terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

“Castroviejo pede prudência aos adeptos depois do acidente na Volta ao Algarve”

Foto: JOSE JORDAN / AFP
Ccclista espanhol desejou a pronta recuperação ao espetador no qual embateu.
O ciclista espanhol Jonathan Castroviejo (Movistar) pediu hoje prudência aos adeptos, depois de ter fraturado uma vértebra e o cúbito do braço esquerdo ao chocar com um espetador após a última etapa da Volta ao Algarve.
“Obrigada a todos pelas mensagens, não estou a ter sorte. Gostaria de pedir prudência a todos os que se acercam para ver ciclismo. Para nós, sentir o calor do público é o melhor, mas uma distração pode gerar um acidente”, alertou o campeão espanhol de contrarrelógio no seu twitter oficial.
O corredor de 28 anos terminou a quinta e última etapa, no alto do Malhão, mas acabou por sofrer o acidente quando descia em direção ao parque de caravanas das equipas e embateu num espetador.
O companheiro de equipa de Nélson Oliveira foi transportado para o Hospital de Faro, onde lhe foram detetadas fraturas na sexta vértebra cervical e no cúbito do braço esquerdo, que põem em risco a sua presença na Volta à Catalunha do próximo mês.
Castroviejo desejou também a pronta recuperação ao espetador no qual embateu.
A 42.ª edição da Volta ao Algarve foi ganha pelo segundo ano consecutivo pelo britânico Geraint Thomas (Sky), enquanto o segundo posto foi para Ion Izaguirre, também da Movistar.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Portugal avalia criação de nova prova internacional/Segundo revelou Joaquim Gomes”

Por: Lusa
Foto: Filipe Farinha
A realização de uma nova prova internacional de ciclismo está a ser avaliada para preencher o calendário da modalidade entre as voltas ao Alentejo e ao Algarve, revelou esta terça-feira o antigo ciclista Joaquim Gomes.
Os planos foram revelados à agência Lusa pelo também diretor da Volta ao Alentejo, em Évora, no final da sessão de apresentação da edição deste ano da Alentejana, que decorre entre 16 e 20 de março.

O projeto passa por, a par da subida de categoria da Alentejana, "colar as datas da Volta ao Alentejo às da Volta ao Algarve e criar uma terceira prova internacional, que poderá até ser uma clássica na região de Lisboa", afirmou.
Segundo o responsável, o objetivo é "manter as grandes equipas do ciclismo internacional durante um longo período em Portugal, particularmente numa altura em que o clima nos seus países de origem é demasiado agreste para a prática da modalidade".
Assinalando "o impacto económico direto" que resulta da presença em Portugal de grandes equipas de ciclismo, Joaquim Gomes adiantou que o projeto está a ser avaliado pela Federação Portuguesa de Ciclismo e pela Podium Events.
"Se não for colocado em prática em 2017, poderá ser avaliado em 2018", referiu.
O diretor da Alentejana salientou que a subida da categoria faz aumentar o seu orçamento, porque "há um aumento do número de prémios e o nível das equipas tem outra exigência financeira".
"Quando tivermos uma ideia devidamente formada sobre o assunto, lançaremos o desafio aos grandes alicerces da Volta ao Alentejo, que são as comunidades intermunicipais e os municípios integrantes", acrescentou.
Organizada pela Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC) e pela Podium Events, a 34.ª Volta ao Alentejo em bicicleta, com início em Portalegre e chegada a Évora, num total de mais de 900 quilómetros, vai ter um pelotão de 175 ciclistas, de 12 equipas portuguesas e 10 estrangeiras.

Fonte: Record on-line

“Crédito em Nocentini/Após a Volta ao Algarve”

