sexta-feira, 25 de maio de 2018

“FROOME ATACOU A 80 KM DA META E É O NOVO LÍDER DO GIRO”

Etapa magistral do britânico

Por: Ana Paula Marques

Chris Froome é o novo camisola rosa da Volta a Itália, depois de ter ganho a penúltima etapa. O britânico realizou uma etapa espectacular, a mais fenomeanal mesmo da sua carreira, ao atacar a cerca de 80 quilómetros da meta. Nesta altura o então líder, o compatriota Simon Yates, já tinha estava atrasado, pelo que a preocupação de Froome passou a ser sobretudo o holandês Tom Dumoulin, o segundo da geral.

Com o passar dos quilómetros, a vantagem do ciclista da Sky foi aumentando, para anular de vez os 2.54 minutos que tinha de atraso para Dumoulin quando faltavam sensivelmente 20 para o final. Na meta, na contagem de montanha de primeira categoria, em Bardonecchia, Chris Froome ganhou com 3.21 minutos de avanço para o ainda campeão da prova.

O britânico deu pois um grande passo para vencer o Giro pela primeira vez, mas ainda falta mais uma etapa de montanha, sábado. Parte com 40 segundos de vantagem para Dumoulin.

Já o português José Gonaçlves (Katusha) foi 19.º na etapa, a quase 15 minutos de Froome, mas ainda assim subiu duas posições na geral, para ficar à porta do top 15 (é 16.º).

Fonte: Record on-line

“NOVO XTR M9100 TRAZ O MAIS VERSÁTIL GRUPO PARA ATLETAS DE XC, ENDURO E MARATONAS”

XTR M9100: Desenhado para ir ao encontro das exigentes necessidades dos atletas de alta competição, com uma performance e experiência incomparável.

Por: Nuno Candeias

Se existe algo que temos a certeza nesta vida, é o facto do BTT a nível mundial continuar a explorar os limites. As provas de montanha anualmente com disciplinas estão a tornar-se mais exigentes e as bicicletas mais capacitadas. Se os ciclistas necessitam de componentes mais leves, maior controlo das suas bikes ou de sistemas de transmissão mais versáteis, o novo XTR levou mais longe que nunca o desafio da evolução com um conjunto de desenvolvimentos que vão garantir mais velocidade, foco e controlo aos atletas de BTT.

Os pilotos de XC, maratonas e Enduro procuram constantemente alcançar um equilíbrio justo entre velocidade, concentração e controlo, e assim cada deste pontos foi analisado e otimizado durante o desenvolvimento da serie XTR M9100 da Shimano.  

O Novo XTR caracteriza-se pela sua inovadora cassete de 12 velocidades com opções de andamentos 10-45D  ou 10-51D, pinças de travão  de 2 ou 4 pistons, e um novo cubo  com nova tecnologia MICRO SPINE da Shimano.Tal como manetes e pinças de travão redesenhadas que permitem aos pilotos posicionar os  controlos, inclui ainda um manipulo  XTR de espigão regulável  desenhado e posicionado estrategicamente para maior conforto e acção rápida. Em conjunto, com os novos desenvolvimentos consegue-se poupar para cima de 150gr em peso para o piloto de XC e acima de 90gr para pilotos de Enduro com a promessa de comutação mais intuitiva para aprimorar a concentração nos trilhos.

Bas Van Dooren, Líder de equipa de Produto: “ velocidade, concentração, controlo, foram as palavras que estiveram sempre presentes durante a fase de desenvolvimento. Desenhámos o novo XTR para melhorar aceleração e velocidade reduzindo drasticamente as perdas de força da transmissão com um redesenhado sistema de transmissão, Levámos em consideração a precisão com o desenvolvimento de componentes que tornassem a montagem na haste de guiador mais intuitiva. O novo XTR não uma atualização do M9000, foi redesenhado de raiz para podermos encontrar os melhores componentes para o BTT, seja para XC, maratonas ou Enduro.”

