quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

“XII Passeio de Cicloturismo do Penteado”

Domingo, 03 de Abril de 2016
Texto: José Morais
Está agendado o Passeio de Cicloturismo do Núcleo do Penteado, a 12ª edição vai ter lugar no dia 3 de abril no Penteado, Moita, e promete mais um grande evento cicloturistico.
O passeio do Penteado, um evento ainda jovem no calendário oficial da FPCUB, bem cedo começou a ter expressão na modalidade, marcando forte presença, e sempre com um grande número de participantes, ao longo dos últimos anos o mesmo foi colocado na estrada pela mão de José Manuel Fernandes, infelizmente que nos deixou no passado ano, já depois de ter organizado mais um belo passeio.
Este ano no passeio vamos sentir a falta do Zé, mas ele estará sem dúvida presente, e será sem dúvida relembrado pelos seus feitos, assim convidamos desde já a marcar na sua agenda este evento, que leva até si, participantes de diversos locais do país, e onde daremos um destaque especial, tendo o apoio da Revista Notícias do Pedal.
Para informações e inscrições as mesmas devem ser feitas pelos telefones:  
Florival Serrabulho: 968 693 740 ou Rui Serrabulho: 962 885 721
Pelo Fax: 212 362 352, ou pelo e-mail: nc.penteado@gmail.com
Participe neste grande passeio com organização do Núcleo Cicloturismo do Penteado.

“Benfica prevê regressar à estrada em 2017”


Foto: Luís Forra
Clube encarnado aponta para 2017 para o regresso à estrada do ciclismo do Benfica.
Equipa de ciclismo do Benfica em 2007 durante um estágio realizado no Algarve com José Azevedo como chefe de fila
O vice presidente responsável pelo pelouro das modalidades do Benfica revelou esta quarta-feira ao diário A Bola que o clube encarnado está a ponderar regressar às estradas em 2017 com uma aposta forte no estrangeiro.
Em entrevista ao referido diário, Domingos Almeida Lima assumiu que o Benfica está atento às recentes movimentações dos rivais FC Porto e Sporting na modalidade para fazer uma revelação: o ciclismo poderá regressar à Luz em 2017.
"A direção já decidiu que vamos regressar à estrada em 2017 e apostar fortemente no estrangeiro, nomeadamente em França e no Luxemburgo. Os contactos prosseguem nesse sentido. Vamos ter duas equipas. Uma de formação e do escalão de sub-23 e outra profissional", afirmou o dirigente.
Caso se confirmem as previsões do dirigente, o clube encarnado pode voltar a ter, quase uma década depois, uma das modalidades mais emblemáticas na história do emblema da Luz.
Fonte: SAPO Desporto

“Nairo Quintana será o único líder da Movistar no Tour”