Por:  Ana Paula Marques
Foto: Filipe Farinha
Havia alguma expectativa para ver Rinaldo Nocentini em ação na Volta ao Algarve. O italiano, 38 anos, chegou ao Sporting-Tavira depois de larga experiência no pelotão World Tour, que reencontrou no sul do país. Terminou em 29º, a 5.03 m do britânico Geraint Thomas (Sky). Na montanha, o ex-ciclista da AG2R não esteve mal – 31º na Fóia e 29º no Malhão –, mas no contrarrelógio não foi além do 98º, a 2.42 m de Fabian Cancellara. Ainda que estejamos em início de época e a mais de cinco meses da Volta a Portugal, a continuar assim o italiano estará longe do rendimento dos galegos Alejandro Marque (LA-Antarte) e Gustavo Veloso (W52-FC Porto), grandes favoritos em agosto. A comparação não deu para fazer agora, já que os dois últimos não correram a Volta ao Algarve.
"O contrarrelógio não era ao seu jeito, era muito específico, para além de terem estado cá ciclistas que se prepararam para este tipo de etapas, mas na montanha, já esteve razoável. No geral, evidenciou um nível bastante aceitável, tendo em conta que se trata da nossa primeira corrida", frisou o diretor-desportivo Vidal Fitas, para quem Rinaldo Nocentini pode render muito mais. "Não está ainda no seu melhor, há ainda muito trabalho a fazer. Não é um contrarrelogista, mas estou certo de que quando estiver a um outro nível físico, o desempenho será outro."
O diretor-desportivo do Sporting-Tavira refere que o primeiro grande foco da equipa será daqui a dois meses. "Estamos bastante consistentes, o balanço da Volta ao Algarve é positivo, tendo em conta as contingências que vivemos [várias quedas], ciclistas novos na equipa e a qualidade do pelotão. A preparação da época foi feita para estarmos num bom nível em abril e maio. E nada melhor do que este pelotão no Algarve para fazermos uma primeira avaliação."

Melhor entre as nacionais
No plano coletivo, o Sporting-Tavira cotou-se como a melhor formação entre as seis portuguesas, ao terminar em 13º lugar. Ao todo estiveram na Volta ao Algarve 24, 12 delas do World Tour.
A equipa de Vidal Fitas, tal como a Efapel (14ª) de Américo Silva, logrou mesmo deixar uma das equipas do pelotão mundial atrás, a Etixx, que foi 16ª.
Fonte: Record on-line

“Luís Pereira e Joana Monteiro entram a ganhar no Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros”