NOVA GERAÇÃO DE VELOCIDADE

Cassete:

Os desenvolvimentos na transmissão tiveram como ponto de partida, minimizar passagens de mudança, para trazer ao ciclista um melhor ritmo e cadência entre cada passagem de mudança e assim melhorar no final a sua velocidade geral. O resultado disto, foi a criação de um carreto de 51 dentes, o qual vem com a mesma passagem de 6 dentes como acontece nos últimos 3 carretos (10-12-14-16-18-21-24-28-33-39-45-51D) de modo a manter a cadência.

O novo XTR apresenta ainda uma nova cassete de 12 velocidades 10-45D (10-12-14-16-18-21-24-28-32-36-40-45D) para percursos BTT rápidos ou menos íngremes sem alterações drásticas de cadência. A opção 10-45D (CSM9100-12) é para atletas de XC que pretendam passagens pequenas de mudança e uma montagem mais leve, 10-51D (CS-M9100-12) desenvolvida para o atleta de trail que se cruza inesperadamente com mais subidas.

Ambas as cassetes usam atraentes e diferentes tipos de metal para diferentes carretos para atingir o melhor equilíbrio entre peso e durabilidade. Os carretos maiores usam alumínio, os carretos intermédios usam titânio e os mais pequenos usam aço.

Com o novo XTR chega ainda uma terceira opção de cassete de 11V (CS-M9110-11), para atletas que pretendem criar rodas mais rígidas e leves. Essencialmente esta opção é baseada na cassete de 10-51D onde foi removido o carreto 51D para criar uma cassete de 11V mas com o mesmo espaçamento  das cassetes de 12V.

Tecnologias do Cubo: Para o encaixe nos sistemas de 12V, a Shimano re-estruturou o design do cepo com uma nova tecnologia conhecida como MICRO SPLINE que permite o encaixe nas suas cassetes. Assim como a introdução da tecnologia SCYLENCE nos cubos traseiros da Shimano. Esta tecnologia substitui os linguetes tradicionais por um sistema de embraiagem que permite reduzir o atrito enquanto gira, um encaixe mais rápido criando um cubo virtualmente silencioso, o que te permite estar mais concentrado no trilho à tua frente. Os cubos da frente estão disponíveis em 100 e 110mm com 15mm de eixo passante, os cubos de trás disponíveis nas opções de 142mm e 148mm (especificações Boost) com eixo passante de 12mm ( HB-M9110/B  / FH-M9110/B)

Pedaleiro: Em conjunto com uma corrente de 12 V de elo engate rápido (CN-M9110) um pedaleiro de 12 velocidades (FC-M9100/M9120-1) com cranque oco.

Para os atletas de XC com 1x12V uma gama alargada de rodas pedaleiras simples disponiveis desde 30D-38D mais leves cerca de 80 gramas. Os atletas de Enduro que correm com 1x12V podem adicionalmente colocar o sistema de retenção de corrente (SM-CD800 ou modelo ISCG05), e têm ainda a opção do pedaleiro FC-M9120 com maior distância entre cranque para montagem específicas em determinados modelos de quadros.

Os atletas que preferem mais combinações de andamentos para maior controlo em todos os tipos de terrenos têm a opção de 2 x12V, pedaleiro FC-M9100/M9120-B2) em 38-28D que podem utilizar com a cassete 10-45D ideal para corridas mais longas e maior número de subidas.

Mudanças: No XTR vamos ter 3 opções de mudanças de trás (a RD-M9100-SGS/GS caixa super longa e caixa longa ou a RD-M9120-SGS para pedaleiros duplos), todas elas com um design agressivo, compacto, angular e muito lustroso em alumínio adonisado. Para auxiliar a performance na passagens de mudanças as roldanas vão desde os 11D no XTR M9000 para uma maior dimensão 13D para melhorar a retenção da corrente e em combinação com a mudança traseira de design SHIMANO SHADOW RD+, que ajuda a minimizar ressaltos da corrente.

