sábado, 23 de janeiro de 2016

“Conversações entre Benfica e Bike Clube/Depois dos regressos do Sporting e FC Porto ao ciclismo”


Por: Ana Paula Marques e Eugénio Queirós
Foto: Fernando Ferreira
Depois dos regressos do Sporting e FC Porto ao ciclismo, o Benfica pode fazer o mesmo em 2017. O nosso jornal sabe que houve já um contacto entre as águias e uma das mais importantes equipas do escalão sub-23, o Bike Clube de Portugal, para que o projeto de uma equipa profissional seja uma realidade na próxima temporada.
Nesta altura não existe mais nada de concreto a não ser mesmo o breve contacto, que terá sido feito entre pessoas muito próximas do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e autarcas de Oliveira de Azeméis, onde está sediada a equipa sub-23, que surgiu o ano passado e cujo projeto contempla precisamente a passagem ao escalão profissional em 2017.
Os principais rostos do Bike Clube de Portugal são os gémeos Ivo e Rui Oliveira, que têm feito história no ciclismo de pista. O diretor-desportivo é o antigo ciclista Manuel Correia, que chegou a correr no Sporting.
Fonte: Record on-line

“A equipa de ciclismo do FC Porto/Pinto da Costa assume objetivos internacionais para equipa de ciclismo”


Foto: JOSÉ COELHO / LUSA
O presidente do FC Porto afirmou que um dos objetivos da recém-criada equipa de ciclismo do clube passa por participar em provas internacionais da modalidade.
O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, afirmou hoje que um dos objetivos da recém-criada equipa de ciclismo do clube passa por participar em provas internacionais da modalidade.
A garantia foi deixada pelo líder do emblema azul e branco na apresentação oficial da equipa W52/FC Porto/Porto Canal, que decorreu no Museu do clube nortenho, na qual marcaram presença os 12 corredores que vão integrar a formação.
"Temos de começar pelas estradas portuguesas, mas o objetivo é também ir correr para estradas de outros países ", disse o dirigente, embora vincando que é necessário um percurso de evolução cauteloso.
"Vamos fazer as coisas no seu tempo, dando as pedaladas certas, e não queremos cortar a meta antes de passar pelas estradas. Um dos objetivos é termos também acesso às provas internacionais", completou.
Pinto da Costa referiu que voltar a ter uma equipa de ciclismo de 'dragão' ao peito era um sonho seu, mas também "o sonho de muita gente por esse país fora".
"Ainda hoje encontro em localidades bem longe da cidade do Porto pessoas que me dizem gostarem do FC Porto por causa do ciclismo, porque viam passar os nossos grandes campeões, e ganharam uma afeição e um elo de ligação ao clube", sublinhou.
O presidente do emblema da Invicta mostrou a convicção de que o regresso do FC Porto ao ciclismo será duradouro, considerando que foi encontrado o parceiro certo para este desafio.
"Tive desde início com Adriano Quintanilha [principal patrocinador da equipa] um relacionamento exemplar. Foi o parceiro ideal para termos esta relação, estou certo que este projeto vai perdurar além do contrato que assinámos", vincou Pinto Da Costa.
O proprietário da marca W52 mostrou igual convicção, confessando ser uma "honra participar nesta parceria", garantindo "empenho da equipa para dar alegria aos associados e adeptos do FC Porto pelas estradas de Portugal".
Isso mesmo vincou também Nuno Ribeiro, diretor desportivo da equipa, de quem Pinto da Costa confessou ser o seu corredor de eleição quando este ainda competia.

"Como portista fico muito orgulhoso de ouvir essas palavras, e prometo agora, em outras funções, dignificar ao máximo a camisola do FC Porto", garantiu o técnico.
Como porta-voz dos ciclistas da equipa, o espanhol Gustavo Veloso, vencedor das duas últimas edições da Volta a Portugal, assegurou que "todo o grupo sente a responsabilidade de envergar o símbolo do FC Porto", e garantiu uma "equipa experiente e com espírito vencedor".
Nesta apresentação da W52/FC Porto/Porto Canal já esteve integrado o mais recente reforço da equipa, o corredor algarvio Ricardo Mestre, ex-Team Tavira, que, aos 33 anos, e contando já no currículo com um triunfo na Volta a Portugal, vem conferir mais experiência à equipa.
Além de Gustavo Veloso e Ricardo Mestre, integram a formação António Carvalho, Daniel Freitas, João Rodrigues, Joaquim Silva, Juan Perez Martin, Rafael Reis, Raul Alarcon, Rui Vinhas, Samuel Caldeira e Ángel Rebolido.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Seis ciclistas da Giant-Alpecin atingidos por automóvel em Espanha”