Mais de duas centenas e meia de betetistas participaram no 4º BTT XCO de Fragoso, primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros. Luís Pereira e Joana Monteiro foram os vencedores em elites enquanto António Azevedo ganhou em juniores, Rúben Nunes em masters 30, Monserrat Martinez em masters femininas, Abel Machado em masters 40, João Araújo em masters 50, Hélder Gonçalves e Raquel Queirós em cadetes, Ana Santos e Gonçalo Magalhães em juvenis, Rafael Sousa e Mariana Libano em infantis, David Ferreira e Mariana Magalhães em iniciados, Rui Sabino em pupilos-benjamins e Vítor Lima em promoção. Coletivamente triunfaram a ASC / Focus Team / Vila do Conde (competição) e a BMC / SRAM / Póvoa de Varzim (escolas).
Promovida em conjunto pela Associação de Ciclismo do Minho e Lamaceiros TT, o 4º BTT XCO de Fragoso traduziu-se num êxito desportivo e organizativo com muito público a associar-se à iniciativa.
Na corrida de elites, Luís Pereira (Joane BTT / Trilhos Bike), vencedor do Troféu de Crono Escalada BTT – Minho 2015, foi o mais forte e venceu o 4º BTT XCO de Fragoso, deixando na segunda posição o Campeão do Minho em título Jacinto Fiúza (Batotas / Ponte de Lima) e na terceira o espanhol Manuel Parada (VI3 C.C.).
Campeã Nacional e do Minho de BTT Cross Country Olímpico (elites), a famalicense Joana Monteiro (ASC / Focus Team / Vila do Conde) venceu a corrida feminina deixando Ana Rita Vale (Batotas / Ponte de Lima) no segundo posto e Diana Ferreira (BMC / SRAM / Póvoa de Varzim) no terceiro.
No escalão de juniores, António Azevedo (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) foi o grande vencedor com o seu colega de equipa Tiago Fernandes a garantir o segundo lugar e  Pedro Costa (ASC / Focus Team / Vila do Conde) o terceiro na primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros.
Em masters 30, Rúben Nunes (ASC/Focus Team/Vila do Conde) regressou em Fragoso aos triunfos no Campeonato do Minho, ficando na segunda posição o Campeão Minhoto em título, Hélder Braga (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) e no terceiro lugar Nuno Castro (CRC Neves). Na competição feminina de masters venceu a atleta espanhola Monserrat Martinez (C.C. Rias Baixas).
O Campeão do Minho em master 40, Abel Machado (ASC/Focus Team/Vila do Conde) venceu o 4º BTT XCO de Fragoso com José Eiras (Cambre, C.C.) e Mário Fernandes (Rodabike / ACRG / Gondomar) a completarem o pódio.
João Araújo (JUM / Sanitop / KTM) foi o melhor entre os atletas de masters 50 superiorizando-se a Mário Cruz (JUM / Sanitop / KTM) e a Joaquim Ferreira (Individual), respetivamente, segundo e terceiro classificados.
Hélder Gonçalves (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) e Raquel Queirós (ASC/Focus Team/Vila do Conde) triunfaram em cadetes, deixando na segunda posição Pedro Silva (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) e Beatriz Faria (JUM / Sanitop / KTM) e na terceira André Terroso (ASC/Focus Team/Vila do Conde) e Celina Faria (JUM / Sanitop / KTM).
Nos escalões de Escolas, Ana Santos e Gonçalo Magalhães, ambos da ASC/Focus Team/Vila do Conde, foram os melhores em juvenis, Rafael Sousa (BMC/SRAM/Póvoa de Varzim) e Mariana Libano (ASC/Focus Team/Vila do Conde) em infantis, David Ferreira (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) e Mariana Magalhães (ASC/Focus Team/Vila do Conde) em iniciados e Rui Sabino (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) em pupilos/benjamins.
Na categoria de promoção o vencedor Vítor Lima, seguindo-se na classificação Pedro Bezerra e Nuno Louro.
Coletivamente a ASC/Focus Team/Vila do Conde foi a melhor equipa na vertente de competição seguida da Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact e da JUM / Sanitop / KTM. Em Escolas venceu a BMC/SRAM/Póvoa de Varzim classificando-se o Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact em segundo e a ASC/Focus Team/Vila do Conde em terceiro.
O 4º BTT XCO de Fragoso teve o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, Juntas de Freguesia de Fragoso e Aldreu, Federação Portuguesa de Ciclismo, MAPFRE | Seguros, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, Arrecadações da Quintã, POPP Design, Salvaggio, Bike Magazine (revista oficial) e do comércio e industria local.
O 4º BTT XCO de Fragoso assinalou o arranque do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros que assume em 2016 figurino idêntico aos anos anteriores, embora com uma ligeira redução do número de provas de BTT XCO que procura corresponder a todas as expectativas e anseios e traduzir, em simultâneo, o reforço d a qualidade organizativa das atividades.
O Campeonato do Minho de BTT XCO – MAPFRE | Seguros prosseguirá com o 2º BTT XCO Vila de Melgaço (3 de abril), seguindo-se o 6º BTT XCO Os Braguinhas - Troféu Manuel Ferreira (22 de maio), 16º BTT XCO C.N.E. / Gondar Jovem - Taça Manuel Abreu (26 de junho), 5º BTT XCO de Paredes de Coura (17 de julho), 10º BTT XCO de Felgueiras (31 de julho), 6º BTT XCO Torcatense (4 de setembro), 13º BTT de Creixomil - Barcelos (11 de setembro) e o 18º BTT XCO - ACRAP (9 de outubro). No âmbito do Cross Country Olímpico será ainda promovido o Portugal Cup XCO - Viana do Castelo (C2) nos dias 12 e 13 de março.
Fonte: ACM

“Rede Nacional de Cicloturismo de Portugal”

Por: Paulo Guerra dos Santos
Descarregue gratuitamente o mapa geral da Rede Nacional de Cicloturismo aqui:
http://www.mediafire.com/download/tbijud9xkesf6k7/Rede+Nacional+de+Cicloturismo+2015-2016.pdf
Em desenvolvimento desde 2010, esta rede conta desde a Primavera de 2015 com 1300 km identificados em GPS. Durante 2016 estima-se que mais 550 km de estradas secundárias, caminhos em macadame, ciclovias e ecopistas da REFER sejam incluídos na rede.
Até 2025, é de prever que a rede venha a ter mais de 8000 km identificados, arquipélagos dos Açores e da Madeira incluídos.
Centenas de pessoas, de todo o mundo, já mostraram o seu interesse para pedalar em Portugal. Pode adquirir o Road Rook 2015 aqui:
https://sellfy.com/p/3bcS/
Boas pedaladas em Portugal.
www.ecovias.pt
Fonte: Ecovias de Portugal

 
 
 


“Resistência BTT Noturna - Paredes de Coura no dia 27 de fevereiro”