As mudanças da frente, vão estar disponíveis também em 3 diferentes estilos dependendo do tipo de quadro. Tipo-D, Tipo-E e Tipo-M, todos os modelos caracterizam-se por utilizarem a tecnologia SIDE SWING, o que permite reduzir o esforço de comutação e tornar a passagem de mudanças mais suave.

MAIOR FOCO NA COMUTAÇÃO

Manípulos: A teoria por detrás do design do manípulo foi permitir ao piloto adaptar-se instantaneamente às mudanças de condições no terreno ao conseguir fazer uma alteração em décimos de segundo à sua integração no cockpit. E tal foi alcançado com a criação de um novo sistema de integração I-SPEC EV, que permite instalar em conjunto manete e manipulo. O novo I-SPEC EV permite uma deslocação lateral de 14mm e uma rotação posicional de 60 graus, este fabuloso sistema permite ao atleta reajustar o posicionamento da mão para melhor ergonomia durante a operação das manetes ou dos manípulos, além de conseguirem ter uma haste guiador mais ‘limpa’. 

Assim como, a Shimano introduziu também um manipulo especifico para espigões reguláveis (SL-MT800-IL) com sistema  montagem I-SPEC-EV  compatível  com a maioria dos manípulos de ajuste existentes no mercado incluindo o espigão regulável Koryak.

Em adição, nos novos manípulos foi reduzido o esforço durante a ação de comutação, ficando incrivelmente leves o que permite ao atleta executar uma passagem mais intuitiva, com o mínimo de movimentos dos dedos.

Os manípulos transportam algumas das tecnologias da geração anterior, como RAPIDFIRE plus, libertação nos 2 sentidos, e multi-libertação. Novo para os manípulos M9100 é um conversor de 11 para 12 velocidades (SL-M9100-R/-IR) no manipulo traseiro para o atleta escolher 11v a quando da montagem de cubo com a falange mais larga. Para 2x12v o manípulo da frente (SL-M9100-IL / SL-M9100-L) foi desenvolvido com novo design, uma alavanca simples com uma operação muito intuitiva e simplificada, uma única alavanca para colocar e retirar mudanças.

MANTER SEMPRE O CONTROLO

Travões: O design da manete de travão (XTR M9100 - manetes (BL-M9100/M9120)) sofreu alteração; a abraçadeira e a alavanca da manete foi reposicionada. a abraçadeira recuou ligeiramente para o centro do corpo da manete, e o limite da alavanca está inteligentemente  suportada  contra a haste para criar mais firmeza na travagem  com mais contacto direto e maior controlo durante a travagem.

A opção de 2 pistons (BR-M9100) vem com uma manete de XC mais leve com a possibilidade de ajustar o alcance da alavanca de travão. O travão de 4 pistons (BR-M9120) traz também manetes de travão especificas, com a possibilidade de ajuste do alcance da mão, ajuste “free-stroke” e tecnologia Servo Wave para aumentar rapidamente a ação de contacto entre calços e rotor. Ambas as pinças são produzidas em alumínio, utilizam ambas tubo de travão hidráulico de alta rigidez para obter uma travagem rápida e potente.

Pastilhas de travão e rotores: Para igualar as pinças redesenhadas as pastilhas sofreram também alterações. Para quem optar pelas pinças de 4 pistons, será necessário as pastilhas (N03/4A resina/metal), para as pinças de 2 pistons temos pastilhas sem alhetas (K02/4S resina/metal, e a opção K02/4Ti Titânio)

O design dos rotores vai utilizar a reformulada tecnologia de construção ICE-TECHNOLOGIES FREEZA deste modo o peso foi reduzido e aumentou o poder de dissipação de calor.

Nos rotores de 140mm e 160mm retirou-se 5 e 10 gramas respetivamente. Esta construção permitiu durante os testes reduzir cerca de 20º  de temperatura nos discos de 180 e 203mm, no rotor de 203mm foi ainda retirado cerca de 30 gramas no peso comparativamente à versão ( RT99).

