sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

“Vuelta Andalucia MTB 2016”

NSCREVA-SE AGORA e beneficiar de taxa super-reduzida na Vuelta Andalucia MTB 2016, lembramos que até 31 de janeiro você pode se inscrever no Vuelta a Andalucía MTB 2016 preços taxa super-reduzida, não perca esta oportunidade de obter o seu lugar a um preço mais barato.

Como você sabe, a 4ª edição da bicicleta de montanha andaluz rodada será realizada de 26 a 29 de maio, 2016, este ano, as populações protagonistas vai Lucena (Córdoba), Istan (Málaga), San Pedro de Alcantara (Malaga) e Los Barrios (Cádiz). Será uma edição em que incorporou novas localidades, e mostrar rotas originais inéditos sobre o interior da Andaluzia.

Esta edição será, sem dúvida, exibir e edição de pôr em valor o máximo de áreas naturais durante sua turnê. Em dureza destes quatro dias e nós garantir exigências técnicas, enquanto aprecia os belos espaços de bicicleta de montanha, repleta de canto da natureza.

Eles são quatro anos de bagagens, quatro edições com que a bicicleta de montanha andaluz rodada foi a consolidação e o reforço como teste de referência a nível nacional, portanto, em 2016 evento de pontuação para o ranking nacional de XCM, outra atração para esta edição.

Você pode participar de uma, duas, três ou todas as quatro etapas, um formato muito ativo e flexível que se adapte a todas as possibilidades e economias, e também diferentes formas de participação, individualmente, do sexo masculino, equipas femininas ou mistas, ou categoria de negócios, desporto, natureza, a convivência são algumas das experiências que esperam por você no Vuelta Andalucia MTB 2016.

Para informações e inscrições entre em: http://vueltaandaluciamtb.es

“O primeiro rugido do Sporting-Tavira”


Por: Lídia Paralta Gomes
Foto: Lusa
Nocentini lidera a equipa que marcará o regresso dos leões à estrada, na Volta ao Algarve
Três portugueses, quatro espanhóis e o italiano Rinaldo Nocentini como líder: é desta forma que o Sporting-Tavira vai fazer a estreia neste regresso ao ciclismo, marcado para a Volta ao Algarve (entre 17 e 21 de fevereiro).
A organização da Algarvia confirmou ontem os oito atletas escolhidos pelo diretor-desportivo Vidal Fitas, onde naturalmente se destaca Nocentini, de 38 anos, que terá ao seu lado os portugueses Válter Pereira, Luís Fernandes e David Livramento, e os espanhóis David de la Fuente, Mário González, Jesús Ezquerra e Óscar González. De fora ficam, para já, o veterano Hugo Sabido e o sul-africano Shaun-Nick Bester. O jovem ciclista de 24 anos já está na Europa e encontra-se há uma semana a treinar-se em Espanha, de onde é natural a namorada.
Além da equipa do Sporting-Tavira, também já estão definidas as formações da Movistar e da Efapel que estarão no Algarve. Nos espanhóis, o português Nelson Oliveira surge como natural ponto de interesse, ainda que Ion Izaguirre seja o mais bem colocado para discutir o triunfo. O campeão espanhol de contrarrelógio, Jonathan Castroviejo, também estará na Algarvia. Já a Efapel terá em Joni Brandão o homem para o ataque à geral, numa lista com sete portugueses e apenas um espanhol.
Fonte: Record on-line

“José Gonçalves em 36.º no segundo troféu do Challenge de Maiorca”



Foto: Javier Lizon
No sábado, disputa-se o Troféu Serra Tramuntana, terceira das quatro provas do Challenge de Maiorca.
O ciclista português José Gonçalves (Caja Rural) foi esta sexta-feira o 36.º classificado no segundo troféu do Challenge de Maiorca, em Espanha, numa jornada de que saiu vitorioso o italiano Gianluca Brambilla.
O corredor da Etixx-QuickStep destacou-se nos últimos 20 dos 153 quilómetros do percurso do Troféu Pollença-Andratx e cruzou a meta ligeiramente isolado, após 3:32.23 horas, com dois segundos de avanço sobre o polaco Michal Kwiatkowski (Sky) e o checo Zdenek Stybar, seu colega de equipa.
José Gonçalves, 12.º no primeiro dia, voltou a ser o melhor português, mas desta vez mais distanciado do vencedor, com um atraso de 3.13 minutos. Dos restantes corredores lusos que hoje estiveram em ação, Ricardo Vilela (Caja Rural) foi 60.º, a 4.03, e José Mendes (Bora-Argon 18) terminou em 79.º, a 4.07.
No sábado, disputa-se o Troféu Serra Tramuntana, terceira das quatro provas do Challenge de Maiorca, com um percurso de 143,6 quilómetros entre Soller e Deía. Na lista de inscritos para o terceiro dia constam os três portugueses que correram hoje e ainda Bruno Pires (Team Roth).
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Pedalar com diabetes”

Por: André Gonçalves

Foto: Brian Hodes

Novo Nordisk é a primeira equipa apenas composta por ciclistas com esta patologia

