin’Portugal.
O Algarve Bike Challenge vai juntar cerca de 800 corredores, a maioria dos quais a correr a prova aberta a federados e a não federados. Cerca de 100 participantes vão bater-se pelos pontos para os rankings UCI e de qualificação olímpica. Estarão presentes betetistas de oito países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Grã-Bretanha, Polónia, Portugal, Ucrânia.
A prova arranca com um prólogo noturno, a partir das 19h30 de sexta-feira, em Tavira, cidade que será o epicentro do evento, recebendo todas as partidas e chegadas. A etapa de sábado vai desenrolar-se na serra do Caldeirão, ficando a tirada de domingo para os trilhos da serra de Tavira.
Na vizinha localidade de S. Brás de Alportel também haverá BTT de nível internacional, mas na disciplina mais radical da modalidade, o DHI. A prova inaugural da Taça Cyclin’Portugal disputa-se no domingo. Os 1810 metros da descida do Arimbo vão receber ciclistas provenientes de Espanha, França, Grécia, Portugal e Suécia. A descida de qualificação começa às 11h00. A final está agendada para as 14h00.
As equipas continentais e de clube de estrada encontram-se, pela primeira vez nesta temporada, para a disputa da Clássica de Amarante, no sábado, a partir das 14h00. Terão por diante 157,4 quilómetros de estrada, prevendo-se o final da viagem para cerca das 17h45.
No dia seguinte corre-se, na Póvoa de Varzim, a 20.ª edição da Clássica da Primavera. A partida (11h00) e a chegada (14h15) vão acontecer na Esplanada do Carvalhido. O percurso, em circuito, vai totalizar 140 quilómetros, que incluem sete subidas ao Monte de S. Félix.
Além das formações portuguesas e galegas, estarão presentes a equipa continental sueca Bliz-Merida e a equipa de clube britânica Zappi’s, dois conjuntos que estagiam no Algarve e que competem no calendário português, dando concretização prática aos princípios do programa Cyclin’Portugal.
Domingo será dado, em Alcobaça, o tiro de partida para a Taça de Portugal de Juniores. A corrida, com 114 quilómetros, arranca às 11h00, na Avenida dos Combatentes, esperando-se o final para pouco antes das 14h00. 
Mais eventos oficiais
5 de março, 13h30: 5.º Roadbook BTT Fernão de Magalhães, Chaves
5 de março, 15h00: Prémio Cidade de Fafe para Cadetes, Fafe
6 de março, 8h00: 5.º BTT Eurocidade, Valença
6 de março, 8h00: 2.ª Prova da Taça Regional de XCO, Chão de Lagoa, Madeira
6 de março, 9h30: VIII BTT das Amendoeiras, Mogadouro
6 de março, 9h30: VI Maratona BTT S. Tiago, Cantanhede
6 de março, 9h30: 4.º XCO D. Paio Peres Correia, Paio Pires
6 de março, 10h00: Maratona BTT Águias de Alpiarça
Fonte: FPC

“Seleção Nacional/Liberty Seguros/Mundial Pista”

Rui Oliveira supera expectativas com oitavo lugar
Rui Oliveira abriu hoje, ao início da noite, a participação portuguesa no Campeonato do Mundo de Pista, que se disputa em Londres, Inglaterra, com a oitava posição na prova de scratch, um resultado de excelência que supera todas as expectativas.
Apesar de estar no início da segunda temporada como sub-23, Rui Oliveira bateu-se de igual para igual com os melhores corredores de elite do mundo, ganhando uma volta ao pelotão e cortando a meta no quinto lugar no sprint final. Este desempenho valeu ao gaiense o oitavo lugar, claramente superior ao top 12, definido à partida como objetivo máximo, uma vez que a meta mínima era superar o 16.º posto de há um ano.
Rui Oliveira esteve muito ativo ao longo da corrida de 15 quilómetros, participando numa primeira fuga, que não teve sucesso. À segunda tentativa conseguiu distanciar-se, com outros seis ciclistas e ganhar uma volta ao pelotão. Não conseguiu, contudo, aproximar-se do pódio, uma vez que seis participantes dobraram o pelotão duas vezes.
“Não foi fácil ganhar uma volta, mas arrisquei, aproveitando as boas sensações que tive durante a corrida. A dado momento, a meio da prova, perdi um pouco o foco e dispersei-me. Se não fosse isso, nunca se sabe se não conseguiria um resultado ainda melhor. Acabo muito feliz, porque era o mais novo em prova e o oitavo lugar no meu segundo mundial é muito bom”, afirmou Rui Oliveira.
O mais forte da corrida foi o espanhol Sebastián Mora, campeão europeu em título, que ganhou duas voltas à concorrência e ainda se deu ao luxo de atacar na fase final para cortar a meta destacado de todos os rivais. O segundo classificado foi o mexicano Ignacio Prado, enquanto o suíço Claudio Imhof fechou o pódio.
"O Rui teve um grande desempenho, sempre atento a todas as movimentações da corrida. Conseguiu dobrar o pelotão e colocar-se em posição de obter um bom resultado. Demonstrou estar ao nível de exigência de uma prova em que todos revelaram grande equilíbrio, exceto o vencedor, que esteve num nível diferente”, considera o selecionador nacional, Gabriel Mendes.
Portugal volta a estar representado na pista londrina na próxima sexta-feira, cerca das 20h30, quando Ivo Oliveira alinhar na final da corrida por pontos.
Fonte: FPC

“Ranking Ciclista do Ano”

Amaro Antunes é o primeiro líder do ranking nacional
O desempenho conseguido na Volta ao Algarve, com o décimo lugar final e boas prestações nas duas chegadas em alto, valeu a Amaro Antunes (LA Alumínios-Antarte) a liderança do Ranking Ciclista do Ano no final de fevereiro.
O corredor algarvio soma 80 pontos, mais dez do que o minhoto Tiago Machado (Katusha), segundo corredor mais pontuado. O terceiro é o campeão nacional de contrarrelógio, Nelson Oliveira (Movistar), que amealhou 50 pontos na Volta ao Algarve.
A hegemonia das grandes equipas e dos melhores corredores mundiais, levou a que, neste momento, só haja seis ciclistas classificados no Ranking Ciclista do Ano.
A tabela das melhores equipas é encimada pela LA Alumínios-Antarte, com 80 pontos, que é seguida pela W52-FC Porto, com 3.
Ranking Ciclista do Ano
1.º Amaro Antunes (LA Alumínios-Antarte), 80 pontos
2.º Tiago Machado (Katusha), 70
3.º Nelson Oliveira (Movistar), 50
4.º Ricardo Vilela (Caja Rural-Seguros RGA), 15
5.º Samuel Caldeira (W52-FC Porto), 3
6.º André Cardoso (Cannondale), 1
Equipa do Ano
1.ª LA Alumínios-Antarte, 80 pontos
2.ª W52-FC Porto, 3
Fonte: FPC