O MELHOR DO MELHOR

Com o sistema completo o novo XTR M9100 vem responder às questões que estão a ser colocadas pelo atletas. Como é que podemos combinar máxima eficiência, com uma maior gama de andamentos, maior potência de travagem , durabilidade e uma transmissão ainda mais eficiente? XTR M9100: Second to none

Distribuição oficial para Portugal: Sociedade Comercial do Vouga, Lda

“Comissão Europeia usa bicicletas para promover igualdade de género em Lisboa”

A Comissão Europeia levou hoje a Lisboa e outras seis cidades da Europa a iniciativa “#Herworldourworld – O mundo dela é o nosso mundo”, que usa bicicletas para sensibilizar os cidadãos para a igualdade de género.

“Estamos a começar por mobilizar os estados da União Europeia, mas a ideia é mobilizar o mundo”, diz Sara Silva, gestora de campanhas digitais do departamento de cooperação internacional e desigualdade da Comissão Europeia.

Na praça Martim Moniz, no centro de Lisboa, encontravam-se duas bicicletas nas quais as pessoas eram convidadas a pedalar durante dois a três minutos em cada uma delas, enquanto assistiam a vídeos com dados estatísticos acerca da desigualdade de género e que ainda se faz sentir no dia-a-dia.

Após a passagem pelas duas bicicletas, a conclusão que retiravam é de que uma das bicicletas exigia mais esforço físico.

A bicicleta mais pesada correspondia à mulher para mostrar que, apesar de a tarefa ser a mesma, tem de fazer muito mais esforço e “é pretendido demonstrar isso pelo físico”, afirma Vera Sousa, do gabinete de comunicação e documentação Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, uma das entidades que se associou à iniciativa.

A ideia é representar o esforço físico e psicológico que as mulheres sentem em várias situações do quotidiano facilmente comparado pelos pedais de duas bicicletas.

“Pretendemos captar a atenção dos mais jovens por serem os responsáveis pelo dia de amanhã, mas também não esquecemos os mais velhos por serem responsáveis pelo dia de hoje”, explica Sara Silva.

Apesar de nos últimos anos terem sido confirmadas algumas conquistas importantes, o caminho a igualdade continua a enfrentar antigos e novos desafios que, segundo Gonçalo Teles Gomes, vice-presidente do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, “exigem respostas políticas informadas que tenham um papel transformador”.

Gonçalo Teles Gomes lembra ainda que a igualdade de género constitui um dos aspetos mais ancorados na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e que muitos dos projetos integram objetivos relacionados com “a igualdade de género, o empoderamento das mulheres, a promoção dos direitos ao nível da saúde sexual reprodutiva, ou de luta contra a violência na mulher.”

O evento tem lugar, em simultâneo, em outras seis cidades europeias, como Bratislava, Bruxelas, Budapeste, Maribor, Roma e Talin.

A iniciativa organizada pela Comissão Europeia e os Estados Membros, em Portugal é desenvolvida pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa.

Fonte: Sapo On-line

“Participa no III Aquatlo Escola de Natação do Jamor"

No dia 9 de junho todos os caminhos vão dar ao Jamor com o III Aquatlo aberto a todos, um evento gratuito!

No dia 9 de junho, às 15h30, irá realizar-se uma prova aberta a todas as pessoas que queiram participar, constituída pelos segmentos de natação e corrida. O percurso de natação irá decorrer no Complexo de Piscinas do Jamor e a corrida, realizada nas imediações, terá um trajeto maioritariamente plano, contando apenas com uma pequena subida.

Será uma excelente maneira de celebrar os 74 anos do Jamor, um espaço único às portas de Lisboa, aliando o desporto à diversão e ao convívio. Celebra o desporto com uma prova desta natureza!

Inserido do âmbito das comemorações do aniversário do Complexo Desportivo do Jamor, este é um evento totalmente gratuito, sujeito a inscrição prévia.