Phil Southerland tinha apenas 7 meses quando os médicos norte-americanos informaram os seus pais que tinham uma criança com diabetes tipo 1. Pior que isso, disseram-lhes que Phil muito dificilmente viveria após os 25 anos. Cresceu habituado à doença e à insulina, mas chegou a rejeitar o tratamento até perceber que poderia ficar cego. Esta era a mensagem que a mãe lhe transmitia, pois só aos 26 anos é que Phil descobriu o que realmente os médicos tinham sentenciado. "A minha mãe teve a missão de me manter vivo", atira.
A motivação de querer lidar com a diabetes sem abdicar das suas paixões levou-o a criar, em 2005 e ao lado do seu amigo diabético Joel Eldridge, uma equipa de ciclismo com elementos doentes e outros saudáveis. Alguns bons resultados nos Estados Unidos despertaram o desejo de profissionalizar a estrutura, então com o nome ‘Team Type 1’.A equipa cresceu, conquistou o seu espaço na modalidade, recebeu ilustres ciclistas não diabéticos - Vladimir e Alexander Efimkin, entre outros - e somou várias vitórias.
A ambição de Phil querer seguir em frente e lutar pelos seus sonhos inspirou a Novo Nordisk, empresa dinamarquesa líder no tratamento da doença, a apostar no desporto. Em dezembro de 2012 foi selado o acordo com a equipa de Phil e a ‘Team Type 1’ deu lugar à ‘Team Novo Nordisk’, a primeira a ser constituída exclusivamente por ciclistas com diabetes (tipo 1). É caso único entre as equipas profissionais da modalidade, à escala mundial, e a estreia nas estradas foi em 2013. "Ser um grupo de atletas diabéticos faz com que a mensagem para a comunidade seja mais forte", justifica Phil Southerland.


Equipa preparou nova época em Alicante

Com o passar dos anos, juntaram-se ciclistas de todo o Mundo. Atualmente são 18, uns mais jovens que outros e com histórias de vida diferentes [ver caixas]. Mas todas inspiradoras. Afinal, estas pessoas não desistiram perante a adversidade e hoje vivem normalmente com a patologia que afeta 415 milhões de cidadãos. "Os médicos disseram a 12 dos nossos 18 elementos, na altura do diagnóstico, que nunca poderiam ser ciclistas profissionais. Mas são", resume Phil Southerland, hoje CEO e cofundador da ‘Team Novo Nordisk’.

Quando injetar insulina é como "estar num sofá"

Em Alicante, onde a equipa cumpriu um plano de treinos e abriu as portas à imprensa internacional, uma das curiosidades foi perceber as rotinas dos ciclistas diabéticos, pois precisam de cuidados extras antes, durante e após qualquer treino ou competição.
Os ciclistas recorrem a um medidor de glicose antes e depois das provas, mas durante a corrida transportam um monitor contínuo de glicose, geralmente no bolso da camisola. O aparelho fornece um gráfico com os níveis de glicose do sangue, através de um sensor colado ao corpo do corredor. Segundo Rafael Castol, diretor clínico da equipa, o ideal é ter os níveis de açúcar entre os 120 e os 180 mg/dl de sangue. Mas cada caso é um caso e é importante para o ciclista conhecer o seu corpo e saber interpretar as sensações, por forma a conseguir um bom ajustamento da glicose através da alimentação e da insulina. "Fazemos tanta coisa sobre a bicicleta que injetar insulina é só mais uma, é como estar no sofá de casa. Há que encontrar um momento ideal da corrida para o fazer", explica David Lozano. Javier Megias também nos fala sobre o assunto: "Meto a insulina onde melhor puder naquele momento, é indiferente a parte do corpo onde a aplico. Mas tentamos fazê-lo numa altura mais calma da corrida."
Há ainda um plano rigoroso de alimentação, com diferentes recomendações nas diversas fases da corrida, mas que começa bem antes, com um pequeno-almoço rico em hidratos de carbono, composto por sementes ou cereais e ainda alguma proteína, e termina com um jantar muito menos carregado em hidratos de carbono e mais centrado na proteína. 

Fonte: Record on-line

“Ciclismo de Formação/José Azevedo orador na primeira acção de ética”


José Azevedo, diretor desportivo principal da Katusha, segunda equipa do ranking mundial em 2015, é o convidado da primeira ação de formação integrada no novo Regulamento de Ética no Ciclismo de Formação, que vai realizar-se neste sábado, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia.
O técnico vai intervir sobre "Planeamento e Princípios Éticos", fechando uma sessão que começará com a apresentação do Regulamento Antidopagem. A iniciativa integra o programa do Campeonato Nacional de Pista, decorrendo entre as 21h00 e as 22h50 de sábado.
O Regulamento de Ética no Ciclismo de formação contempla a realização de cinco ações de formação. Cada equipa que compita em provas de juniores e de sub-23 em estrada e em cross country olímpico terá de fazer-se representar em pelo menos uma das sessões por um dirigente e por um treinador.
Calendário de ações de formação
30 de janeiro, Velódromo Nacional: "Planeamento e Princípios Éticos", por José Azevedo

12 de março, Viana do Castelo: "Deteção e Avaliação de Talentos", por José Luis Algarra

12 de março, Tavira: "Planeamento e Carreira Desportiva do Ciclista", por João Correia

19 de março, Marrazes, Leiria: "Formar, Educar, Prevenir e Regular", por Tito Crespo

16 de abril, "Planeamento e Princípios Éticos", por Ricardo Scheidecker
Fonte: FPC