Foto: JAVIER LIZON / EPA
O ciclista colombiano já ficou por duas vezes no segundo lugar da competição.
O colombiano Nairo Quintana vai ser o líder único da Movistar na Volta a França, com o espanhol Alejandro Valverde a ter como objetivo a Volta a Itália, confirmaram hoje os dois ciclistas durante a apresentação da equipa.
“Em princípio, vou concentrar-me no Tour, que é a prova com mais exposição e aquela com a qual sonhamos. Os meus objetivos secundários são a prova olímpica [Rio2016] e a Vuelta”, indicou Quintana, que pretende assim melhorar os dois segundos lugares (2015 e 2013) na prova francesa.
O jovem colombiano e o veterano espanhol ocuparam os dois lugares mais baixos do pódio em Paris no ano passado, atrás de Chris Froome (Sky), uma realidade que levou a equipa líder do ‘ranking’ mundial a alterar a sua estratégia para 2016.
“No Tour, quero fazer bem as coisas, mas sobretudo ajudar ao máximo o Nairo e chegar o mais fresco possível aos Jogos Olímpicos”, assumiu Valverde que, aos 36 anos, se vai estrear no Giro, com a missão de fazer o pleno de pódios nas ‘grandes’ Voltas: “É uma motivação e uma experiência bonita”.
Vencedor da Liège-Bastogne-Liège e da Flèche Wallonne em 2015, o espanhol reconheceu que deverá estar mais “fraco” nas clássicas da primavera, para poder estar em forma para atacar a Volta a Itália.
"Cheguei a um ponto na minha carreira que é agora ou nunca. Ao Giro nunca tinha ido e acredito que é o momento, já que estou em forma para o fazer bem. Falei com o Eusebio Unzué e com os outros diretores e desenhámos um calendário diferente de outros anos. Há que experimentar, porque é o momento idóneo”, defendeu o vencedor da Volta a Espanha de 2009.
Líder do ‘ranking’ mundial nas últimas três épocas, a Movistar apresentou-se hoje oficialmente em Madrid, naquele que foi o primeiro evento oficial do português Nelson Oliveira como reforço do conjunto orientado por Eusebio Unzué.
O campeão nacional de contrarrelógio é um dos cinco reforços para esta época, com o plantel a ter 26 corredores.
Na cerimónia de apresentação, a formação espanhola não esqueceu o italiano Adriano Malori, que continua em coma induzido na sequência de uma queda no Tour de San Luis, dedicando-lhe um forte aplauso.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Caja Rural despede Alberto Gallego devido a positivo por doping”



O ciclista espanhol representou a Rádio Popular-Boavista no ano passado.
Foto: JOSÉ COELHO / LUSA
O ciclista espanhol Alberto Gallego, que no ano passado representou a Rádio Popular-Boavista, deu positivo por estanozolol (anabolizante), num controlo realizado a 3 de janeiro, e foi despedido pela Caja Rural, revelou esta terça-feira a equipa espanhola.
“A equipa Caja Rural comunica que decidiu rescindir o contrato do corredor Alberto Gallego ao ter conhecimento das anomalias encontradas no resultado do controlo realizado a 03 de janeiro de 2016. A decisão está de acordo com o estabelecido na normativa vigente e com o cumprimento do regime interno da equipa”, pode ler-se no comunicado da formação da categoria continental profissional.
Alberto Gallego foi um dos ciclistas em destaque na última Volta a Portugal, tendo sido um dos grandes animadores das etapas pela presença em várias fugas.
A exibição do jovem de 25 anos na prova rainha do calendário português captou a atenção da Caja Rural, equipa que representava desde 01 de janeiro.
O espanhol integra a lista de corredores suspensos provisoriamente pela União
Ciclista Internacional (UCI), aguardando a análise à amostra B.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Angola vai pedalar no Africano de ciclismo”



Por: Pereira Francisco  
Foto: DR
Competição decorre em Marrocos entre 15 e 26 de fevereiro.
Nos últimos anos, Angola voltou a afirmar-se como uma das potências do ciclismo internacional, sobretudo africano, onde continua a dar cartas, com realce para o ciclista do Benfica de Luanda, Igor Silva.
A seleção angolana de ciclismo trabalha nos próximos dias em Luanda, tendo em vista a participação na 11ª edição do Campeonato Africano, prova que decorrerá de 15 a 26 de Fevereiro próximo, em Casablanca, Marrocos.
Na prova que será disputada em duas etapas, estrada e pista, o objectivo dos ciclistas angolanos é pedalar para subir ao pódio, mas sabem que enfrentarão muitos adversários com tradição forte na modalidade.
O comando técnico da Selecção Nacional será assegurado pelo técnico do Benfica de Luanda, Carlos Araújo, sendo que o clube é considerado como o viveiro do ciclismo angolano.
Carlos Araújo, antigo veterano ciclista dos encarnados da capital e da Seleção Nacional, ainda não divulgou a lista dos convocados, mas já tem a noção de todos que levará para a empreitada.
Tendo em conta a crise económica mundial que também afectou Angola, o conjunto nacional não realizará estágio no exterior do país, mas tem a viagem marcada para Casablanca entre os dias 12 e 13 de Fevereiro.
Contudo, o SAPO, com a intenção de colher mais dados sobre o Africano, tentou contactar a Federação Angolana de Ciclismo (FACI), mas sem sucessos, uma vez que os membros do órgão desportivo reuniram recentemente, em Luanda.
Em Angola, os ciclistas que constituem as selecções nacionais, assim como os que representam o nome do país nas competições internacionais, individuais e colectivas, maior parte são do Benfica de Luanda.
Entre os ciclistas, destaque vai para Igor Silva, vencedor da Volta a Angola em Bicicleta, em 2015. O atleta de 29 anos de idade é também detentor de vários títulos, nacionais e internacionais.
Fonte: Sapo Desporto