Fonte: FTP

quinta-feira, 24 de maio de 2018

“Atualização do Canal NP-TV com o “Vídeo Promocional “26ª Edição Lisboa Antiga de Bicicleta.2018”

A Revista Notícias do Pedal acaba de atualizar o seu canal de televisão “Notícias do Pedal-TV” no YouTube e no MEO/KANAL com o “Vídeo Promocional “26ª Edição Lisboa Antiga de Bicicleta.2018”


Para ver o vídeo no MEO/KANAL, quem possuir MEO, pode aceder carregando na tecla verde do comando, inserir o código 531450, e ver no MEO/KANAL este e outros filmes, podendo consultar toda a programação. Podem ver ainda através do seguinte link: https://kanal.pt/lista-canais/comunicao-social/lisboa/vila-franca-de-xira/?display=grid&order=updated 

Desejamos que passem e recordem bons momentos.

“GREIPEL VOLTA A VENCER NA VOLTA À BÉLGICA E TIAGO MACHADO REPETE 49.º POSTO”

Ciclista alemão lidera a prova com 11 segundos de vantagem

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O alemão Andre Greipel (Lotto Soudal) repetiu esta quinta-feira o triunfo inaugural e impôs-se no 'sprint' final da segunda etapa da Volta à Bélgica, enquanto o português Tiago Machado (Katusha-Alpecin) chegou no pelotão.

Numa tirada de 162,1 quilómetros, entre Lochristi e Knokke-Heist, Andre Greipel voltou a ser o mais forte na ponta final, cortando a meta em 3:15.21 horas, o mesmo tempo atribuído ao holandês Wouter Wippert (Roompot-Mederlandse Loterij) e ao belga Tim Merlier (Vérandas Willems-Crelan), que já tinha sido terceiro no primeiro dia.

Greipel continua a liderar a prova, agora com 11 segundos de vantagem sobre o dinamarquês Lasse Norman Hansen (Aqua Blue Sport) e 12 em relação a Merlier.

Tal como na primeira etapa, Tiago Machado cortou a meta na 49.ª posição, com o mesmo tempo de Greipel, e está a 20 segundos do alemão na geral.

Na sexta-feira, na terceira etapa, os corredores têm pela frente um contrarrelógio individual de 10.6 quilómetros, em Bornem.

Fonte: Record on-line

“SCHACHMANN VENCE 18.ª ETAPA DO GIRO”

Simon Yates, líder da Volta a Itália, perde 23 segundos para Dumoulin

Por: Lusa

O ciclista britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott), líder da Volta a Itália, perdeu esta quinta-feira 23 segundos para o holandês Tom Dumoulin (Sunweb), na 18.ª etapa, que foi ganha pelo alemão Maximilian Schachmann (Quick-Step Floors).

Após uma longa fuga, Schachmann cortou a meta isolado no final dos 196 quilómetros entre Abbiategrasso e Prato Nevoso, cumpridos em 4:55.42 horas, menos 10 segundos do que o espanhol Rubén Plaza (Israel Cycling Academy) e 16 do que o italiano Mattia Cattaneo (Androni-Sidermec-Bottecchia).

A contagem de montanha de primeira categoria com que terminou a etapa permitiu a Dumoulin, vencedor em 2017, recuperar tempo em relação a Yates, que tem a camisola rosa segura por 28 segundos.

Na sexta-feira corre-se a 19.ª etapa, entre Venaria Reale e Bardonecchia (184 quilómetros), com a meta a coincidir com uma contagem de montanha de primeira categoria.

Fonte: Record on-line

“Centro de Ciclismo do Minho: obras da segunda fase arrancam na segunda-feira”

As obras da segunda fase do Centro de Ciclismo do Minho, em Souto Santa Maria – Guimarães, arrancam na próxima segunda-feira (28 de maio), devendo estar concluídas a tempo de receber este ano a prova de Cross Country Olímpico (XCO) dos Campeonatos do Mundo de Ciclismo Universitário.