Realiza-se no dia 27 de fevereiro a Resistência BTT Noturna - Paredes de Coura, uma prova de BTT em circuito fechado organizada pelo Município de Paredes de Coura e por "Encostas do Corno de Bico" com o apoio da Associação de Ciclismo do Minho. Com vários prémios monetários, a iniciativa é aberta à participação individual e de duplas.
As inscrições podem ser efetuadas online, no site da Associação de Ciclismo do Minho (www.acm.pt).
Paredes de Coura acolhe no dia 27 de fevereiro a Resistência BTT Noturna - Paredes de Coura uma competição aberta à participação de todos os interessados que terá a duração de três horas e será disputada num circuito fechado de 4,5 quilómetros.
O início da Resistência BTT Noturna - Paredes de Coura está marcado para as 20 horas no largo 5 de outubro.
Os participantes podem inscrever-se individualmente ou em equipas (duplas), nomeadamente nas categorias de "Solo (masculino)", "Solo (feminino)", "Dupla (masculino, feminino e/ou mista)" e "Dupla Courense (masculino, feminino e/ou mista)".
As inscrições decorrem até ao dia 25 de fevereiro podendo ser efetuadas no site da Associação de Ciclismo do Minho, acrescendo o valor de 2 euros no caso de inscrições efetuadas no próprio dia no secretariado da Resistência. O valor da inscrição é de 10 euros por atleta, conferindo direito à participação, dorsal, seguro de acidentes pessoais, abastecimento e banho.
Fonte: ACM

“Volta ao Alentejo, a Volta das Tradições”

Portalegre, capital do norte alentejano marca, pelo segundo ano consecutivo, o início de mais uma Volta ao Alentejo Crédito Agrícola. A 34ª edição da “Alentejana” corre-se entre 16 e 20 de março num total de 907,5 km que vão terminar no centro histórico de Évora. São cinco etapas que percorrem as mais diversas geografias da região, numa organização da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e da Podium Events. 
No ano em que clubes como Sporting C.P. e F.C. Porto regressam à estrada, e o S.L. Benfica perspetiva a reentrada na modalidade, a Volta ao Alentejo Crédito Agrícola, uma tradição do ciclismo português, desperta ainda maiores expetativas. Um entusiasmo acrescido pelo facto, inédito a nível mundial nas provas de ciclismo por etapas inscritas na União Ciclista Internacional, da prova nunca ter sido ganha duas vezes pelo mesmo corredor. No reforço dos valores de identidade regional, as flores das Festas do Povo de Campo Maior e a Arte Chocalheira de Alcáçovas juntam-se aos Chapéus Alentejanos nas cerimónias de pódio que celebram as conquistas diárias do pelotão da “Alentejana”. 
Hortênsia Menino, presidente da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, aponta como primeira virtude da “Alentejana” a longevidade da prova.“Do ponto de vista desportivo a Volta ao Alentejo está completamente consolidada no calendário nacional e internacional do ciclismo. Mas, ainda assim, há sempre lugar à renovação, sobretudo graças à diversidade patrimonial do Alentejo. Da montanha ao litoral, das planícies às encostas, a riqueza natural e arquitetónica permitem continuar a explorar, a cada primavera, um território imenso que é o Alentejo.” 
Joaquim Gomes, o diretor de prova, chama a atenção para as dificuldades que se concentram no início da competição. “No primeiro dia fica provado que o Alentejo, ou parte dele, também pode ser bastante montanhoso. As características orográficas do percurso entre Portalegre e Castelo de Vide permitem fazer metade das oito contagens do prémio da montanha desta corrida. Os candidatos à vitória terão de provar o bom momento de forma para não serem surpreendidos.” 
Mapa da “Alentejana” 