Foto: PixaBay
Em 2012, um acidente semelhante causou a morte ao ciclista espanhol Victor Cabedo, da equipa Euskaltel-Euskadi.
Seis ciclistas de "diferentes nacionalidades” da equipa Giant-Alpecin foram hoje atingidos por uma viatura durante um treino perto de Alicante, no sudoeste de Espanha, anunciaram a equipa alemã e os serviços de socorro.

Sem divulgar as suas identidades, a equipa do 'world tour' (primeira divisão do ciclismo) adiantou através da rede social 'twiter' que os ciclistas foram todos transferidos para hospitais próximos e que a sua condição de saúde é “estável”.

Numa altura em que circulavam em Benigembla, cerca de uma centena de quilómetros a sul de Valência, os ciclistas foram atingidos por uma viatura conduzida por uma cidadã britânica que seguia em contramão.

Em 2012, um acidente semelhante causou a morte ao ciclista espanhol Victor Cabedo, da equipa Euskaltel-Euskadi.

Durante o inverno, numerosas equipas profissionais de ciclismo organizam sessões de treino em Espanha, para tirar partido do clima mais ameno, com vista à preparação da época desportiva.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Richie Porte vence etapa do Tour Down Under mas falha liderança”



Foto: JEFF PACHOUD / AFP
O ciclista australiano Richie Porte (BMC) venceu este sábado isolado a quinta etapa do Tour Down Under, na Austrália, numa etapa em que o seu compatriota Simon Gerrans (Orica GreenEdge) deverá ter assegurado a vitória final.
Porte foi o mais forte na fase final da etapa, uma tirada de 151,5 quilómetros entre McLaren Vale e Willunga Hill, na qual a caravana teve de subir por duas vezes a Willunga Hill, uma subida de tres quilómetros e com 7,6% de inclinação.
Na segunda e última subida, Porte superou Sergio Luis Henao (Team Sky) e o canadiano Michael Woods (Cannondale), segundo e terceiro classificados, respetivamente, a seis e nove segundos.
A festa de Porte só não foi completa porque o seu compatriota Simon Gerrans cortou a meta integrado num grupo que gastou mais 17 segundos, pelo que segurou a liderança da geral por nove segundos.
Entre os portugueses, Tiago Machado (Katusha) foi 23.º a 38 segundos, ocupando a 19.ª posição a 1.11 minutos, enquanto Nelson Oliveira (Movistar) foi 93.º a 7.38, sengo 59.º a 11.35 minutos.
A prova termina no domingo, com uma etapa de apenas 90 quilómetros em Adelaide, prevendo-se uma chegada em pelotão, pelo que a vitória já não deverá fugir a Gerrans, que assim se sagrará vencedor pela quarta vez, depois dos triunfos em 2006, 2012 e 2014.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Tour de San Luis/German Tivani vence quinta etapa”


Foto: AFP
O português André Cardoso cortou a meta no 24.º posto integrado no pelotão, com o mesmo tempo do vencedor, subindo ao 10.º lugar da classificação geral, a 1.37 minutos do líder.
O ciclista argentino German Tivani (seleção da Argentina) venceu hoje ao 'sprint' a quinta etapa do Tour de San Luis, na Argentina, numa tirada em quetendo André Cardoso (Cannondale) foi 24.º.
Apesar do triunfo na etapa de Tivani, o destaque continua a ir para o líder da prova, o argentino Eduardo Spulveda (Fortuneo-Vital Concept), que no sábado vai ter de se defender do colombiano Nairo Quintana (Movistar Team), grande favorito e qua ocupa a quarta posição a apenas 42 segundos do comandante.
No sábado, o pelotão vai enfrentar uma dura etapa de montanha, cuja meta está instalada ao final de uma longa subida de 17 quilómetros, sendo previsível que o vencedor venha também a conquistar a classificação geral final.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa  sapodesporto@sapo.pt