O Centro de Ciclismo do Minho – Guimarães (Souto Santa Maria) integra o primeiro circuito permanente de BTT XCO da região norte do País, tendo a primeira fase sido inaugurada a dia 25 de junho de 2017. Localizado no Parque Desportivo de Souto Santa Maria (Rua Dona Josefa Amaral Freitas), o projeto é desenvolvido em parceria pela Associação de Ciclismo do Minho, Câmara Municipal de Guimarães e a União das Freguesias de Souto Santa Maria, Souto São Salvador e Gondomar, em concertação com a Federação Portuguesa de Ciclismo. O projeto compreende trajetos em circuito de diversas dificuldades (fácil, acessível, difícil e muito difícil), procurando-se corresponder às diferentes faixas etárias dos praticantes, características, nível de desenvolvimento técnico e físico e motivações.

As obras da segunda fase do Centro de Ciclismo do Minho contemplam a construção de uma passagem inferior para os ciclistas na zona da entrada do Parque Desportivo de Souto Santa Maria, procurando-se assim melhor as condições de segurança e eliminar o cruzamento do trajeto para as bicicletas com a estrada de acesso de viaturas ao Parque. Para a área dos percursos de BTT está igualmente prevista a implantação de uma passagem superior destinada aos ciclistas, visando a melhoria e a criação de mais alternativas de trajetos. Está igualmente contemplada a repavimentação dos percursos, na extensão total de cerca de 7,5 quilómetros, drenagem de águas pluviais e outros melhoramentos.

A empreitada será executada pela empresa vimaranense CJR – Cândido José Rodrigues, SA e é financiada pela Câmara Municipal de Guimarães e com recursos angariados pela Associação de Ciclismo do Minho, nomeadamente, junto de privados e através do Estatuto do Mecenato Desportivo

O Centro de Ciclismo do Minho - Guimarães corresponde a um anseio da Associação de Ciclismo do Minho que lançou em 2009 o projeto de criação de um espaço para a prática de ciclismo de competição e de lazer. Com hipóteses de instalação em qualquer um dos concelhos da região do Minho, a escolha final acabou por ser o Parque Desportivo de Souto Santa Maria, tendo sido determinante na opção as condições que o espaço já detinha. Além do circuito permanente de BTT XCO, o Parque Desportivo e de Lazer de Souto Santa Maria possui ainda um pavilhão desportivo, circuito de manutenção, parque infantil e parque de merendas, entre outras valências. Pretende-se que o projeto gere uma nova centralidade, proporcionando boas condições para atividades de recreio, formação, treino e competição de ciclismo, contribuindo também para o desenvolvimento da modalidade na região.

O Centro de Ciclismo do Minho já acolheu atividades do Campeonato do Minho de BTT Cross Country Olímpico, tendo a primeira atividade de ciclismo sido realizada em 2010 aquando dos Torneios Desportivos do 25 de abril.

Depois da realização das obras da segunda fase, o Centro de Ciclismo do Minho – Guimarães (Souto Santa Maria) deverá acolher em julho um evento de teste para o Campeonato do Mundo de Ciclismo Universitário cuja competição, masculina e feminina, será realizada no dia 1 de agosto.

Fonte: ACM

“Equipa Portugal/Furo no contrarrelógio coletivo condiciona resultado”

Por: José Carlos Gomes

A Equipa Portugal começou com o pedal esquerdo a participação no Tour du Pays de Vaud, prova suíça da Taça das Nações de juniores, uma vez que um furo de Guilherme Mota condicionou o desempenho coletivo no contrarrelógio por equipas de hoje.

Os 4,6 quilómetros de luta contra o tempo por equipas, percorridos em Lausanne, permitiram fazer a primeira seleção de valores. A Equipa Portugal terminou a primeira etapa no 13.º lugar, entre 20 nações.

“Com cerca de 250 metros percorridos, o Guilherme Mota furou. Como ia no meio do grupo, acabou por desorganizar o trabalho coletivo, porque a equipa ficou partida. Não correu da melhor maneira, mas só desejo que todos os azares sejam estes. Agora vamos pensar na difícil etapa de amanhã”, afirma o selecionador nacional, José Poeira.