“Movistar nega ter ocultado informações sobre o estado clínico de Malori”


Adriano Malori contínua em coma induzido na sequência do traumatismo cranioencefálico.
Foto: Lusa
A Movistar negou ter ocultado dados sobre o estado clínico do ciclista Adriano Malori, que continua em coma induzido na sequência do traumatismo cranioencefálico que sofreu numa queda na quinta etapa do Tour de San Luis.
A equipa líder do ‘ranking’ mundial respondeu assim às especulações surgidas nos últimos dias na imprensa, sobretudo na espanhola, que davam conta que o estado do ciclista italiano era mais grave do que foi tornado público e que este teria caído devido a um problema de saúde e não o contrário.
Depois de informar que o campeão italiano de contrarrelógio vai ser transferido para uma clínica especializada de Buenos Aires (Argentina), a fim de ser submetido a exames médicos “mais precisos, com técnicas e instrumentos não disponíveis na clínica de San Luis, na qual ingressou depois do seu acidente”, a formação espanhola assumiu sentir-se na obrigação de clarificar algumas informações veiculadas em diferentes meios de comunicação.
“Primeiro, os corredores que presenciaram o acidente de perto corroboraram a forma como este se produziu: Adriano Malori passou por cima de um buraco, o que o desequilibrou e fez cair contra o asfalto. Esta foi, sem dúvida, a causa do acidente”, começa por esclarecer o comunicado.
A Movistar explica que, depois do acidente e de ser admitido no hospital, Malori foi induzido em estado de coma, “entendendo-se como tal o estado de sedação induzido com o objetivo de permitir que as lesões do paciente sarem de forma controlada”, pelo que, em nenhum momento, o coma foi consequência direta do traumatismo.
“A Movistar sempre informou do estado físico dos seus ciclistas quando, como no caso de Adriano Malori, são vítimas de um acidente em competição ou fora dela. A informação é dada com a maior transparência e mediante atualizações periódicas, sem prejuízo das limitações que, em ocasiões, impõe o respeito devido da intimidade do corredor afetado e dos seus próximos”, prossegue a nota.
Em jeito de conclusão, a equipa na qual alinha o português Nelson Oliveira garante que nunca teve a intenção de ocultar a maior ou menor gravidade do estado físico do corredor.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“42.ª Volta ao Algarve/Movistar, Efapel e Sporting-Tavira anunciam equipas”


A Movistar, a Efapel e o Sporting-Tavira enviaram à organização da Volta ao Algarve o elenco de corredores com que vão disputar a 42.ª Volta ao Algarve, entre 17 e 21 de fevereiro.
O coletivo espanhol, vencedor do ranking WorldTour por equipas em 2015, chega a Portugal com um bloco capaz de lutar pela camisola amarela. O diretor desportivo José Luis Jaimerena vai contar com os melhores contrarrelogistas ibéricos e com trepadores de qualidade.
Entre os eleitos está o campeão português de contrarrelógio, Nelson Oliveira, e os três primeiros classificados do Campeonato de contrarrelógio de Espanha, Jonathan Castroviejo, Gorka Izaguirre e Jesús Herrada. O vencedor da Volta à Polónia em 2015, Ion Izaguirre é outro dos selecionados, devendo partilhar com Nelson Oliveira o estatuto de chefe de fila. José Joaquín Rojas terá uma palavra a dizer nas etapas com final ao sprint, enquanto Francisco Ventoso e Antonio Pedrero assumirão o papel de gregários.
A Volta ao Algarve será a primeira competição das equipas portuguesas em 2016. Após o Louletano-Hospital de Loulé e a Rádio Popular-Boavista informarem a organização sobre os ciclistas escolhidos, foi a vez da Efapel e do Sporting-Tavira.