A etapa inaugural da 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola, que começa em Portalegre, tem subidas em Cabeço do Mouro, Prémio de Montanha de 2ª categoria, Monte Paleiros (3ª cat.), Marvão (4ª cat.) e, a menos de 20km para a meta final instalada em Castelo de Vide, a Sra. da Penha (3ª cat.). Nesta primeira tirada de 158km há Metas Volantes no Crato, Monforte e Portalegre. O final deste dia, e das restantes tiradas, está previsto acontecer cerca das 16 horas. 
A segunda etapa, e a mais longa, parte de Monforte e terá 206,2 km com Metas Volantes em Borba, Redondo e Reguengos de Monsaraz antes de subir e terminar junto ao castelo de Montemor-o-Novo. 
Vincando a presença do Baixo Alentejo na prova, o terceiro dia de competição liga Portel a Beja.A etapa de 186,6 km com passagens por Vidigueira, Serpa e Mértola será a única sem qualquer contagem de montanha. 
O fim-de-semana da “Alentejana” começa em Aljustrel. Na quarta etapa, com o Litoral Alentejano como pano de fundo, as Metas Volantes vão estar em Castro Verde, Odemira e Sines. Nas Cumeadas, em Santiago do Cacém, haverá uma contagem para o Prémio da Montana (4ª cat.). A chegada vai acontecer em Grândola após 184,7 km. 
A competição vai terminar, dia 20 de março, em Évora. As derradeiras emoções da 34ª edição da Volta ao Alentejo Crédito Agrícola vivem-se a partir de Santiago do Cacém de onde o pelotão partirá para os 172,3 km finais. As Metas Volantes estão em Isaías, Vendas Novas e Arraiolos, e a classificação da Montanha confinada aos Prémios de 4ª categoria em Alcácer do Sal e Montemor-o-Novo. A chegada e a coroação do vencedor, como em 2014, vão acontecer na Praça do Giraldo, em Évora. 
Resumo Etapas 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola
1ª Etapa - 16.03.2016 - Partida Simbólica: 12h00 – Portalegre / Castelo de Vide - 158 km
2ª Etapa - 17.03.2016 - Partida Simbólica: 11h00 - Monforte / Montemor-o-Novo – 206,2 km 3ª Etapa - 18.03.2016 - Partida Simbólica: 11h20 - Portel / Beja – 186,6 km
4ª Etapa - 19.03.2016 - Partida Simbólica: 11h20 - Aljustrel/ Grândola - 184,7 km
5ª Etapa - 20.03.2016 - Partida Simbólica: 11h35 – Santiago do Cacém / Évora - 172,3 km  Últimos Vencedores
2015 – PawelBernas (Activejet Team)
2014 – Carlos Barbero (Euskadi)
2013 – Jasper Stuyven (Bontrager Cycling Team) 
2012 – AlexeyKunshin (Lokosphinx)
2011 –EvaldasSiskevicius (Pomme Marseille)
2010 – David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira)
2009 –MaximeBouet (Agritubel)
2008 – HectorGuerra (Liberty Seguros)
2007 – Manuel Vázquez (AndaluciaCajasur)
2006 – Sérgio Ribeiro (Barbot-Halcon) 
Participam na 34ª Volta ao Alentejo em bicicleta 22 equipas em representação de 8 países de latitudes tão diferentes como Estados Unidos e Suécia. São 10 equipas vindas de fora que se juntam às 12 portuguesas entre Elite e Sub 23 num pelotão que terá 175 corredores e entre eles não consta nenhum vencedor da “Alentejana”. A tradição vai manter-se: esta é a única prova por etapas do calendário UCI que nunca foi ganha duas vezes pelo mesmo corredor. 
Equipas 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola
LA Alumínios – Antarte (Portugal)
Rádio Popular – Boavista (Portugal)
W52 - FC Porto (Portugal)
Sporting CP – Tavira (Portugal)
Louletano – Hospital de Loulé (Portugal)
Efapel (Portugal)
Anicolor (Portugal)
LibertySeguros – Carglass (Portugal)
Maia Bike Team (Portugal)
Goldwin – Team José Maria Nicolau (Portugal)
Sicasal – Constantinos-UDO (Portugal)
Moreira Congelados – Feira - Bicicletas Andrade (Portugal)
Bliz – Merida (Suécia) Rally Cycling (Estados Unidos América)
USA Cycling (Estados Unidos América) Axeon - Hagens Berman (Estados Unidos América) 
Euskadi Basque – Murias (Espanha) Lokosphinx (Rússia)
Metec TKH Continental (Holanda) Team COOP - Oster HUS (Noruega)
Team Fixit. No (Noruega) Klein Constantia (República Checa) 
A 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola é uma organização conjunta da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e Podium Eventscom o patrocínio de Crédito Agrícola, CA Vida, CA Seguros, RTP, Jornal A Bola, Antena1, Cision, KIA, Delta Cafés, Vitalis, KTM, Fundação INATEL, Shimano, Pacto, Dietsport, Instituto Geográfico do Exército, Infraestruturas de Portugal e com apoio institucional do Turismo do Alentejo e Ribatejo, CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, CIMAL – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral, da Junta de Freguesia de Alcáçovas e dos Municípios de Portalegre, Castelo de Vide, Monforte, Montemor-o-Novo, Portel, Beja, Aljustrel, Grândola, Santiago do Cacém e Évora.
Fonte: Gabinete de Imprensa Ciclismo Podium