A Equipa Portugal completou o percurso em 5m52s, mais 19,25 segundos do que a formação holandesa, que triunfou. Afonso Silva, Diogo Ribeiro, Francisco Guerreiro, Pedro Andrade e Wilson Esperança chegaram todos com o mesmo tempo. Guilherme Mota, que teve de trocar de bicicleta, na sequência do furo, foi o único que se atrasou.

A segunda etapa corre-se nesta sexta-feira, uma ligação de 119,6 quilómetros, entre Missy e Bioley-Magnoux, com partida às 14h20.

Fonte: FPC

“4º Passeio Vitória Clube de Lisboa.2018”

Dia 10 de junho de 2018

Texto: José Morais

Foto: Notícias do Pedal/Vitória Clube de LIsboa

Vai para a estrada no próximo dia 10 de junho, o 4º passeio de cicloturismo do Vitória Clube de Lisboa, um evento do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB). 

O evento tem concentração marcada para as 8 horas no Campo do Vitória, à Picheleira, com a saída marcada para as 9 horas, com um percurso com cerca de 60 quilómetros pela capital, num passeio que muito promete, cheio de muita animação, e surpresas.

Informações e inscrições: Telefone: 966 287 689 ou pelo mail: vclcicloturismo@gmail.com

Marque já na sua agenda, e venha participar num passeio que muito promete, venha descobrir Lisboa de maneira calma e sem stress, um passeio que a Revista Notícias do Pedal recomenda, e onde marcará presença, para mais uma reportagem completa do evento.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

“Foi a festa no Challenge de Lisboa 2018!”

O evento que encheu de cor o Parque das Nações contou com cerca de mil participantes

No sábado, dia 19 de maio, realizou-se o Challenge de Lisboa, com a distância de 1900 metros a nadar, 90km de ciclismo e uma meia maratona, que acabou por ser uma distância um pouco inferior. Para além disso, o evento contou com uma prova na distância olímpica plus com 1500 metros de natação, 45km de ciclismo e 10,5km a correr.

Na competição de ‘todos contra todos’ a vitória pertenceu ao espanhol Pablo Dapena, que completou a prova em 03:39:11. O melhor português em prova foi João Ferreira, na quarta posição, com 03:44:50. José Estrangeiro conseguiu o 8º lugar da competição.

João Ferreira divide os treinos com os exames e por isso tem que aproveitar da melhor maneira para conciliar a vida profissional com a desportiva. «Tenho a sorte de ter um grande treinador (Paulo Antunes) ao meu lado que está sempre presente e tem percebido a 100% os meus dias bons e os meus dias menos bons.». O triatleta fala dos diferentes segmentos do percurso: «Como ia haver um bom ritmo na natação, tentei manter-me ao máximo num grupo dentro dos meus objetivos. Sabia que a chave da prova estava no ciclismo, pois é aí que está mais de 50% do tempo e trabalhei bastante este segmento. Consegui tirar quatro minutos ao meu tempo do ano passado.

Na corrida consegui manter um ritmo constante conseguindo recuperar ainda dois lugares.»  Para o triatleta, sem dúvida que o resultado foi muito positivo. «Foi o meu primeiro Top 5 numa prova internacional de longa distância e espero que não seja o único. Foi um bom boost de motivação para o que falta da época. Obrigado também ao meu clube Estoril Praia que tem sido incansável!» conclui João Ferreira.

Corinne Abraham, de nacionalidade britânica, foi a primeira mulher a cortar a meta com a marca 04:00:42, ‘um resultado inesperado para a triatleta de longa distância, mas que a deixou muito contente’.

Dentro do Challenge havia outro desafio que prometia motivar o público. A triatleta Vanessa Fernandes iria fazer a prova sozinha contra três adversárias, Helena Carvalho a nadar, Katarina Larsson a pedalar e Inês Oliveira a correr. Infelizmente, Vanessa Fernandes não completou a prova o que deixou as três triatletas sem o objetivo para o qual se tinham proposto. Apesar dessa situação continuaram a competição em equipa.