O italiano Rinaldo Nocentini será o chefe de fila dos sportinguistas de Tavira, juntando-se aos portugueses Válter Pereira, Luís Fernandes e David Livramento e aos espanhóis David de la Fuente, Mário González, Jesús Ezquerra e Óscar González.
A Efapel promete ser uma das formações mais portuguesas da corrida, alinhando com um espanhol, Álvaro Trueba, e com sete lusos, Joni Brandão, Filipe Cardoso, Rafael Silva, Hélder Ferreira, Daniel Mestre, Henrique Casimiro e António Barbio.
A corrida portuguesa será disputada por 24 equipas, metade das quais da primeira divisão mundial.
Equipas
WorldTour: Astana, Cannondale, Etixx-QuickStep, FDJ, IAM Cycling, Katusha, Lotto Soudal, Lotto NL-Jumbo, Movistar, Team Sky, Tinkoff e Trek-Segafredo.
Continentais Profissionais: Bora-Argon 18, Caja Rural-Seguros RGA, Gazprom-RusVelo, Novo Nordisk, Roth e Verva ActiveJet.
Continentais: Efapel, LA Alumínios-Antarte, Louletano-Hospital de Loulé, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto
Percurso
1.ª Etapa: Lagos – Albufeira, 177 km
2.ª Etapa: Lagoa – Fóia, 198,6 km
3.ª Etapa: Sagres – Sagres, 18 km (Contrarrelógio Individual)
4.ª Etapa: S. Brás de Alportel – Tavira, 194 km
5.ª Etapa: Almodôvar – Malhão, 169 km
Fonte: FPC

“Seleção Nacional BTT/Liberty Seguros”


Equipa nacional prepara Jogos Olímpicos na Costa Blanca
A Seleção Nacional/Liberty Seguros de cross country olímpico (XCO) participa, de 28 a 31 de janeiro, na Costa Blanca Bike Race, prova de BTT por etapas, pontuável para o apuramento olímpico.
Esta corrida marca o arranque da reta final da fase de apuramento para o Rio de Janeiro, que terá epílogo em maio. Portugal concluiu o primeiro ciclo de apuramento em condições de qualificar dois corredores XCO para os Jogos Olímpicos, precisando de pontuar no segundo ciclo para confirmar esse feito.
É com esse objetivo em mente que o selecionador nacional, Pedro Vigário, partiu para a Costa Blanca, em Espanha, acompanhado dos quatro ciclistas escolhidos: David Rosa, Tiago Ferreira, Ricardo Marinheiro e Mário Costa.
A Costa Blanca Bike Race é uma corrida disputada em duplas. David Rosa e Tiago Ferreira formarão uma equipa, enquanto a outra integrará Mário Costa e Ricardo Marinheiro.
A primeira etapa, a realizar na quinta-feira, tem 46 quilómetros, ligando Benidorm a La Nucia. No dia seguinte os corredores vão pedalar ao longo de 43 quilómetros, em redor de Finestrat. A terceira tirada, no sábado, é a etapa rainha da competição, com 78 montanhosos quilómetros em torno de Polop. Para domingo está guardado um contrarrelógio de 7 quilómetros com final em alto.
Em 2012, David Rosa foi o primeiro betetista português a participar nos Jogos Olímpicos. A ambição para 2016 é duplicar o número de lusos presentes.
Fonte: FPC