Helena Carvalho, que foi a única que fez o percurso com a Vanessa Fernandes, gostou de fazer a prova por estafetas num percurso diferente do costume: «O percurso é interessante, diferente do que estou habituada, normalmente nadamos numa volta minimamente circular, no Challenge a natação é aos zig-zags.» A natação da Helena é forte e acabou por apanhar atletas da partida anterior, mas faz um balanço positivo da sua prova: «Apesar de o triatlo ser uma modalidade individual, acho muito interessante quando lhe juntam a componente de equipa, gostei de dividir a prova com mais duas colegas. Quanto à próxima prova objetivo é já o Triatlo de Oeiras e a Taça do Mundo de Huatulco.»
 

A Vanessa teve problemas a partir do ciclismo e não continuou em prova, mas Katarina Larsson fez o seu segmento, tal como previsto: «Foi pena a Vanessa não conseguir terminar a prova. A Helena nadou muito bem e já tínhamos um avanço. Puxei o máximo na bicicleta, mesmo sabendo que a Vanessa não estava em competição. Foi um bom treino para mim. No segmento da corrida, a Inês fez uma boa corrida.» O percurso também agradou a triatleta do Sporting Club Portugal. «Eu gosto do percurso, é plano, consegue-se ganhar velocidade.» Katarina está a passar por uma fase profissional intensa, por isso não tem tanto tempo disponível  para treinar o que gostaria, pelo que este ano não colocou grandes objetivos desportivos.

Na ‘Guerra dos Sexos’, competição que põe mulheres vs homens, com a distância s 1,5km natação, 45km ciclismo e 10km corrida, os homens tiraram vantagem fazendo um pódio inteiro com a vitória de Pedro Gaspar, depois João Fragoso e Nuno Veríssimo.

Momento alto para os triatletas que puderam passar a meta com a família, comemorando a superação!

A festa continuou no dia seguinte, com um triatlo para toda a família.

Fonte: FTP

 

“Bombarral VENCE o 35º Circuito de Matos Cheirinhos”

Fotos: Roda na frente e GRMC

Uma prova já com muita tradição realizada no concelho de Cascais e organizada pelo Grupo Desportivo de Matos-Cheirinhos.

A prova foi bastante disputada, com a média a rondar os 41Km/h. Alinharam a partida 65 atletas de 11 equipas. A Sicasal - Liberty Seguros - Bombarralense convocou para esta prova os seguintes atletas: 

Rafael Costa, António Pintassilgo, Rodrigo Duarte, Ricardo Sousa, João Martins, Francisco Guerreiro, Guilherme Simão, Bruno Valentim este último não pode alinhar por motivos pessoais. João Macedo não pode estar presente por estar a representar a nossa seleção Nacional na Taça do Mundo. Daniel Casquilho e Rodrigo Pereira continuam de fora dos convocados por motivos de saúde. Corrida: 

Foi uma prova bastante movimentada onde se deu a fuga do dia, com 2 atletas do Bombarralense, Guilherme Simão e Francisco Guerreiro, ambos uniram esforços para que a fuga ganhasse o maior tempo possível para os grupos perseguidores e para as equipas que estavam na perseguição.

Francisco Guerreiro Alcançou a Meta Volante na 6ª passagem pela meta, depois foi gerir o tempo que tinham de avanço para os seus adversários. Vitória sorriu ao Guilherme Simão que chegou ao lado do seu colega de equipa e colega de fuga Francisco Guerreiro, Rodrigo Caixas da Bairrada fecha o Pódio em 3º lugar. Classificação Atletas Bombarral Guilherme Simão | 1º Francisco Guerreiro | 2º Ricardo Sousa | 13º Rafael Costa | 23º João Martins | 32º António Pintassilgo | 36º Rodrigo Duarte | 49º

Classificação por equipas:

Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense | 1º Alcobaça Clube de Ciclismo | 2º Jorbi - Team Jose Maria Nicolau | 3º Bairrada | 4º Academia Joaquim Agostinho / UDO

Fonte: Bombarralense